Venezuela goleia a Bolívia por 4 a 1, mas continua na lanterna das Eliminatórias

O sonho da Bolívia encostar no grupo de seleções que brigam por uma vaga na Copa do Mundo do Catar caiu por terra por causa da goleada sofrida diante da Venezuela por 4 a 1, nesta sexta-feira, no estádio La Carolina, em Barinas, na Venezuela. Mesmo com a vitória, a seleção da casa ainda é lanterna das Eliminatórias Sul-Americanas, com apenas 10 pontos. Os bolivianos seguem em oitavo, com 15 pontos, após o encerramento da 15ª rodada.

Três gols foram anotados por Rondón, maior artilheiro da história do país, agora com 34 gols. Os venezuelanos estrearam o técnico argentino José Pékerman, contratado para promover uma renovação visando o Mundial de 2026.

Em casa, a Venezuela começou o jogo bem à vontade, tomando as iniciativas ofensivas em jogadas quase sempre passando pelos pés de dois jogadores conhecidos da torcida brasileira: o meia Otero, ex-Corinthians, e o atacante Soteldo, ex-Santos.

O primeiro gol da seleção da casa saiu aos 24 minutos em um contra-ataque. O baixinho Soteldo acionou González pelo lado esquerdo. O lateral cruzou na pequena área, onde Rondón apareceu para desviar de cabeça. O segundo saiu dez minutos depois, após uma inversão de jogo para o lateral Hernández, que fez o passe no meio do ataque para Rondón. O grandalhão ajeitou a bola e chutou forte no canto esquerdo do goleiro.

Até então, a Bolívia mostrava muita dificuldade para sair da defesa e muito mais ainda para chegar ao ataque. O centroavante Moreno estava isolado, mesmo assim ameaçou ao recuperar uma bola e chutar perto da trave direita do goleiro. Os bolivianos diminuíram o placar aos 37, após um cruzamento perfeito de Arce em direção à grande área. Bruno Miranda testou forte no alto e fez 2 a 1.

Na esperança de buscar o empate, a Bolívia retornou ao segundo tempo ofensiva. Mas sofreu o terceiro gol em um erro infantil de sua defesa logo aos nove minutos. Os zagueiros trocavam bola dentro da grande área e na tentativa de recuo para o goleiro Lampe, a bola saiu fraca e Machís ganhou a dividida. Deu tempo de dar dois passos e chutar para o gol livre.

Quase em seguida, com a interferência do VAR, a Bolívia ficou com um jogador a menos. Leonel Justiano foi expulso após cometer falta por trás em cima de Otero. Ficou mais fácil, como também saiu o quarto gol em outra falha de marcação. O habilidoso Otero fez o passe para Rondón, que virou rápido e mandou para as redes aos 21.

A Venezuela ainda criou mais duas ou três chances reais para ampliar, mas acabou desperdiçando a chance de aplicar uma goleada história no rival. Os dois selecionados voltam a campo na próxima terça-feira, dia 1º de fevereiro, pela 16ª rodada. A Venezuela visita o Uruguai, enquanto a Bolívia recebe o Chile.