Publicidade
Cuba

Veja tudo sobre o maior festival de charutos do mundo

Plantações de tabaco em Pinar del Río a melhor terra do mundo para cultivo de tabaco
Plantações de tabaco em Pinar del Río a melhor terra do mundo para cultivo de tabaco (Foto: Bárbara Magalhães)

Cinema, música, artes... existem vários motivos para um festival. O que pouca gente sabe é que em Cuba acontece há 21 anos um festival dedicado aos... charutos. Sim! Os amantes dos famosos “puros” podem se encontrar uma vez por ano em Havana para uma programação intensa, dedicada ao universo do melhor tabaco do mundo no Festival del Habano www.habanos.com. A condição sine qua non para participar deste encontro é ser um aficionado pelos “puros”. Em fevereiro, durante uma semana, o evento promove passeios nas plantações de tabaco, visita às fábricas onde se enrolam manualmente os charutos, concursos, workshops e, é claro, jantares de confraternização fumando os lançamentos das marcas mais famosas.
Esse é o maior encontro internacional para os amantes dos melhores charutos do mundo e será realizado de 18 a 22 de fevereiro. Os participantes deste produto exclusivo virão de todos os cantos do mundo. Neste ano duas marcas Habanos têm um papel especial no evento: San Cristobal de la Habana, que comemora dois marcos importantes na história deste Habano, o 20º aniversário da marca e os 500 anos da cidade. Hoyo de Monterrey Trinidad, uma das marcas mais admiradas do portfólio Habanos, que celebra seu 50º aniversário.
O Festival vai promover visitas às plantações de tabaco em Vuelta Abajo, na região de Pinar del Río, considerada a melhor terra do mundo para cultivo de tabaco; e a visita às fábricas produzindo os principais lançamentos deste ano. Também haverá três noites cheias das melhores músicas ao vivo, com artistas internacionais de trajetória reconhecida, a melhor cozinha de Cuba e a degustação de Habanos e bebidas de diferentes partes do mundo.
A inauguração da Feira e, especialmente, a Noite de Boas-Vindas marcarão o início do Festival Habano na segunda-feira, dia 18. A Feira é o ponto de encontro e troca de profissionais da indústria do tabaco de todo o mundo, expositores de fabricantes de produtos de luxo em geral, bem como artesãos, artistas, fabricantes de artigos para fumantes e produtos gourmet.
O programa também terá palestras, lideradas por renomados especialistas no mundo de Habano. Outra das atividades mais representativas do Festival Habano é o tradicional Concurso Internacional Habano sommelier, que atinge sua 18ª edição este ano. Como todos os anos, os extraordinários Habano sommeliers de todo o mundo se juntarão, que terão a oportunidade de demonstrar seus conhecimentos e habilidades para obter este prêmio reconhecido.
No Festival de 2018 dois mil aficionados pelos puros cubanos, vindos de mais de 70 países participaram da vigésima edição do Festival Habano, que aconteceu em Havana. Durante cinco dias foram realizadas diversas atividades que incluiu visita as plantações, armazéns de tabaco, fábricas de charutos, além de palestras, workshops para preparar um charuto, competições de especialistas, harmonizações, feira de negócios e três jantares que reuniam gastronomia, música e, é claro, muitos charutos - alguns que foram lançados durante o evento. Para a economia cubana o resultado foi expressivo.
Durante uma semana mais de cinco mil pessoas trabalharam para o evento. De seguranças e garçons até os grandes nomes das artes de Cuba, incluindo aí cantores de renomes (como o grupo Orishas) até o corpo de baile da companhia de dança contemporãnea Acosta Danza que se apresentaram durante o Festival. Além disso, um leilão de humidificadores (caixas para conservar o charuto), realizado na noite de encerramento, a Noite de Gala, arrecadou EUR$1.567.000 (Hum milhão e quinhentos e sessenta e sete mil euros) que foram doados para o sistema de saúde pública de Cuba.
No ano passado foram vendidos quase 500 milhões de charutos, o que para a empresa Habanos S.A representa uma cota de 70% em unidades e 80% em valor dos mercados onde são comercializados. Esses números foram produzidos apesar do fato da empresa não pode vender seu produto nos Estados Unidos - o primeiro mercado mundial de charutos Premium - como conseqüência do embargo.
Os números não para por aí. A Habanos S.A. - empresa responsável pela comercialização dos charutos cubanos - comemorou um aumento de vendas com receitas que ultrapassa U$ 500 milhões de dólares. Em números brutos de venda, a Europa continua a ser o principal mercado dos charutos cubanos, com 54 por cento das vendas, enquanto o resto é distribuído entre as Américas (17 por cento), Ásia-Pacífico (15 por cento) e África e Oriente Médio (14 por cento). Espanha e França lideram as vendas, enquanto a China chegou ao terceiro lugar, antes da Alemanha e Cuba, graças a um crescimento de 33% em 2017. Em termos de marcas, Cohiba predomina com 23 por cento das vendas em valor, seguida por Romeu y Julieta e Montecristo que ocupam 17%.
Em 2018 o mercado interno cubano - que inclui as compras feitas por turistas na ilha - registrou um crescimento de vendas significativo 15%, uma vez que o ano passou sem grandes danos nos fenômenos climáticos. A safra 2018 coletou cerca de 32 mil toneladas de tabaco, um dos principais produtos de exportação da ilha que emprega cerca de 200 mil trabalhadores na ilha, chegando a 250 mil quando o “pico” da safra.
A Habanos S.A. comercializa seu produto em lojas especializadas em mais de 150 países, são ao todo 27 marcas de charutos, entre as quais Cohiba, Montecristo, Partagas, Romeu e Julieta, Hoyo de Monterrey e H. Upmann, torcidos inteiramente à mão, tradição mantida por mais de 200 anos.

DESTAQUES DOS EDITORES