Publicidade

Tiago Volpi mantém discurso e nega ansiedade para definir futuro no São Paulo

Emprestado pelo Querétaro, do México, até o final desta temporada, o goleiro Tiago Volpi ainda não sabe onde atuará em 2020. O São Paulo tem preferência de compra, por US$ 5 milhões (R$ 20,4 milhões), e pode exercê-la até dezembro. Apesar da indefinição, o jogador negou que esteja ansioso.

O goleiro já externou diversas vezes que pretende permanecer no clube do Morumbi, inclusive em uma entrevista exclusiva ao Estado concedida no mês passado. Na última terça-feira, Tiago Volpi manteve o discurso.

"Ansiedade zero. Estou bem tranquilo com o assunto porque desde que eu cheguei já sabia como seria. Tem uma opção de compra que vai ser definida só em dezembro. A cada dia que passa, de treino e de jogo, a evolução tem sido notória. Sobre estar contente ou não, é um processo diário. A cada dia que passa vou buscar essa felicidade no meu desempenho em campo. Dá para trabalhar mais, continuar evoluindo. A partir do momento que a gente acha que está bom, as coisas tendem a cair", afirmou Tiago Volpi.

Contratado neste ano, o goleiro conseguiu se firmar no São Paulo. Ele foi a quinta tentativa do clube para assumir a meta após a aposentadoria de Rogério Ceni, há três anos. Antes de Tiago Volpi, a diretoria apostou em Denis, Renan Ribeiro, Sidão e Jean. Os quatro não corresponderam e sofreram com críticas. Hoje, Jean é o reserva imediato, enquanto que os outros já deixaram o São Paulo.

Tiago Volpi demorou para convencer no São Paulo. O goleiro teve duas falhas durante a primeira fase do Campeonato Paulista, uma em clássico contra o Corinthians, e virou alvo de críticas da torcida. Ele foi bancado pela comissão técnica, correspondeu na fase mata-mata do estadual e defendeu dois pênaltis na semifinal contra o Palmeiras - embora tenha perdido uma cobrança.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES