Publicidade
Ponte

Você sabe o que é VPN? Saiba aqui o que é e como usar

(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

O VPN é a sigla de Virtual Private Network, ou Rede Privada Virtual em tradução literal. Na prática funciona como um intermediário entre o usuário e a internet, concede sigilo, acesso a redes de outros países e a possibilidade de se conectar a uma rede sem estar presente.

Basicamente, ela permite o acesso a sites e serviços que são bloqueados na sua região e permite navegar sem ser rastreado. Para quem quiser se aprofundar no assunto, pode procurar operadores de VPN conhecidos como o ExpressVPN que vão te dar conforto, segurança e — principalmente um bom serviço. 

Para os mais aventureiros, boa sorte, vale checar sites específicos como é o vpnoverview.

Normalmente, quando um usuário se conecta à internet, é identificado pelo seu número de IP (Internet Protocol) que todo computador possui. Assim, parte dos dados ficam abertos e podem ser averiguados.

Originalmente, o serviço foi criado para conceder sigilo a profissionais que corriam risco com sua segurança comprometida nas redes. Seja seja por motivos profissionais, políticos ou qualquer outro.

No VPN, um grupo de computadores se conecta e um valida o outro. Na rede privada, a identificação daquele usuário é blindada por um IP aleatório concedido pela rede e os dados são criptografados.

Desta forma, a segurança do usuário é garantida e os dados não podem ser acessados por operadoras de internet, agências governamentais e mais ninguém. O VPN funciona no desktop e também no smartphone.

Atualmente, o serviço pode ser utilizado com diversas finalidades e não apenas voltada pela questão da segurança. 

No caso de indivíduos, é possível acessar serviços e produtos bloqueados na sua região. Viajantes também tendem a usar o serviço para assistir a programas de sua terra natal.

No Brasil, os usuários do Netflix usam o VPN para procurar catálogos disponíveis em outros países. Também é possível utilizar outros serviços como a plataforma de streaming Hulu que não é habilitada no país, assim como serviços com certas travas de localização como é o caso da Google Play Store.

Para os mais aventureiros que navegam em áreas periculosas da internet, como a Deep Web, é importante pensar em um VPN mais sofisticado — com mais sigilo.
No âmbito empresarial, o serviço é utilizado para se conectar a centros de dados distantes. Funcionários também podem utilizar o serviço para acessar a rede sem estar presente.

Ao contratar um serviço, é importante checar os protocolos. O mais famoso é o SSL (ou OpenVPN), também há o TLS, PPTP, LLTP e IPSec. Cada usuário precisa entender qual a sua necessidade com o serviço, cada um tem suas especificidades.

Além disso, vale checar quais os locais de saída fornecidos. Se pretende acessar o catálogo estadunidense do Netflix, será crucial ter o país como local de saída, por exemplo. 

O local de saída também é importante para quem é preocupado com o governo, porém fique esperto pois cada servidor segue as leis de seu país sede.
Por fim, e não menos importante, é crucial ter consciência de que o seu servidor VPN tem seus dados. Eles não vão ser interceptados mas suas informações podem — sim — ser registradas. Cheque os termos antes de fechar qualquer compra.

Existem plataformas gratuitas e pagas, assim, vai de cada usuário entender suas demandas, necessidades e verba também. Apenas vale a pena lembrar a máxima da internet: normalmente quando o serviço é gratuito, o produto é você.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES