Sindicância

UTFPR investiga mais de 170 casos de intoxicação alimentar em restaurantes universitários

(Foto: Franklin de Freitas)

A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) não só investiga o caso de mais de 170 alunos que sofreram intoxicação alimentar nas sedes Centro e Ecoville, em Curitiba, após o consumo de refeições nos Restaurantes Universitários (RUs), como instaurou Processo Administrativo Sancionatório contra a empresa contratada.

Segundo a assessoria de imprensa da UTFPR, desde o primeiro relato, recebido em 18 de maio, a Comissão de Fiscalização do Restaurante Universitário do campus Curitiba vem monitorando o ocorrido e verificando todos os detalhes narrados para que sejam tomadas as medidas cabíveis para que seja possível elucidar os fatos e apurar as responsabilidades.  "Essa mesma empresa recebeu na terça (24), uma visita da Vigilância Sanitária Municipal, a qual não verificou irregularidade alguma, seja nos ambientes ou nos procedimentos de funcionamento dos RUs do campus. A comissão da vigilância que visitou a empresa irá entregar o laudo para a nutricionista responsável somente na próxima semana, assim, infelizmente, não temos como enviar o documento nesse momento Estão ocorrendo várias reuniões entre a direção-geral e a comunidade estudantil a fim de, em comum acordo, identificar os problemas e buscar as soluções cabíveis", informou a assessoria de imprensa em nota encaminhada à redação do Bem Paraná. 

Os RUs do campus são destinado para servidores (docentes e técnicos-administrativos) da instituição. Para os alunos, o valor cobrado é de R$ 3,50. Em média, são servidas 2.000 refeições nas duas sedes, Centro e Ecoville, entre almoço e jantar. No momento, os restaurantes estão atendendo normalmente. A UTFPR solicita ainda que toda a comunidade que continue participando ativamente do processo de monitoramento do RU, sendo que irregularidades devem ser reportadas utilizando o e-mail acima mencionado.

Os estudantes da UTFPR se organizaram em um grupo de Whatsapp para receberem as denúncias. Uma aluna que não quis se identificar que já tinha passado mal outras vezes após comer no RU do Centro, mas que desta vez chegou a ser hospitalizada para tomar soro. "Foi a reação mais forte que eu tive. Fui parar no hospital. Fui para o pronto socorro, tive que tomar soro e remédio. Estou há uma semana de atestado", afirmou ela. De acordo com a estudante, outros alunos disseram que encontraram objetos estranhos e insetos das refeições. "Espero que a universidade investigue muito bem isso aí. Enquanto for esta empresa, eu não como mais lá não".