Publicidade
É invejado ou sente inveja?

Veja 5 dicas para conviver com a inveja e para evitar ter inveja

O Filósofo e escritor Fabiano de Abreu explora o conceito da dualidade contida na liberdade e teoriza que existem dois tipos de pessoas no que tange a escolhas: 

“Tenha a convicção de que escolher é perder, mas também ganhar. Existe uma dualidade na escolha e é preciso decidir com o pensamento nas consequências e possíveis desdobramentos. Toda a metamorfose tem o seu preço, como sempre, há a liberdade de escolher entre a ação e a inércia, então há apenas duas posturas a assumir, a dos realizadores, que acreditam em si e no próprio potencial por isso arriscam, ou a dos murmuradores, que tem receio de realizar e criticam as conquistas dos outros, que não estão dispostos a pagar o preço. 

Para os que costumam ter grandes conquistas, os próprios feitos e os feitos dos outros parecem comuns. Para os que nada conquistam, que optam pela inércia, as realizações daqueles que conquistam parecem duvidosas, surreais e impressionante demais para serem verdadeiras. É o abismo entre os que são capazes e os que só conseguem assistir. Os realizadores admiram os realizados, os que não realizam e não buscam a realização invejam os realizados”

Fabiano de Abreu acredita que a nossa liberdade então vive da ambiguidade presente nas escolhas, e que ao fim, elas são binárias, resumindo-se em sim ou não ao movimento e a realização: 

“ A nossa liberdade vive dessa ambiguidade. Se não houvesse em nós essa natureza dupla, esse dualismo a duelar pela nossa atenção a todo o tempo, não poderíamos então escolher o que queremos ser e teríamos o nosso destino totalmente determinado. Uma borboleta nada mais é que uma lagarta com asas, que se submeteu ao processo da metamorfose para poder ganhar os céus, que renunciou o seu estado anterior para viver o novo. Realizadores são pessoas que aguentam a dor da metamorfose”. 

O filósofo questiona também o porquê de muitos que optam por não se tornar realizadores criticam aqueles que dão esse passo adiante: 

“Analogamente, questiono-me porque as lagartas que não querem ou não se esforçam para virar borboleta odeiam tanto as que abraçaram a metamorfose? Será por preguiça, medo ou incapacidade? Se transformar, se submeter à metamorfose, é provavelmente a melhor coisa das nossas vidas. A borboleta só voa livremente depois de passar por um processo difícil, claustrofóbico e até doloroso. Mas para voar, a borboleta abre mão de ser lagarta. Penso que os nossos maiores erros não têm a ver com o medo da transformação, mas a paralisação que acabamos por aceitar nas nossas vidas para não sofrer o suposto dano”.

Uma das hipóteses levantadas pelo filósofo sobre o tema aponta a relação direta entre inteligência e progressão: 

“Pessoas inteligentes geralmente se movem, assim dizem os estudos, escolhem fazer alguma coisa porque nunca estão satisfeitas, querem sempre mais e mais. Isto está ligado a diversos fatores sendo um deles a ansiedade. Essas pessoas estão sempre conquistando e buscando novos objetivos, por isso costumam não ter tempo de se preocupar com as conquistas dos outros já que dedica demais o seu tempo às próprias conquistas. Tem também a questão de que, quando se está satisfeito com as conquistas e com a própria vida, enxerga tudo ao redor com olhos de felicidade e admiração. Eu vejo pessoas que menosprezam a conquista dos outros como, talvez, falta de capacidade de buscar ter as próprias conquistas e seguem odiando o fato de não conseguirem conquistar. Assim, acabam não chegando ao lugar desejado por simples questão de falta de tentativa”. 


Como solução para aqueles que desejam se tornar realizadores, Fabiano aponta que é preciso encontrar a sua própria motivação: 

“Falta motivação em alguns, que é o  motivo para uma ação. A motivação é intrínseca. É necessário descobrir o seu nicho de atuação, os seus dons naturais. Na falta disso, da motivação que venha de dentro, acaba por ser necessário ter um estímulo externo, que vem do outro. E o hoje, “tempo,” é o mais importante, raro e caro recurso que  podemos oferecer ao  outro. Todos nós estamos num mundo de instantes, onde tudo é instantâneo. Se ficarmos o tempo todo estimulando alguém, então perdemos a motivação para a nossa própria vida, por falta de investimento afetivo e tempo".

Destaca-se e isso incomoda? 5 maneiras para não se afetar e ter uma vida plena 

1 - Demonstração de superioridade - Se tens a consciência de que se destaca e sempre vai se destacar, então, não demonstre superioridade. Isso vai atrair rejeição e inveja. Os seus feitos podem ser vistos sem precisar que sejam ditos. 

2 - Não julgues - A força que a palavra tem não preciso nem dizer. O julgamento faz da pessoa um arrogante e jamais podemos julgar sem ter vivido o que a outra pessoa viveu para que tenha agido de tal forma. Tu podes ter a consciência do seu bom gosto, mas não exponha isso como se fosse uma certeza e sim uma opinião com brechas para outras opiniões. 

3 - Seu nome em vão - Se se destaca, falam de ti. Se falam de ti, falam bem e mal. Leve isso como sucesso alcançado, o que faz com que tenha notoriedade. Não se afete se o boato não condiz com a realidade. As suas atitudes demonstrarão o contrário e no final, o lançador da mentira é que perderá a credibilidade.  

4 - Suas conquistas - Elas são as suas conquistas, então guarde-as para si. Se precisas externar isso como desabafo e confirmação, que seja para os amigos íntimos e família. A sua plenitude já é transportada e percebida pelo cognitivo dos outros sem que precise ser dito e isso acarretar inveja. 

5 - Negativo converte ao positivo - Pegue o que te negativa e filtra, se for invenção ou não ser coerente, descarte. Mas se for um defeito que possa consertar, converta para que possa sempre evoluir e se aperfeiçoar. 

Sente-se inferior na sociedade? 5 dicas para que seja um destaque e não precise querer ser a outra pessoa 

1 - Não se sente capaz? - Se acreditas não estar apto ou não ser capacitado para aquilo que almejas, se espelhe e use de exemplo os que se destacam, usando-o como referência para si mesmo.  

2 - Mude o plano - Se a escolha não deu certo, não conseguiu alcançar o sucesso, busque outros meios ou mude o projeto, pois, pode ser que esse realmente não deu e não dará certo e podes estar perdendo tempo ao invés de dedicar-se no que pode dar certo. 

3 - Invista em si mesmo - Teste de inteligência para aptidões define quais profissões poderia ter mais sucesso dentro de um cognitivo das suas possibilidades e probabilidades. 

4 - Pratique a ação - ocupe-se de coisas que o façam se destacar profissionalmente para não ter tempo de almejar o que não é seu. 

5 - Sua vida em ordem crescente - Tenha metas que sejam alcançáveis. Conquiste de forma crescente e não decrescente. Não almeje o melhor de todos ou o último do topo da lista. Almeje o que pode alcançar primeiro para depois alcançar algo melhor do que o primeiro e assim sucessivamente. 

Ex.: Não deseje a Lamborghini de 1.000.000, deseje o carro de 50.000 primeiro, depois o de 100.000 e por aí vai, não se prenda no primeiro, pois, ainda é distante demais.

Significado das palavras 

*Dualidade é a propriedade ou caráter do que é duplo, do que é dual, ou que contém em si duas naturezas, duas substâncias ou dois princípios. Dualidade também possui significados na área da física, da matemática e da filosofia.

*Metamorfose significa mudança, é a transformação de um ser em outro. De uma forma em outra.

*Ambiguidade é a qualidade ou estado do que é ambíguo, ou seja, aquilo que pode ter mais do que um sentido ou significado.

*Binário é o adjetivo masculino que indica algo que tem duas unidades ou algo que é composto por dois elementos de informação.

*Analogamente - De maneira análoga; de modo idêntico, semelhante ou correspondente; similarmente ou equivalentemente.

*Intrínseca - Que faz parte da essência de alguém; que é característico, próprio, essencial ou fundamental; inerente.

 

 


Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES