No Centro Cívico

Trabalhadores protestam contra a terceirização do Samu em Curitiba

(Foto: Divulgação/ Sismec)

Trabalhadores ligados ao Sindicato dos Servidores de Enfermagem de Curitiba (Sismec) realizam nesta sexta-feira (22 de janeiro), entre 15 horas e 17h30, um protesto na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico, contra a terceirização do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A notícia sobre a terceirização do serviço veio à tona no último dia 14, quando a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou aos servidores que atuam no Samu que eles seriam deslocados para unidades de prontos atendimento (UPAs) ou unidades básicas de saúde (UBS), enquanto a Fundação Estatal de Atenção em Saúde (FEAS) assumiria a gestão do Samu.

A decisão chocou os trabalhadores por não ter havido qualquer tipo de diálogo anterior sobre o assunto, com as conversas para a terceirização do serviço sendo anunciadas cerca de duas semanas antes do negócio com a FEAS passar a valer.

Segundo a diretoria do sindicato municipal, a prefeitura age de "forma desrespeitosa com os profissionais e inadequada com a população, que é quem vai acabar pagan do a conta". A classe ainda alega que a terceirização do serviço implica na troca de profissionais capacitados no atendimento em urgência por outros que nunca atuaram no serviço.

A Prefeitura de Curitiba, por sua vez, diz que a reorganização do serviço acontece por conta do grande número de afastamentos de profissionais da área de saúde e argumenta que "metade das bases do Samu já são operadas com profissionais da fundação". Dessa forma, a terceirização completa do serviço permitiria o remanejamento de aproximadamente 150 profissionais para o atendimento em UPAs e UBSs.

Confira, abaixo, a nota encaminhada à imprensa pelo sindicato, na íntegra

Sismec encabeça ato de protesto contra a terceirização do Samu Curitiba

O prefeito Rafael Greca mais uma vez demonstra a falta de apreço pelos profissionais da Saúde. Na manhã do último dia 14, na presença de apenas alguns técnicos e enfermeiros que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Curitiba informou que o serviço será totalmente terceirizado e que pretende repassar sua administração para a Fundação Estatal de Atenção em Saúde (Feas).
Segundo chegou ao conhecimento do Sindicato dos Servidores Municipais de Enfermagem de Curitiba (Sismec), o motivo exposto foi nada mais do que a vontade da gestão municipal.
A prefeitura está agindo de forma desrespeitosa com os profissionais e inadequada com a população. Por isso, a entidade que representa os trabalhadores se uniu aos funcionários dos serviços de urgência e emergência da cidade para realizar um ato de protesto contra a decisão da atual gestão, que quer descartar os profissionais que hoje atuam no Samu, ignorando totalmente os anos de trabalho e aperfeiçoamento técnico, desperdiçando a capacitação e experiência que tornam possível oferecer à população atendimento com excelência.
O Sismec convida a todos para acompanhar a manifestação, que será realizado nesta sexta-feira (22), entre 15h e 17h30, na praça Nossa Senhora de Salete, Centro Cívico.