R$ 15 mil

UEL é condenada a indenizar moradora por excesso de barulho

A 2ª Vara de Fazenda Pública de Londrina condenou a Universidade Estadual de Londrina (UEL) a pagar R$ 15 mil de indenização por danos morais a uma moradora vizinha ao Colégio de Aplicação, no Centro de cidade. A mulher reclamava do excesso de barulho no colégio.

Os problemas que acarretaram na sentença foram registrados entre 2010 e 2012. A decisão saiu na terça-feira (23). No processo, a advogada Glenda Vieira, que mora em um apartamento vizinho, anexou vídeos que gravados durante eventos realizados no período da manhã e da noite no colégio, que é administrado pela UEL.

Em 2011, o colégio já havia sido multado em R$ 5 mil pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA) após ser constatado que o nível do som chegava entre 95 e 115 decibéis, enquanto o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 55 decibéis.

Além da indenização, a 2ª Vara também fixou uma multa de R$ 5 mil por cada futuro evento com abuso de som alto.

A defesa argumenta que o barulho atrapalhou a preparação de Glenda Vieira para um concurso público e influenciou no estresse e na qualidade de vida dos moradores. A UEL já informou que irá recorrer da decisão.