Pandemia

UEM transfere provas do Vestibular 2020 de Curitiba para Ponta Grossa

(Foto: Arquivo/AEN)

A Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) informou nesta quarta-feira (19), mediante o Edital 17/2021, que excepcionalmente para o Vestibular 2020 (ingresso em graduações presenciais no ano letivo de 2021), as provas de 23 e 24 de maio de 2021 na cidade de Curitiba serão transferidas para o município de Ponta Grossa, a cerca de 100 quilômetros da Capital, devendo os 1.921 candidatos inscritos para Curitiba atentarem-se.

A mudança é necessária para cumprimento do Decreto Municipal 890/21 da Prefeitura de Curitiba. Haverá apoio logístico e infraestrutura da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). De acordo com o edital da CVU, o ensalamento e o endereço do novo local de aplicação de provas, para vestibulandos previamente inscritos para Curitiba, poderá ser consultado no Menu do Candidato a partir das 17h de sexta-feira (21).

Anteriormente, a universidade possuía autorização da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná para realização do processo seletivo em Curitiba. No entanto, com a publicação do Decreto Municipal 890/21, a realidade mudou.

A CVU da UEM reitera que as aplicações do Vestibular 2020 prosseguem – agora, além de Ponta Grossa – normalmente em outras dez cidades paranaenses, nos dias 23 e 24 de maio de 2021: Maringá, Apucarana, Campo Mourão, Cascavel, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Paranavaí e Umuarama.

Estado libera recursos para obras de Centro de Ciências da Saúde da Unioeste
Hospital da UEPG promove ação de incentivo à doação de leite materno
A universidade também reforça que em todos os locais de prova haverá um rigoroso protocolo de biossegurança para que sejam minimizados os riscos de contaminação tanto de candidatos quanto de fiscais e membros da organização do processo seletivo.

Todos os candidatos do Vestibular 2020 necessitam se programar com bastante atenção em relação a hospedagem, transporte e alimentação, já que o Poder Executivo de cada cidade tem autonomia para aplicar regras específicas quanto ao combate da pandemia.