Publicidade
Polêmica

Werner nega acusações do presidente do Paraná Clube e elogia Pastana

Werner nega acusações do presidente do Paraná Clube e elogia Pastana
Carlos Werner (Foto: Reprodução/Twitter/Papodecraquecw)

O empresário Carlos Werner negou acusações do presidente do Paraná Clube, Leonardo de Oliveira, e elogiou o executivo de futebol do clube, Rodrigo Pastana. As declarações foram em entrevista para a Tribuna do Paraná

“Nesse momento, é difícil julgar. Mas acho que o Leonardo merece a reeleição. Ele entrou inexperiente, assim como outros, e no futebol tem muita coisa para se aprender. Ele vem aprendendo a cada dia e como o estatuto prevê a reeleição, acho que ele tem esse direito”, disse Werner. “Nao tenho interesse em ser candidato e nem conjecturar (uma chapa). Eu tenho três empresas, saí de um casamento de 20 anos, estou em outro, família nova e não tenho tempo. O Paraná precisa de alguém que tenha tempo e bagagem. Não vou apoiar e deixar de apoiar ninguém”, afirmou.

Sobre Pastana, explicou sua posição. “Não gostaria que tivesse vindo a público (os problemas). Eu não tive um bom relacionamento com o Pastana. Eu considero ele um cara competente, ele deu ao Paraná Clube uma condição de pensar grande, mas nós não somos do meio. Eu queria que ele saísse, mas seguraram e eu relevei. Ele é competente, trabalhou bastante pelo clube e não quero que ele vá embora. Depois da discussão, eu falei pro Leonardo que se o Paraná fosse pra Série A, o Pastana tem que ficar no clube”, comentou.

Em relação às acusações de Leonardo de Oliveira, Werner lamentou. “Vi com muita tristeza, porque eu não sou do meio do futebol. São acusações etapafúrdias, desagradáveis. Eu não tenho atletas, não tem isso. Acho que algumas coisas foram exageradas. Eu sempre disse lá atrás que não tinha dinheiro para o Paraná em janeiro de 2017 e queria usar a maior parte dos atletas do sub-17, porque eu não tinha dinheiro para o Paranaense. Não apenas jogadores da base, que são todos 100% do Paraná Clube”, argumentou. “Às vezes orientaram mal ele, ele é jovem. Não há a menor possibilidade de colocar a torcida contra ele. Eu espero que futuramente ele releve isso, veja a verdade. Em 2016 apanhamos dentro do aeroporto. O Paraná não deveria ter sido exposto dessa forma. Sou paranista doente, quero o bem do Paraná. Meu grupo é com o Leonardo, não sou da oposição. Não tenho o menor relacionamento com a torcida organizada. Eu queria deixar isso muito claro. Não tenho relacionamento com a Fúria. Eles apoiam o time e são passional, mas não têm relacionamento com ninguém”, completou.

Werner também explicou porque acabou investindo dinheiro no Paraná Clube. “Eu fui um líder no passado por causa do dinheiro. Talvez eu tenha entrado da forma errada no Paraná. Fiz por amor, por um projeto que deu certo em 2016 na questão financeira. O Paraná pagou muita gente. Agora esse grupo vem trabalhando da mesma forma e eu não participo. Não sou contra o grupo gestor, não quero que venha outro grupo sem experiência. Agora é momento de união, ceder para que o time cresça. Temos que parar de falar de política e pensar no futebol do Paraná Clube”, explicou.

DESTAQUES DOS EDITORES