Conquista

VÍDEO: Emoção marca alta de último paciente com Covid do Hospital do Idoso de Curitiba

Claudio Miguel Queiroz Dombeck deu entrada em 27 de setembro e ganhou alta 14 dias antes de completar 49 anos
Claudio Miguel Queiroz Dombeck deu entrada em 27 de setembro e ganhou alta 14 dias antes de completar 49 anos (Foto: Reprodução/You tube)

O  Hospital Municipal do Idoso, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba deu nesta terça-feira (23) alta ao seu último paciente internado por Covid-19. Claudio Miguel Queiroz Dombeck deu entrada em 27 de setembro e ganhou alta 14 dias antes de completar 49 anos. “Gratidão a vocês profissionais de saúde e a Deus por ter mais uma oportunidade de vida, nunca vou esquecer o que fizeram por mim”, disse, emocionado, Dombeck.

O prefeito Rafael Greca comemorou a boa nova. "O Hospital do Idoso faz parte da excepcional estrutura de saúde pública da capital e foi fundamental durante a covid-19", destacou Greca. "Meu coração de prefeito se exalta com a alta de Claudio Miguel e com a diminuição acentuada da pandemia na nossa cidade."

“É uma ótima notícia, que nos enche o coração de esperança", afirmou a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak. "É importante que a população não relaxe nos cuidados porque ainda temos circulação do vírus."

Emoção

A alta do último paciente internado comoveu toda a equipe, que fez questão de acompanhar o momento com cartazes de apoio.

O Hospital do Idoso tem sido referência no atendimento a casos suspeitos e confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia. O primeiro paciente com coronavírus foi internado em 30 de março de 2020. Na época, a unidade contava com 20 leitos de terapia intensiva – chegou a 83 leitos de UTI na fase mais crítica da pandemia.

“Zerar os casos ativos de Covid-19 no hospital nos traz algum alívio e muita esperança”, disse o diretor-técnico do Hospital do Idoso, Clovis Cechinel.

Segundo Cechinel, a diminuição da taxa de ocupação de leitos se deve à ampliação da cobertura vacinal da população, o que tem permitido ao hospital retomar gradualmente a rotina pré-pandemia. Ou seja: a vacinação e a redução do ritmo da pandemia permitem ao hospital desativar leitos antes exclusivos para covid-19 e, consequentemente, voltar a atender pacientes de doenças crônicas não transmissíveis e a realizar cirurgias.

O diretor-executivo do hospital, Peterson de Souza, definiu que é "um momento de alegria" e agradeceu à dedicação dos profissionais. “Quero agradecer a todos os que têm trabalhado exaustivamente durante esta pandemia e que foram os protagonistas no cuidado ao paciente”, disse.

Hospitais

Durante a pandemia, dezoito hospitais e complexos de saúde da Grande Curitiba abriram leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermaria pelo SUS para pacientes com Covid. Um ano e oito meses após os primeiros casos, seis deles já haviam desativado as alas para Covid até o dia 17 de novembro.
E mesmo nos outros 12 hospitais da Região Metropolitana que mantinham a oferta de leitos para tratamento da doença, a ocupação nas UTIs não passava de 65% e nas enfermarias, 50% até a semana passada.

Assista abaixo ao vídeo: