Luz no fim do túnel?

Vacinação contra a Covid avança e curitibanos esboçam volta à normalidade

Movimento nas ruas é um indicativo de que o comportamento da população “volta ao normal”
Movimento nas ruas é um indicativo de que o comportamento da população “volta ao normal” (Foto: Franklin de Freitas)

À medida que o plano de imunização avança e os números de casos novos, óbitos e pacientes internados por conta da Covid-19 diminuem, Curitiba esboça, finalmente, um retorno à normalidade. Recentemente, por exemplo, o comércio retomou as atividades com maior vigor e o setor de eventos voltou a ganhar fôlego, bem como escolas e universidades já estão também retomando as atividades e aulas presenciais. Com tudo isso, aos poucos o movimento vai aumentando pela cidade.

No setor do transporte coletivo, por exemplo, os meses de agosto e setembro foram aqueles com maior movimento de passageiros desde março do ano passado, quando Curitiba ainda começava a lidar com o coronavírus (a capital paranaense está em Situação de Emergência em Saúde Pública desde 16 de março de 2020).

Conforme o Painel Interativo de Passageiros da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A), no terceiro mês de 2020 um total de 12.215.250 passageiros utilizaram o ônibus. A partir dali, porém, foram verificadas quedas expressivas, chegando-se a ter menos de 5 milhões de passageiros nos ônibus em abril do ano passado.

Já neste ano, o número de usuários do sistema registra altas consecutivas desde julho. Em agosto, por exemplo, foram transportados 10.248.047 passageiros nos ônibus pela cidade, enquanto no mês seguinte se chegou a 10.254.284. Já em outubro, até o dia 17, 5.574.188 passageiros utilizaram o serviço.

Comparando-se, ainda, os 10 últimos meses de 2020 (março a dezembro) com os 10 primeiros meses de 2021 (janeiro a outubro), temos que 84.470.737 passageiros utilizaram os ônibus neste ano, contra 76.363.459 no período do ano passado, uma diferença de 10,62%.

Isolamento social menor

Se há mais gente utilizando o ônibus, sinal também de que há mais gente nas ruas. E isso se reflete no índice de isolamento social, que já havia atingido em setembro o menor nível em Curitiba desde julho do ano passado (43,76%) e caiu ainda mais neste começo de outubro (para 40,68%), segundo dados do Painel de Controle do Coronavírus no Paraná.

Além disso, as informações, cuja fonte são as operadoras de telefonia celular, apontam que o mesmo acontece no estado como um todo: em setembro, o índice de isolamento social no estado ficou em 45,39% (média), enquanto em outubro já está em 43,81%. Novamente, são os menores índices desde o início do monitoramento.

População começa a retomar os hábitos ‘normais’ de lazer e compras

Dados do Waze revelam ainda que os brasileiros já estão começando a planejar as compras de fim de ano. Segundo a plataforma, as navegações para redes varejistas estão 17% acima do que no período pré-pandemia, isso muito por conta da vacinação e com o fim das restrições impostas pelas autoridades locais. Para se ter uma ideia, o fluxo das lojas de departamento está 50% maior em comparação com setembro de 2019. Houveram também aumentos para farmácias (38%), lojas de móveis (32%), supermercados (24%), lojas de artigos esportivos (9%), shoppings (2%) e fast-foods (1%).

Além disso, houve aumento de 77% em setembro de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado nas navegações por locais ao ar livre, o que significa também uma ligeira mudança no comportamento dos brasileiros, com saúde e bem-estar dando os primeiros indícios de retorno. Conforme o Waze, houve aumento nas idas para espaços de cuidados pessoais (26%) e academias (4%) em comparação ao mesmo período em 2019.

Três quartos da população já tomou ao menos uma dose

Se até pouco tempo dados como os citados acima seriam considerados alarmantes, dado o risco de contágio pelo coronavírus, hoje a situação é um tanto diferente, principalmente porque, ao que tudo indica, finalmente se pode ver uma luz no fim do túnel. E tudo isso graças à vacina.

Conforme a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba, até ontem 1,45 milhão de curitibanos já haviam tomado ao menos a primeira dose do imunizante contra o SARS-CoV-2. Isso significa que 73,7% dos curitibanos estão vacinados, sendo que 62,2% já completou o ciclo vacinal (tomou duas doses do fármaco ou a dose única, no caso da vacina da Janssen).

Com um contingente expressivo de pessoas imunizadas, o vírus começa a circular menos e também diminui consideravelmente as chances de alguém que contrai a Covid-19 vir a ter complicações mais graves por conta da doença. Não à toa, há quatro semanas consecutivas o número de casos novos e óbitos na cidade vem caindo, sendo que no domingo Curitiba voltou a registrar menos de 100 casos novos de Covid-19 num dia pela primeira vez desde 28 de junho do ano passado (passados 484 dias, portanto).