Vítima de oito assaltos, cobrador de ônibus será indenizado

Uma empresa de ônibus de Curitiba terá de indenizar, por danos morais, um cobrador vítima de oito assaltos de dois tiros durante a jornada de trabalho. O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná negou recurso e manteve a decisão que obriga a empresa a indenizar o funcionário em R$ 5 mil.

Segundo a ação, a empresa não teria tomado nenhuma providência de segurança e ainda teria descontado do empregado os valores furtados. Segundo o juiz Luciano Augusto de Toledo Coelho, que condenou a empresa em primeiro grau, a exigência de atividades que tragam riscos físicos ou psicológicos aos empregados, ainda que potenciais, impõe o dever ao empregador de preveni-los.

Segundo o relator do acórdão, desembargador Célio Horst Waldraff, a empresa foi negligente diante da grande quantidade de assaltos a que ficam sujeitos os cobradores e deveria ter instalado câmeras ou até mesmo contratado segurança privada nos trechos e horários de maior risco. Ademais, a situação é agravada pelo sofrimento físico sofrido pela parte (dois tiros) e desconto dos valores subtraídos pelos criminosos, apontou Waldraff.

A empresa, por sua vez, alegou no recurso que sempre toma providências ao saber de algum assalto em suas linhas e avisa a polícia para resguardar a segurança dos motoristas, cobradores e passageiros.