Publicidade
Ingressos

Tribunal determina o fim da 'torcida única' na Arena da Baixada

Torcedor do Athletico rasga camisa da chapa ligada à atual diretoria do clube, durante o Atletiba
Torcedor do Athletico rasga camisa da chapa ligada à atual diretoria do clube, durante o Atletiba (Foto: Geraldo Bubniak)

O Athletico Paranaense será obrigado a vender ingressos separados para torcedores visitantes na Arena da Baixada. A decisão foi unânime, por sete votos a zero, em julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) nessa quinta-feira (dia 7). O clube terá que separar um setor para 10% dos torcedores, que defendem a equipe adversária.

Desde abril de 2018, o clube adotou o projeto “Torcida Humana”, feito em parceria com o Ministério Público. Por esse projeto, não há espaço específico para a torcida visitante na Arena da Baixada. E não é permitido o acesso ao estádio com camisas ou adereços do time adversário. A CBF concordou com esses termos no ano passado. No entanto, a procuradoria do TJD-PR é contra essas medidas no Campeonato Paranaense.

A procuradoria tentou barrar essas medidas do Athletico no clássico contra o Coritiba, em 30 de janeiro. O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná, Adelson Batista de Souza, chegou a dar uma liminar (decisão judicial provisória) a favor da procuradoria, mas o Athletico não cumpriu. O clube alegou que a Justiça Desportiva não tem poder para interferir nessas questões relativas à segurança nos estádios.

Em janeiro, antes do Atletiba, o Coritiba também entrou com ação no TJD-PR contestando a postura do clube rubro-negro. E no julgamento dessa quarta-feira o clube alviverde pediu a interdição da Arena da Baixada.

No entanto, o TJD-PR não julgou nessa quinta-feira (dia 7) o caso do desrespeito do Athletico à liminar relativa ao Atletiba. Esse caso será avaliado nas próximas semanas e o clube corre risco de multa.

DESTAQUES DOS EDITORES