UE renova sanções econômicas à Rússia por 6 meses devido à situação na Ucrânia

A União Europeia informa em comunicado que o Conselho Europeu decidiu nesta quinta-feira, 13, prorrogar sanções econômicas contra a Rússia por mais seis meses, até 31 de julho. A decisão ocorreu após avaliação mais recente sobre o estado da implementação dos acordos de Minsk pelo Conselho em 16 de dezembro de 2021, diz o texto.

As sanções em vigor foram introduzidas em 31 de julho de 2014, em resposta a medidas de Moscou para desestabilizar a situação na Ucrânia, limitar acesso aos mercados primários e secundários da UE para certos bancos e companhias da Rússia e proibir formas de assistência financeira e corretagem em relação a instituições financeiras russas, explica a nota do bloco.

"As sanções também proíbem a importação, exportação ou transferência direta ou indireta de todo material relacionado à defesa e estabelece um veto para produtos de uso dual para fins militares ou usuários com finalidade militar na Rússia", diz o texto.

As medidas buscam ainda limitar o acesso russo a certas "tecnologias sensíveis que podem ser usadas no setor de energia russo, como por exemplo na produção e exploração de petróleo", diz o texto.