Crise do Coronavírus

TJPR decide prorrogar o teletrabalho até julho: 'Há um risco de que o pico da pandemia comece agora'

(Foto: AEN)

Em sessão desta segunda-feira (08 de junho) do Órgão Especial, o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, anunciou que o regime de teletrabalho e a suspensão do atendimento presencial do Poder Judiciário continuam até o dia 15 de julho, pelo menos. Ao anunciar a decisão, que será oficializada ainda hoje ou, no mais tardar, na manhã de terça, o magistrado tambémk comentou que, em contato com autoridades sanitárias, foi informado de que há um risco de que o pico da pandemia comece nas próximas semanas.

"Antes de iniciar os trabalhos, quero dizer a todos que hoje, provavelmente depois da sessão, no mais tardar amanhã cedo, já editaremos um ato administrativo prorrogando as nossas atividades remotas, ou seja, nós não voltaremos de imediato aos atendimentos presenciais", disse Xisto Pereira. "Isso porque nós [...] oficiamos a secretaria de estado da Fazenda e também o Ministério da Saúde, e na verdade há um risco de que a pandemia, aqui no Sul, o pico comece agora, neste mês de junho", complementou.

No pronunciamento, o presidente do TJPR ainda comentou que até aqui (e "felizmente") não se tem conhecimento de casos de magistrados, servidores ou mesmo integrantes do sistema de Justiça que tenham sido contaminados pelo novo coronavírus. Ele também explicou que, com a prorrogação do teletrabalho e da suspensão das atividades presenciais, o Judiciário ganha tempo para avaliar se a situação irá normalizar ou piorar.

"Se piorar, veremos adiante o que vamos fazer. Se a situação melhorar, daí gradativamente vamos retornar aos trabalhos presenciais. Isso de forma gradativa e, primeiramente, em relação àquelas pessoas que não estão em situação de risco."