Publicidade
Araucária

Vacinação contra a febre amarela precisa continuar mesmo com clima mais frio

(Foto: Ascom/PMA)

É comum que em períodos mais frios haja uma preocupação maior com a transmissão da gripe (influenza) e, por consequência, ameaças como a febre amarela sejam deixadas de lado. O alerta se faz necessário: os moradores de Araucária não estão procurando [o quanto deveriam] as unidades básicas de saúde para a vacinação gratuita contra a febre amarela, uma doença transmitida por mosquito e que pode matar. O vírus da febre amarela já foi registrado na vizinha São José dos Pinhais. Para o vírus chegar a Araucária pode ser uma questão de tempo e, quanto mais pessoas estiverem vacinadas menor a chance de ocorrerem casos e mortes. A preocupação maior é com os adultos de até 59 anos. Uma dose da vacina garante proteção para a vida toda. Quem já tomou não precisa se preocupar.

Todas as unidades básicas de saúde de Araucária estão realizando a vacinação de segunda a sexta-feira. As senhas da sala de vacinação estão sendo entregues das 8h às 16h30 nas unidades da área urbana e das 8h30 às 16h na área rural. As pessoas que moram/trabalham na zona rural devem ter atenção especial já que o risco é maior em regiões de mata; incluindo aquelas que buscam cachoeiras e trilhas aos fins de semana. A vacina precisa de 10 dias para garantir proteção completa.

O período de maior ocorrência de transmissão da doença é entre dezembro e maio quando fatores ambientais (como o aumento de chuvas e de temperatura) propiciam o aumento da quantidade dos vetores (mosquitos). Febre de início súbito (maior que 37,8°C), dor de cabeça, mal estar, calafrios, tonturas, dor lombar podem ser sinais de várias doenças, inclusive da febre amarela. Por isso é muito importante que o morador vá a uma unidade de saúde caso apresente os sintomas.

Exceções - Pessoas acima de 60 anos, gestantes, mulheres amamentando, pessoas que apresentam reação alérgica grave a ovo e pessoas com HIV/AIDS devem buscar orientação com os profissionais de saúde para avaliar se a vacinação nesses casos é recomendada ou não. Bebês menores de 9 meses, pessoas que passam por quimioterapia ou radioterapia, transplantados são exemplos de algumas das situações em que a vacina não é indicada. Os profissionais de saúde da unidade básica mais próxima podem esclarecer quaisquer dúvidas sobre quem pode ou não ser vacinado.

Orientações - Assim como os humanos, os macacos também podem ser vítimas da febre amarela. A morte de macacos, como vem ocorrendo em São José dos Pinhais, é um sinal de que o vírus da febre amarela pode estar circulando na região. Por isso, é importante o morador comunicar os órgãos de saúde da existência de macacos mortos (Ouvidoria da Saúde 0800-6437744). A colaboração dos moradores é fundamental para que as equipes de saúde avaliem se há risco ou não da doença na área.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES