Publicidade
Vespersaurus paranaensis

Turismo científico deve impulsionar Cruzeiro do Oeste, 'a terra do dinossauro'

A descoberta de um fóssil de um inédito dinossauro em Cruzeiro do Oeste, no Noroeste paranaense, tem tudo para incrementar ainda mais o turismo científico na cidade. A descoberta foi anunciada no final de junho deste ano. A espécie que habitou a região entre 60 e 90 milhões de anos, no período cretáceo, tinha em torno de um metro e meio, era bípede, carnívoro e foi batizado de Vespersaurus paranaensis.

A descoberta, contudo, não foi a primeira. Cruzeiro do Oeste já era famosa por contar com um sítio arqueológico importante desde os anos 70 do século passado. Em 2014, 47 fósseis de pterossauros (répteis voadores pré-históricos) foram encontrados.

“Acreditamos claramente que o turismo cientifico vai mudar a rotina do município, consequentemente ganha-se novas oportunidades em diversas frentes, com o valor do conhecimento associado a pesquisa, cultura e curiosidade”, diz Wanda Pille, presidente da Rede de Turismo Regional (Retur), em matéria postada no começo do mês no Portal da Retur.

E, nesta sexta-feira (19), será inaugurado o Museu Paleontológico de Cruzeiro do Oeste, na Rua Peabiru, antigo Fórum da cidade.

“Já existe uma demanda de pesquisadores visitando o município. A nova descoberta vai reforçar este movimento e ampliar as possibilidades do município, que se destacará muito no turismo paranaense”, explica Wanda.

Em fevereiro deste ano, a prefeita de Cruzeiro do Oeste, Helena Bertoco, durante encontro com o diretor-geral da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, Francisco dos Santos, já tratava de investimentos para esta área.

Entre as ideias a construção do Museu Paleontológico, com recursos federais, e obras para a implantação de uma Praça Temática na cidade, a pavimentação e a urbanização das ruas em frente ao futuro Museu, além da colocação de réplicas dos animais pré-históricos em jardins na entrada da cidade.

Segundo a prefeita, a descoberta, do início dos anos 1970, por um produtor rural, colocou Cruzeiro do Oeste no mundo da paleontologia internacional. “Depois de um período, com pouco avanço, várias instituições fizeram seus estudos. Mas foi há pouco tempo que os trabalhos se tornaram significativos. As descobertas dos últimos meses poderão revolucionar o segmento”, adiantou.

A base científica inspirou a prefeita a desenvolver um programa turístico a partir do desenvolvimento científico. “O que temos já é revolucionário na paleontologia e os especialistas dizem que estamos só no começo. Isso nos leva a pensar em atrair cientistas, e o público em geral, para conhecer o que o passado nos guardou por tanto tempo”.

Os fósseis, encontrados no município de Cruzeiro do Oeste são uma raríssima ocorrência de pterossauro no interior de continentes. Também é a primeira vez que esse dinossauro cruzeirense pré-histórico é encontrado na região – até agora só havia registros de pterossauros na Chapada do Araripe, no Nordeste. A nova descoberta é resultado do trabalho de funcionários do Museu Paleontológico de Cruzeiro do Oeste e de pesquisadores da UEM (Universidade Estadual de Maringá) e da USP (Universidade de São Paulo).

Corredores das Águas

Cruzeiro do Oeste faz parte da região turística Corredores das Águas, que tem como seus maiores atrativos o lazer das águas doces, oportunizado pelos rios Paraná, Paranapanema, Ivaí e Piquiri, somados a gastronomia, turismo de eventos e negócios e a cultura.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES