Pandemia

Tudo pronto para vacinação contra Covid-19 no Paraná a partir desta quarta

(Foto: Jonathan Campos/AEN)

Está tudo pronto para a vacinação contra Covid-19 no Paraná. Com a aprovação das vacinas CoronaVac e Astrazeneca pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) neste domingo (17), o Ministério da Saúde pretende enviar as doses para os Estados já nesta segunda (18) para que sejam aplicadas na quarta (20). A vacinação ocorrerá de acordo com o recebimento dos imunizantes, de forma gradual e escalonada, com prioridade para  Segundo o plano estadual, 21 "categorias" receberão a vacina anticovid-19 ainda neste ano (veja quadro abaixo). Os insumos, como serigas, foram encaminhados para as regionais no fim semana. Nesta primeira leva de vacinas, segundo fontes do Ministério da Saúde, o Paraná deve receber cerca de 242.880 doses de vacinas, o que corresponde a cerca de 2,5% da população. Até o fechamento desta reportagem, no entanto, o número oficial de doses para cada estado não tinha sido confirmado ainda. 

 Com a quantidade de doses disponibilizadas, seguindo a ordenação por grupos prioritários, a previsão é vacinar o total de 4.019.115  pessoas no ano de 2021, ou seja 46,06% da população acima de 18 anos de idade ainda não vacinada, que soma um total de 8.736.014 pessoas. A expectativa do Governo do Paraná é expandir a longo prazo a estratégia de vacinação para a população acima de 18 anos de idade ainda não vacinada totalizando 8.736.014 pessoas, de acordo com projeções do IBGE 2020 no Paraná, que estima um total de 11.516.840 pessoas residentes no estado.

Após o recebimento dos lotes das vacinas no Aeroporto Afonso Pena, será realizada a conferência e organização para o envio no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). As caixas com o imunizante seguirão via terrestre acondicionadas em caminhões baús refrigerados (com sistema de rastreamento via satélite), até as 22 Regionais de Saúde onde serão guardadas em câmaras frias. Em locais mais afastados as caixas serão transportadas por aviões. Cada município é responsável por retirar as caixas com as quantidades de doses para aplicação na sua população. De acordo com o governador, o Paraná está preparado para iniciar a vacinação a qualquer momento. “Nosso estado tem uma estrutura de logística excelente, que funciona muito bem. Além disso colocamos toda a nossa frota aérea à disposiçao, com aviões e helicópteros, para a entrega das vacinas nos locais mais distantes. Queremos que todos os 399 municípios iniciem a vacinação juntos.”

Vinte das 22 regionais de saúde do Paraná já receberam os insumos que serão utilizados na vacinação contra a Covid-19. Os quatro caminhões carregados com 2,2 milhões de insumos saíram de Curitiba no sábado (16) e já finalizaram as entregas, que abastecerão as 1.850 salas de vacinas do Paraná. Apenas as Regionais Metropolitana/Curitiba e de Paranaguá receberão os insumos na segunda-feira (18). “Realizamos com sucesso esta operação que abrange o Estado de ponta a ponta; confirmando assim que estamos preparados para, logo mais, enviarmos ainda mais insumos e as tão esperadas doses da vacina”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.


Quais são os grupos prioritários

A definição de grupos prioritários para receber as doses da vacina contra a Covid-19 seguiu critérios do Ministério da Saúde, tempo de contato (ou exposição) com os pacientes Covid-19 e pessoas com maior risco de complicações pela infecção causada pelo Sars-CoV-2. O anexo II do Plano Estadual de Vacinação conceitua Trabalhadores de Saúde aquele que “desenvolve diferentes funções em ambientes diversos, e não exclusivamente na assistência ao usuário de serviços de saúde, foram adotados critérios relacionados à atividade desenvolvida e ao ambiente de trabalho. ”

Na primeira etapa da vacinação a população alvo a ser vacinada contra a Covid-19 é composta por profissionais que aplicarão as vacinas, pessoas com mais de 60 anos que residem em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) e os profissionais que atuam nos locais, população indígena, todos os trabalhadores que atuam em unidades de saúde que atendem pacientes com suspeita ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus. Na sequência o Estado planeja vacinar pessoas com 80 anos ou acima desta idade, pessoas entre 75 e 79 anos e assim sucessivamente até aqueles que tem idade variando entre 60 e 64 anos. O detalhamento, assim como a estimativa de cada população constam na página 4 do Plano.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, afirma que a vacinação é prioridade e que o planejamento prevê o início da aplicação das doses simultaneamente em todos os municípios do estado. “Nossa estrutura é muito segura e sustentada. As nossas regionais já estão recebendo as seringas, agulhas e outros insumos necessários para distribuir aos municípios. O processo de distribuição do imunizante será realizado como os demais que já fazemos, ágil, seguro e monitorado e também com apoio aéreo para maior agilidade”.– Além de estar no público-alvo para a vacinação, a Sesa recomenda que mesmo pessoas que já tiveram a Covid-19 podem ser vacinadas. Mas recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com infecção confirmada, ou seja, que estejam doentes. Sugere-se aguardar a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas. A Sesa indica ainda que as pessoas devem levar a carteira de vacinação para registro das doses.


Estimativa populacional para a Campanha Nacional de Vacinação contra a COVID-19

Grupos Prioritários População

1. Pessoas com 60 anos ou mais, institucionalizadas 12.224

2. População indígena em terras indígenas demarcadas 10.565

3. Trabalhadores de Saúde que atuam em Serviços de Saúde 272.817

4. Pessoas de 80 anos ou mais 250.630

5. Pessoas de 75 a 79 anos 215.843

6. Pessoas de 70 a 74 anos 321.432

7. Pessoas de 65 a 69 anos 439.203

8. Pessoas de 60 a 64 anos 554.705

9. Pessoas em Situação de Rua 3.391

10. Trabalhadores de Força de Segurança e Salvamento 30.685

11. Comorbidades 1.172.812

12. Trabalhadores Educacionais e da Assistência Social (CRAS, CREAS, Casas / Unidades de Acolhimento) 210.897 ]

13. Pessoas com Deficiência Institucionalizadas 482

14. Pessoas com Deficiência Permanente Severa 400.682

15. Quilombolas, Povos e Comunidades Tradicionais Ribeirinhas 8.944

16. Caminhoneiros 33.454

17. Trabalhadores do Transporte Coletivo Rodoviário e Ferroviário de passageiros 14.612

18. Trabalhadores de Transporte Aéreo 469

19. Trabalhadores Portuários 3.102

20. População Privada de Liberdade (exceto trabalhadores de saúde e segurança) 61.465

21.Trabalhadores do Sistema Prisional 701

Total PARANÁ 4.019.115

INDICAÇÃO – Além de estar no público-alvo para a vacinação, a Sesa recomenda que mesmo pessoas que já tiveram a Covid-19 podem ser vacinadas. Mas recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com infecção confirmada, ou seja, que estejam doentes. Sugere-se aguardar a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas. A Sesa indica ainda que as pessoas devem levar a carteira de vacinação para registro das doses.

CONTRAINDICAÇÃO – De acordo com as pesquisas em andamento, e os critérios de exclusão utilizados nestes estudos, não devem ser vacinadas: pessoas menores de 18 anos de idade (Atençãoː este limite de faixa etária pode variar entre as vacinas, portanto sempre será recomendada a confirmação desta informação diretamente na bula);  gestantes e pessoas com histórico de reação anafilática confirmada associada a dose anterior da Vacina contra COVID-19 ou a qualquer um de seus componentes. Porém, de acordo com o Plano de Vacinação, a contraindicação pode variar conforme o tipo da vacina.

A Sesa também não recomenda a administração simultânea de vacinas. A orientação é que as vacinas sejam aplicadas com intervalo de no mínimo de 30 dias entre uma e outra.

SALAS DE VACINAÇÃO – O Paraná tem 1.850 salas de vacinação nos 399 municípios. A quantidade de locais varia em cada cidade de acordo com o tamanho da população. Os municípios são responsáveis pela gestão dos profissionais para aplicação das doses da vacina, assim como pelas estratégias de vacinação chamada extramuros, ou seja, fora das salas de vacinação. Um exemplo de desse formato é a vacinação em terminais de ônibus ou drive-thru.

TREINAMENTO – Os profissionais que atuarão na aplicação das doses das vacinas devem passar por treinamento para registro de dados dos vacinados no sistema de informação do Ministério da Saúde, registro de notificações de eventos adversos, acompanhamento entre outras informações. O primeiro treinamento realizado pela Sesa aconteceu no dia 7 de janeiro de 2021 com técnicos das áreas de imunobiologia e epidemiologia das 22 Regionais de Saúde.