Curitiba de Graça

Três filmes paranaenses concorrem no Festival de Gramado

Paulo Miklos estrela “Jesus Kid”, da Aly Muritiba.
Paulo Miklos estrela “Jesus Kid”, da Aly Muritiba. (Foto: Divulgação)

Quadrinhos e festival de bandas estão entre as dicas da semana do Curitiba de Graça 

O músico e ator Paulo Miklos estrela “Jesus Kid”, nova obra do cineasta baiano que mora em Curitiba, Aly Muritiba. O filme concorre a um Kikito e está entre as atrações do Festival de Gramado. Mais de 30 bandas passam pelas redes sociais até o fim de agosto apresentando um pouco da sua arte.

Veja onde assistir e confira as outras atrações do Curitiba de Graça para o Bem Paraná. Para mais opções culturais, acesse: www.curitibadegraca.com.br .

Divirta-se e boa leitura!



Bandas nas Redes

Crédito: Zig Koch

Legenda: Instrumentista, cantor e compositor, Celso Piratta é um dos participantes dos vídeos.

Até o fim de agosto, ocorrerão mais de 30 shows no Facebook do  Conservatório de MPB (https://www.facebook.com/conservatorio.mpb.curitiba) e no YouTube do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (https://youtube.com/playlist?list=PLLHd2vacQqhGrdD7Pwxa67wxMouqT9J1D). Serão vídeos de 15 minutos com três músicas por banda. As gravações foram realizadas em novembro de 2020, no Teatro do Paiol. As bandas que participam do projeto foram selecionadas pelo edital Música no Coreto, com curadoria de Fabio Elias, Glauco Sölter, Gustavo Moro, Junior Bier, Julião Boêmio e Lucas Melo.

Confira a programação:

3 DE AGOSTO: Bombaião, às 19h

8 DE AGOSTO: Celso Piratta e a Banda Provisória do Ahú, às 11h30

10 DE AGOSTO: Emiliano Pereira Quarteto, às 19h

15 DE AGOSTO: J.A.C (Juri de Atitude Consciente), às 11h30

17 DE AGOSTO: Luis Otávio e Joel Muller, às 19h

22 DE AGOSTO: Mandala Folk, às 11h30

24 DE AGOSTO: Oswaldo Rios e Rogério Gulin, às 19h

29 DE AGOSTO: Rapha Moraes, às 11h30

31 DE AGOSTO: Zarabatana, às 19h 



Nós em Gramado

Crédito: Divulgação

Legenda: O baiano Aly Muritiba mora em Curitiba.

O cinema paranaense estará no 49º Festival de Gramado, o maior evento do gênero no Brasil. Neste ano, o festival será novamente a distância, entre os dias 13 e 21 de agosto, com exibições pelo Canal Brasil, tanto na televisão por assinatura quanto na internet.

Na mostra de longas-metragens brasileiros, “Jesus Kid”, de Aly Muritiba, é um dos que concorrerão ao Troféu Kikito. O filme conta a história de um escritor de western em dificuldades que é contratado para ser o roteirista.

Essa não é a primeira vez que Muritiba está entre os selecionados do festival. Em 2018, seu também longa-metragem “Ferrugem” foi premiado como melhor filme na categoria. Cabe lembrar ainda que Aly Muritiba foi um dos diretores do documentário “O Caso Evandro”, que estreou em maio no Globoplay. Já na mostra dos curtas-metragens, dois filmes paranaenses estão na disputa pelos prêmios: “Aonde vão os pés”, de Debora Zannata, fala sobre uma adolescente e personalidade, que foge do padrão de gênero; e “Da Janela Vejo o Mundo”, primeiro curta-metragem de Ana Catarina Lugarini.

Todos os filmes selecionados no Festival de Gramado serão exibidos de 13 a 19 de agosto, sempre a partir das 21h30, no Canal Brasil, disponível em operadoras de televisão por assinatura, e também pela https://globosatplay.globo.com/c/canal-brasil/. A premiação acontece no dia 21 de agosto, às 21h, com transmissão ao vivo pelo Canal Brasil na televisão por assinatura e pelo https://www.youtube.com/channel/UCJHo2AZbrh0keSVmh7a1NGw do festival. 



Inclusão

Crédito/ilustrativa: FreePik

Legenda: Podem participar pessoas surdas acima de 18 anos, intérpretes, professores e demais pessoas que conhecem a Língua Brasileira de Sinais.

Para ampliar o acesso e inclusão na cultura, o Sesc Paraná acaba de abrir inscrições do Criação Teatral em Libras, uma oficina dedicada ao desenvolvimento de cenas curtas integralmente na linguagem de sinais.

A oficina possui a carga horária de 12 horas, e acontecerá de 10 a 13 de agosto, das 19h às 22h, pela plataforma on-line Zoom. Podem participar pessoas surdas acima de 18 anos com interesses por artes cênicas, teatro, poesia em Libras, intérpretes, professores e demais pessoas que conhecem a Língua Brasileira de Sinais.

As inscrições devem ser feitas por aqui: https://www.sescpr.com.br/atividade/criacao-teatral-em-libras-10-08-2021-a-13-08-2021-1900/. A atividade é gratuita, mas as vagas são limitadas. Quem concluir todas as aulas ganhará um certificado de participação. 



Cultura do Paraná

Crédito: Reprodução do portal

Legenda: A plataforma Paraná Cultural já está em funcionamento.

Quem quiser conhecer mais e melhor sobre a cultura paranaense, há pouco mais de um mês foi lançada a plataforma Paraná Cultural, que pode ser acessada no www.prcultura.pr.gov.br. A iniciativa do governo do estado reúne mais de mil vídeos de música, artes cênicas e cinema, além de livros, oficinas, espetáculos e podcasts. Todos os conteúdos foram produzidos por artistas paranaenses durante a pandemia.

A plataforma é dividida por áreas e conta ainda com playlists especiais, como “Para rir”, “Para chorar”, “Para ver com calma”, “Para crianças”, entre outras. A ideia é que novas produções e também trabalhos consagrados do audiovisual paranaense também sejam disponibilizados ao longo do tempo. 



Bienal de Quadrinhos

Crédito: Recorte da capa/reprodução Facebook.

Legenda: Obras da coletânea buscam fazer uma relação entre quadrinhos e música.

A Bienal Publica!, projeto de difusão e visibilidade artística da Bienal de Quadrinhos de Curitiba, acaba de lançar a sua terceira coletânea de “Música & Quadrinhos”, com obras de quadrinistas de todo o país. A publicação tem uma exposição virtual e um PDF da versão impressa disponíveis gratuitamente no site bienaldequadrinhos.com.br/bienalpublica.

A coletânea, com curadoria do quadrinista, ilustrador e artista visual Fabio Zimbres, reúne 51 obras que apresentam a diversidade e criatividade dos artistas. HQs, poesias, animações, vídeos, roteiros e outras formas de arte buscam fazer uma relação entre a música e os quadrinhos.

Na versão impressa, as obras referenciam bandas como Sonic Youth e The Cramps e contam outras histórias, como a de um pobre metaleiro e a de um baião que um dia incendiou o Paraná, até o resgate do histórico Festival de Águas Claras e curiosas aventuras de uma capivara rapper curitibana.

São 26 trabalhos de artistas do Paraná, de Santa Catarina, de São Paulo, do Rio de Janeiro, da Paraíba, de Minas Gerais e de Pernambuco.

Já a exposição virtual apresenta 25 obras sobre diversas bandas. Os leitores podem curtir uma expansão gráfica da música “Artur Layne”, do Pink Floyd ou um ensaio em imagens sobre a repressão policial ao som do grupo Garotos Podres. Outra arte é uma crônica em quadrinhos sobre o show da Nômade Orquestra no Basement Cultural, em Curitiba, em 2017. 

 

Para mais opções, acesse: www.curitibadegraca.com.br .