Escola

Venda de material escolar tem alta de até 12%

Varejo comemora as boas vendas neste início de ano
Varejo comemora as boas vendas neste início de ano (Foto: Valquir Aureliano)

A volta às aulas está perto. São pouco menos de três semanas de férias para os estudantes das redes municipal e estadual de Curitiba, que iniciam o ano letivo entre 14 e 15 de fevereiro. Com isso, já há uma corrida para a compra do material escolar, que neste ano começa com alta nas vendas de até 12% em relação o mesmo período do ano passado.

Este é o caso de um balanço divulgado pelas Livrarias Curitiba, que já ampliou as vendas em 12% em relação ao mesmo período do ano passado. Os itens mais procurados até agora são os cadernos, mochilas e planners.

Entre os diferenciais que estão ajudando nesse crescimento, destaque para a variedade de opções (cerca de 3 milhões de itens), os parcelamentos em até dez vezes sem juros e os preços atrativos, entre outros motivos.

O marketing também ajuda. Até o dia 3 de fevereiro, alunos de todas as idades podem encontrar uma grande variedade de produtos na Campanha “Volta às Aulas Mueller. Não Falte!”. E para inspirar as compras, o Shopping Mueller preparou cinco vitrines no mall, com sugestões de itens de diferentes lojas. As vitrines estão divididas por fases da vida escolar.

Redes de educação
Algumas escolas da rede particular já iniciaram o ano letivo, no caso de alunos do terceiro ano. A rede estadual do Paraná começa as aulas no dia 14 de fevereiro e as escolas e Cmeis de Curitiba no dia 25.

117 mil bolsas no ensino superior
Os meses de janeiro e fevereiro são os principais para o ingresso de estudantes no ensino superior. Juntas, as 98 instituições de ensino parceiras da plataforma Quero Bolsa no Paraná oferecem 117 mil bolsas de estudo no estado. Na região metropolitana de Curitiba são 35 mil bolsas de estudo disponíveis no site www.querobolsa.com. São oportunidades para fazer cursos de graduação e pós-graduação nas modalidades presencial e a distância (EaD). Os descontos oferecidos chegam a 76.35% e valem para todo o curso. A oferta cada vez maior de bolsas de estudo tem se consolidado como alternativa aos programas públicos de estímulo ao ingresso ao ensino superior, como o Fies, que a cada ano tornam-se mais restritivos. “O crescimento da oferta de vagas com bolsas de estudo acompanha também a expansão da rede de ensino. Com a criação de uma rede de polos de ensino a distância, tanto nos grandes centros quanto nas cidades menores, as oportunidades para fazer faculdade se multiplicam”, explica Marcelo Lima, diretor de relações institucionais da plataforma Quero Bolsa.