Arquivo mensais:janeiro 2011

Fundação Cafú.

31 janeiro, 2011 às 08:45  |  por Capitão Hidalgo

Preconizava que jogar num campo pequeno e piso ruím é uma desgraça para uma equipe melhor, técnicamente dizendo, foi o que se viu ontem em Arapongas onde o Coritiba somente empatou. Deixando de lado esses pormenores, também não se pode deixar de lado o comentário da partida, afinal, não jogando bem e mostrando que o atacante Leonardo não anda bem, terá o técnico Marcelo Oliveira definir a posição do meia Davi ao lado do Rafinha e Marcus Aurélio. Num campeonato de pouca reserva técnica é um luxo deixar bom jogador fora e a consequência deste empate coloca, agora, o Verdão fora da liderança.

Depois de um longo tenebroso inverno, o Atlético praticou bom futebol na vitória em cima do Roma Apucarana, com a  excelente conduta do seu meia armador, Paulo Baier, somando aos bons desempenhos, do Fransérgio, Lucas, Gabriel e Madson. O resultado de 4×1 deve ser valorizado, pois, gostei do time do interior que até o ínicio de 2º tempo vinha jogando um bom futebol, mostrando uma boa meia cancha com Lira e Eurico. Ressaltamos também nesta rodada as vitórias do Irati, Cianorte, Operário e Corinthians do Joel Malucelli, todos jogando fora de casa.

Bom exemplo tem que ser enaltecido . É o caso da Fundação que o ex-jogador da Seleção Brasileira, Cafú, criou e atende hoje em seu bairro de coração, o Jardim Irerê, em São Paulo, 750 crianças que diariamente tem seus afazeres, contando também com a boa alimentação, disciplina e lazer. O custo mensal é de 60 mil reais , tudo com origem do próprio bolso. Esta idéia e maneira de apoio social criado por esta Fundação vem desde os tempos em que o Cafú, de origem pobre, sentia na pele a adversidade da realidade que vivia  e que se estende aos dias atuais. Parabéns Cafú, a matéria que vi ontem me emocionou e afirmo que senti inveja de não poder colaborar da mesma maneira.

Os bons trabalhos dos técnicos, Luxemburgo, Adilson Batista, Muricy e Joel Santana , dão a dimensão verdadeira desses profissionais em suas carreiras. Enganam-se aqueles que acham que o técnico mais atrapalha do que ajuda, não foi o caso dos quais trabalhei, Pirillo,Renganeski, Tim, Filpo Nunes, onde a experiência falava mais alto. Se tempos outros havia uma maior facilidade em trabalhar com material técnico invejável, a moçada deve entender que os atuais fazem omeletes sem ovos. Portanto, minhas saudações aos bons.

Parece que a saída de cena do vice-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade,  por problemas de saúde, abriu uma lacuna  na tranquilidade clubística e na consequência dando origem a uma preocupação aos torcedores alviverdes. Dá até para entender que está faltando alegria, afinal, a verdade é que todos estão aguardando por melhoras do dirigente.

Até a próxima.

Tricolor e sua via crucis.

30 janeiro, 2011 às 09:24  |  por Capitão Hidalgo

No ponto de vista esportivo, salientamos que tem sido um fracasso essa campanha do Paraná Clube, trilhando um caminho desesperador onde os seus torcedores  não vêem uma luz no túnel. Concordo e ao mesmo tempo fica a pergunta no ar  qual caminho a diretoria deveria  tomar , pois, a verdade é que a difículdade de  recompor financeira e administrativamente o clube será um processo demorado. Portanto, como alguma coisa tem que ser feita,  partem Aquilino, Paulão e demais conselheiros para contenção de despesas, pagando um salário abaixo de equipes interioranas na espera de milagre na condição técnica de seu elenco. Não havendo outra solução, tendo atrás o clamor da galera, desde  já espero que a coragem dos atuais comandantes do clube seja contínua, pois,  fazer futebol sem dinheiro é uma condição quase que insuportável.

Em outra situação podemos comentar o Atlético que ainda não jogou seu melhor futebol mas, que indúbitavelmente, tem atrás de tudo uma boa administração clubística. Comparativos à parte, entendo que a solução seja mais fácil para os atleticanos, deixando só a questão do objetivo que seus dirigentes queiram neste momento, afinal existe à frente o processo da construção final do seu estádio para a Copa do Mundo/2014. Falando em melhorar o astral técnico nada melhor que ganhar nesta tarde quando jogará em casa contra o Roma Apucarana. Seja feliz, Sergio Soares.

As inconstâncias de critérios dos dirigentes do futebol brasileiro, sempre submetidos a resultados, vão proporcionando em todas as 2ª feiras uma revoada de técnicos pelo continente.Faço um convite, aos senhores, para fazerem uma pesquisa semanal e verem que esta profissão é de lascar o cano. Da mesma forma que condeno as atitudes dos dirigentes, devemos também dizer que não há nenhuma coerência na conduta do técnico brasileiro, pois, o que ele mais quer é faturar, seja aqui ou acolá. Que barbaridade.

Já que entrei neste assunto de comando técnico, já estão escalando alguns para virem treinar o Paraná Clube e o Atlético Paranaense. É só aguardar, afinal, critério é que não existe no futebol brasileiro. Estou errado?

Com a vitória do Cianorte em cima do Tricolor da Vila por 2×0, que soma agora 12 pontos, ontem em Vila Capanema, fica para hoje a disputa ao 1º lugar onde se espera do Coritiba um grande resultado frente ao motivado time do Arapongas, que  volta a jogar em seu estádio. Por falar em campo de jogo, o Verdão deverá ter muitos problemas para se ajustar neste gramado que é muito irregular. Dizem que será para os dois. Não aceito devido a melhor qualidade de elenco que tem de momento o Coritiba, ainda mais, contando com a volta do Rafinha. A única dúvida que tenho neste jogo será o desempenho do atacante Leonardo, afinal, faz tempo que não joga bem. Parece até que esteja triste. Será com seu futebol?

Lembrança da Polonia.

29 janeiro, 2011 às 08:31  |  por Capitão Hidalgo

Encontrei-me casualmente, há dias atrás, com uma pessoa que não via a tempos, tratá-se de Rizzio Waichoviski, ex-prefeito da cidade de Araucária e que por alguns anos presidiu a Sociedade União Juventus.  Não poderia faltar a lembrança do apoio que me deu, quando fui com o locutor, Luis Augusto Xavier, transmitir um jogo, que a princípio seria em Varsóvia, ficando depois para a cidade de Katowice, bem ao sul do país,  entre as Seleções da Polonia e Bélgica. Foi com certeza um momento marcante em minha carreira, pois, nunca estivera alguém empunhando um microfone nesta parte do mundo, cuja idéia era dar um pontapé inicial na campanha da Copa do Mundo no México, como também,  homenagear a colonia sempre presente em nosso Estado. Isso aconteceu em Setembro de 1985, ainda com o regime de autoritarismo que existia no Leste Europeu, quando o empate em 0×0 classificou para nossa sorte a equipe da casa para o Mundial de 1986.

A direção do Vasco da Gama não teria outro caminho, a não ser, dispensar o técnico Paulo César Gusmão pelos maus resultados assim como sacar do elenco os jogadores, Carlos Alberto e Felipe, dois arruaceiros por natureza. Assim o time da Colina vai para o clássico contra o Flamengo mais oxigenado precisando urgentemente da vitória. Já desgastado por tantos problemas, Roberto Dinamite, está dando mostras de cansaço, ainda mais depois de conviver com a 2ª Divisão do Brasileirão da Série B/2009  na busca da recuperação do clube em campo é tentar resolver as finanças vascaínas que desgastam a qualquer pessoa de boas intenções.

 O Consul Geral da África do Sul no Brasil, Sr. Yusuf Amer,  esteve em nossa capital com intuito de colaborar com os dirigentes do Estado do Paraná, quanto ao aspecto logístico e organizacional visando a Copa do Mundo de 2014.  Acho uma boa, experiência não faz mal a ninguém, ainda mais depois do sucesso dos africanos. Mas, o que chama atenção diz respeito  a cidade de São Paulo, com muito lobby, estar interessada em atender a toda imprensa  montando a estrutura do Centro de Rádio e Televisão no Parque Anhembí. Só para se ter uma idéia do que ví em Johanesburgo, a instalação deste estrutura estava perto do Estádio Soccer City contando com 9 pavilhões e pelo que se sabe, se até lá estiver pronto, o Estádio da Copa na paulicéia será o do Corinthians no bairro do Itaquera.  Bem longe.

Aguardando pelas reações das equipes do Atlético e Paraná Clube nesta rodada, não custa falar um pouco dos outros estados quanto ao momento do futebol brasileiro. O paulista, é bastante motivado com equipes fracas como o time do Linense, o carioca luta por uma melhor estrutura de clubes, afinal, vemos um Flamengo, Fluminense e Botafogo  investindo bastante, jogando contra  Madureira, Olaria, Volta Redonda, América e outros cositas mais. No sul, como sempre ou dá o Gremio ou sobra para o Internacional. Nas Minas Gerais, Atlético e Cruzeiro brigando sempre. Por isso não ficamos atrás, pois, no contexto se não for a dupla Atletiba, pergunto ”Quem será” ?  Tecnicamente, dizendo, a bola está pobre.

Para os mais céticos, não há como não projetar uma Copa do Brasil  para se ter um grau maior das nossas possibilidade. Acho que basta entrar nestes torneios e fracassar logo de cara. Por enquanto não vejo condições de se ir até o fim. Em todo caso é aguardar com a certeza da cobrança que terá de ser rígida.

Até a próxima.

Antipatia à Bolicenho e Soares.

28 janeiro, 2011 às 09:21  |  por Capitão Hidalgo

O time do Coritiba conseguiu a proeza de chutar por umas 20 vezes a meta do goleiro do Cascavel e só fazer um gol. Foi do estreante da noite, Davi, que deixou boa impressão por sua desenvoltura com a bola nos pés. Tanto Davi como o zagueiro Pereira, perderam chances incriveis para estabelecer uma goleada na fraquíssima equipe do interior, que mesmo assim, encontrou alguns espaços no final do jogo e quase complica. Quando se ganha por 1×0, sem risco, tudo bem o que não pode é a equipe incorrer em erros e ficar esperando pela loteria do jogo. Como para alguns o que vale é bola na rede, com mais essa vitória, o Verdão está na liderança tendo agora pela frente a luta contra o entusiasmo do time do Arapongas. Pelo que sabe o campo por lá é bem acanhado.

Que o Vasco da Gama está numa draga, aliás conversamos com os senhores alguns dias atrás a respeito,  é uma certeza. Imaginem perder para o Resende, Nova Iguaçu e a última foi de doer, contra uma equipe que nem lembro o nome. A paciência do Presidente Dinamite extrapolou, chegando a quase vias de fato no vestiário com o “jogador” Carlos Alberto. Para falar a verdade, não consigo entender como os cariocas insistem com esse personagem que não joga futebol a alguns anos, enganando a todos. Quem deve estar se divertindo é o ex-dirigente, Eurico Miranda, que luta para voltar ao clube. 

Continuo afirmando que as críticas ao Bolicenho e Sergio Soares vão continuar. A qualquer deslize o pau vai cantar pois é vísível, partindo de onde partem, como campanha de contrariedade  a esses profissionais posicionando-os no paredão.  Asseguro que é melhor esperar pelo presidente, Marcos Malucelli, que sabendo de onde vem as críticas resolverá isso como um traque e não como uma bomba.

É incrível o carinho da torcida alviverde com os integrantes da Rádio Rock 91 FM. Ontem, no Estádio Couto Pereira, me surpreendi com muitos torcedores fazendo gestos apontando seus radios de pilhas  acompanhando nosso trabalho sem deixar de contar, é claro, com as pessoas que vão a cabina nos abraçar. Valeu gente.

A equipe brasileira sub-20, que está disputando uma das vagas que levará a Olimpíada de Londres, recebeu a visita do técnico principal ,Mano Menezes, mostrando com isso aos atletas que êles não estão sozinhos nesta empreitada. Pelo que se viu até agora, no bom trabalho do Ney Franco, que não há a mínima idéia de desclassificação neste percurso classificatório, ainda mais agora que o país (Perú) que está organizando este evento já esteja fora do objetivo.

Até a próxima.

Fracasso.

27 janeiro, 2011 às 07:31  |  por Capitão Hidalgo

Com a derrota do Paraná Clube lá em Apucarana para o Roma em 3×1 , foi-se o 1º turno e consequentemente toda uma perpectiva de recuperção no campeonato. Dizia para os senhores que nada adiantaria o Tricolor ter se superado no jogo contra  Coritiba para se perder no caminho mais a frente. Agravante vem, pois, em 4 rodadas conseguiu somente 1 ponto, claro,  muito pouco para sobrevivência até na divisão principal do Estadual. E uma via-crucis interminável.

O que dizer então do Atlético Paranaense, que na noite de ontem em Ponta Grossa, perdeu para o Operário por 1×0 sem ter conseguido chutar um bola em gol no 1º tempo. Desculpe, as vezes me tornar repetitivo, mas colunas atrás dizia o problema que o Furacão teria com a perda da sua espinha dorsal com as saídas dos jogadores, Neto, Rhodolfo e Chico. Até agora não se sabe qual o esquema tático, afinal, o tempo está passando e os primeiros resultados negativos estão chegando a ponto de intranquilizar a todos seus torcedores. O zagueiro Manoel, que caiu na besteira de dizer que gostaria de ir embora, está dispersivo, lento e descontrolado, somado ao pouco rendimento da meia cancha que não tem nenhuma criação.

O cenário de momento do Furacão não é nada bom. Sabe-se que existe campanha contra determinados profissionais na direção esportiva, é o caso do Ocimar Bolicenho, pois,tem muita gente de fora que quer a pele do dirigente como fôsse ele o único culpado. A coisa é muito mais por antipatia, pois, todos sabem que Ocimar já foi dirigente do Paraná Clube. Quanta ignorância. Outro que para se sustentar na tarefa de técnico é o Sérgio Soares. Perder é um mal negócio. 

Enquanto o Gremio empatou em Montivedéo o Corinthians empatou em pleno Pacaembu e agora terá que sustentar a barra no próximo compromisso contra o Tolima, lá na Colombia, para ficar com a vaga para a Libertadores. Em outros resultados, com péssima autação da sua zaga o Santos empatou em 3×3 contra o São Caetano emquanto o São Paulo de virada ganhou do time de Americana.

Ainda há tempo para resolver um problema sério que vem prejudicando os times do Paraná Clube e o Atlético, ou seja, de buscarem com urgência goleiros. Tá feia a coisa.

Até a próxima.

Vivendo e aprendendo.

26 janeiro, 2011 às 08:34  |  por Capitão Hidalgo

O goleiro Júlio César está de volta a Seleção Brasileira de Futebol, fato este que não posso deixar de comentar, por ter acompanhado o último Mundial acontecido na África.Primeiro por reconhecê-lo como ainda o titular, muito mais experiente do que outros convocados e a soma de títulos conquistados com a camisa do Internazionale de Milão. Portanto está sendo dado uma nova oportunidade, mesmo que tenha falhado nos gols contra a Holanda, que de certa forma precipitou nossa saída deste evento.

Por outro lado, não posso deixar de posicionar aos senhores, quanto a falta de educação e humildade que esse rapaz proporcionou em Johanesburgo quando das entrevistas no hotel  em qu estava a delegação. Recordo-me bem, em uma dessas oportunidades, ao invés de responder as perguntas dos quase 100 integrantes da imprensa em geral, desdenhou dizendo que estava alí por que a comissão técnica havia exigido e que não gostava de participar de entrevistas. Faltando-lhe inteligência, pois, foi mais um que entrou na conversa dos técnicos Dunga e Jorginho, avessos a imprensa,  passou atestado de inconviniente. Com isso,bastou fracassar no jogo contra os holandeses e sentir na pele a contrariedade dos radialistas e jornalistas.    

Como a vida está aí para ser vivida e aprendida, tomara que Júlio César tire deste exemplo e entenda a oportunidade que técnico da Seleção, Mano Menezes, está lhe dando. Não custa ser educado e respeitoso com profissionais da comunicação. Na verdade, a imprensa que esteve na Africa,  ficou tão aborrecida com a falta de traquejo da comissão técnica  que é só verificarem se sai alguma linha falando do Dunga e Jorginho. A revolta é grande.  

Sem deixar passar este fato, mais do que nunca enalteço as figuras do Osvaldo Brandão, Cláudio Coutinho, Telé Santana, Zagallo e Parreira, pois sempe foram cordatos com o setor da imprensa. Cada um ao seu modo, mas, com muita gentileza e fidalguia. Ficaria algum tempo escrevendo os momentos que passei naquele velho bate papo com essas grandes figuras do nosso futebol.

Voltando ao futebol araucariano, gostaram, teremos o Paraná Clube em Apucarana contra o Roma e o Atlético em Ponta Grossa. Se perderem não terão nenhuma chance de ganhar o 1º turno. No caso do Tricolor de nada adianta correr na base da superação contra um grande e se perder jogando contra um pequeno. Façam o meu favor, hein? De férias, quem está em Curitiba é o técnico Levir Culpi, dizendo que já renovou seu contrato e está indo para o 5º ano de Japão onde dirige o Cerezzo da Cidade de Osaka. Convidado permanente pela imprensa local, aliás,não deixou de ir a nenhum programa demostrando muita amabilidade com todos. É como êle mesmo diz, é melhor treinar lá fora, pois, aqui é muito complicado,achando que “ Santo de casa não faz milagre” . Como novidade estará lançando um livro com a capa ” Burro, mas com sorte”. Claro, vai ter oportunidade de traduzir isso e mais coisas da sua vida esportiva.

Quem escala é o técnico.

25 janeiro, 2011 às 09:32  |  por Capitão Hidalgo

O Tricolor da Vila apresentou, o que pode ser considerado, como o primeiro reforço para a temporada. Trata-se do jogador Kerlon, que ficou conhecido como o “Foca” pelo  malabarismo que emprega contra seus adversários. Aplicando velocidade, sua boa característica, foi num clássico contra o Galo Mineiro que teve seu momento de glória com a camisa do Cruzeiro e de lá para cá, vivendo com algumas contusões, sumiu e de forma surpreendente aparece por aqui com o passe ainda preso a Internazionale. Espero que acerte, afinal, já mexeu com a galera, uma coisa difícil de acontecer com os tricolores. É esperar para ver.

Muitas críticas endereçadas ao técnico Sergio Soares ao tirar o lateral Vagner Diniz aos 41 minutos do primeiro tempo, coisa que para muitos, deveria acontecer em vestiário. Diria mais, acho que o lugar agora é do Marcos Pimentel que vem se apresentando melhor. Mas, nunca é demais, ter o técnico cuidado com suas interpretações, afinal, queima praticamente ao jogador perante a torcida e define um critério perigoso para uma estabilidade emocional no elenco.

Quando recebi a informação na hora do jogo que o volante alviverde, Leandro Donizetti, não jogaria por problemas fisícos, ficou na minha lembrança a última partida contra o Paranavaí na sua boa apresentação  havia se machucado no treino de sábado. Pois bem, o assunto se estendeu e o jogador queria mais era resolver sua situação de contrato, situação essa que vai se  expirar no final da temporada. Não sei se justo sua pretensão,afinal, dependerá da diretoria, mais deixar de jogar com contrato a vencer, digo aos senhores que o futebol está mesmo mudado. 

Perguntaram depois do jogo ao técnico, Marcelo Oliveira, por que não relacionou para a partida o meia Davi . Simplesmente respondeu: “Quem escala sou eu”. Existe sim alguma contrariedade quanto a presença do Oliveira na direção do clube. Enquanto a diretoria entender que sua permanência é eficaz, não será nenhuma pergunta cretina que tirará do trono. Deixem o rapaz trabalhar, pois, quem não o conhece não sabe da seriedade que ele emprega no seu discurso. Acho que a escola do Telé Santana é a sua marca. Alguém chegou a ver algum sorriso do Telé? 

Por enquanto dos tres goleiros que são considerados titulares das equipes da nossa capital, o que mais demonstra tranquilidade é o Edson Bastos do Coritiba, contando muito é claro com sua grande experiência. Nos casos do Atlético e Paraná Clube, com as saídas do Neto e Juninho as circunstâncias não tem colaborado com os atuais.

Até a próxima.

Empate justo.

24 janeiro, 2011 às 08:49  |  por Capitão Hidalgo

Poderia ter sido melhor mas, realmente as circunstâncias atrapalharam as equipes neste clássico Paratiba, começando com mal tempo precipitando um temporal tirando a vontade de muita gente ir ao jogo. Quanto a partida o Coritiba em seu 1º tempo foi melhor chegando por algumas vezes ao gol do adversário e somente fazendo um gol. A partir da expulsão do zagueiro Jéci ainda nesta primeira etapa, fiquei na espera do trabalho de vestiário do técnico, Roberto Cavalo, do Paraná Clube, pois, o Coritiba passaria a jogar com 10 jogadores. Inteligente, de cara fêz entrar um atacante  e com isso abriu seus cantos para os alas descerem, afundando o adversário em sua defesa que sentiu tremendamente a dificuldade no sair com bola dominada. Lá pelas tantas veio o gol do Tito, do Tricolor da Vila e logo em seguida a expulsão do Rafinha. A partir deste momento restava ao Coritiba deixar o tempo passar, afinal, o empate passava a ser um bom resultado. Marcelo Oliveira, o técnico de Verdão, ainda que mudando com Geraldo e Bill, na tentativa de puxar em velocidade sua equipe não teve sorte. A sorte veio na verdade com a infantilidade do meio campo paranito, Xavier Mendez, que “conseguiu” ser expulso.

Ainda falando sôbre o clássico, o que se viu foi o zagueiro do Coritiba, Pereira, não perdendo um lance sequer naquele momento de dificuldade. Mesmo tendo um bom chão rodado em sua carreira, e sem contar também com aquela explosão, valeu pela sua experiência cuidando da zaga na orientação aos companheiros Emerson e Lucas Mendes. Em relação ao Paraná Clube, também de nada adiantará correr contra um time grande e se perder pelo caminho com os menores. Só superação, também, não irá a lugar algum.

Por enquanto as campanhas do Arapongas e Paranavaí são as melhores do interior. Em tres jogos já contando com 6 pontos ganhos, essas equipes poderão chegar a premiação determinada por Regulamento da FederaçãoParanaense de Futebol, contando assim, com amplas possibilidades de conseguirem espaços em  torneios nacionais, Copa do Brasil e Série D.

Comentando o clássico pela Rádio 91 FM Rock, considerei boa a arbitragem do Heber Roberto Lopes. Mostrando pulso na hora certa e em alguns momentos deixando o jogo fluir, apitou corretamente os momentos de indisciplinas com as expulsões do Jéci, Rafinha e Xavier Mendez. De certa forma as coisas estão se encaminhando neste setor, claro com erros , a tal coisa do critério do árbitro, Ademir,  quando da saída estabanada do goleiro do Atlético derrubando o atacante do Irati fora da área. No mínimo expulsão. 

Do outro lado das Cordilheiras, a equipe brasileira do técnico Ney Franco consolidou esta etapa classificatória com sua permanência no torneio que levará duas das seleções a Olimpíada/2012. No jogo de ontem bem que poderia ter dado uma sova na Bolívia com tantas bolas endereçadas as traves do goleiro adversário. Ficou no empate de 1×1, somando agora 7 pontos. No próximo jogo, Ney Franco, dará oportunidades a alguns garotos do elenco.

Até a próxima.

Atlético de virada.

23 janeiro, 2011 às 09:21  |  por Capitão Hidalgo

Quem tem centroavante como referência a tendência é ter vantagem. Foi o que aconteceu com o Atlético na recuperação de placar, pois, perdia para o Irati ( 1×0 ) no 1º tempo e com Lucas na frente a vitória apareceu. Com dois gols importantes, o experiente jogador que depois de 10 anos voltou ao Furacão, acomodou a situação mesmo que a equipe não estivesse agradando no coletivo, pois, no final das contas a soma de mais tres pontos devem ser considerados. Quanto ao momento atleticano, nunca é demais salientar que os resultados vão aparecendo sem um brilho técnico acentuado, diria natural, pois início de temporada tem muito disso é só a torcida entender e não vaiar por vaiar. A mostra de recuperação dentro da partida já acontecera no meio de semana quando perdia para o Corinthians do Joel Malucelli e virou o placar.

Quando chega um clássico, hoje o Paratiba, é batata que os desportistas ficam a perguntar quem é  favorito. Já se sabe, e a frase é velha, que nem sempre o que está melhor no momento vence, mas a leitrua deve ser feita , no caso desta partida de logo mais, quando vemos o Coritiba superior em todos os sentidos, técnica, individual e coletiva. Mas no futebol nem sempre se respira desta maneira. Agora, neste caso, deste jogo,  tenho que esperar pela reação do Paraná Clube, pois, ao perder as suas duas primeiras partidas, traz uma preocupação geral em seu comportamento. Falei comportamento, então vamos lá. Minha modesta opinião é que o seu técnico, Roberto Cavalo, não pode se árvorar e ir para cima e tomar um gol de contra golpe e se perder na sequência. É se guarnecer, tentando jogar em superação e marcar os dois melhores jogadores do adversário, Rafinha e Marcus Aurélio. Já seria uma vantagem.

Ganhando do América de Minas, o time baiano vai pela primeira vez a final do torneio de juniores e enfrentar o Flamengo, dia 25 deste mês no Pacaembú, na festa de aniversário da cidade de São Paulo. Vivendo depois de muitos anos completamente afastado do brilho do futebol nacional, o time principal do Bahia, que  já tem assegurado  seu retorno a 1ª Divisão do Brasil, poderá se consagrar também com a categoria de base , muito bem assessorada pelo olheiro, Vagner Motta. 

Sempre de forma merecida e nunca demasiada, o goleiro Rogério Ceni, que completou mais um ano de vida,  recebeu muitas demonstrações de carinho da torcida sãopaulina, ontem, no Morumbi. Mesmo que o Tricolor tenha perdido o jogo para a Ponte Preta de Campinas, não foi deixado em branco esta passagem importante na vida do atleta. Sabe lá o que é um goleiro chegar a jogar por quase mil jogos com a camisa do clube e próximo a marca do centésimo gol ?  Não se tem na historia do futebol mundial um conhecimento similar.

A Cidade de São Paulo, que estará comemorando nesta 3ª feira seus 457 anos de sua fundação, terá mais uma vez na parte dos seus festejos, uma corrida de rua que é proporcionada já algum tempo com a organização do campeoníssimo, José João da Silva, que entre seus principais feitos tem o Bi (80 e 85) da São Silvestre. É impressionante o número de inscritos ( chega a marca de 25 mil corredores) nesta prova que começa e termina no Parque Ibirapuera, o melhor logradouro público da paulicéa. Agradeço o convite.

Até a próxima.

Internet é o caminho.

22 janeiro, 2011 às 09:54  |  por Capitão Hidalgo

Agora foi a vez do ex-governador, Paulo Pimentel, que aderiu a leitura diária do seu jornal tradicional, O Estado do Paraná, na via Internet Online, sendo que anteriormente  já o fizeram Diário Popular e  Jornal Hora H News.  Na verificação do alto custo do papel e de sua distribuição diária, notando mais ainda o sucesso desta  mecânica de leitura com  modernismo instantâneo, não teve outro caminho a não ser ver sua empresa jornalística, mesmo com dor no coração sair da linha do cotidiano na venda do exemplar em quiosques e bancas de jornais. Nunca sem tempo, Pimentel ainda segurou a barra tentando oferecer a empresários sem que tivesse exito . Enquanto isso quem vai bem é o jornal A Tribuna do Paraná, esse sim continuará dando alegrias ao Grupo por sua procura invejável nas bancas devido a sua linha editorial lidar com coisas populares.

Com intuito de ampliar essa conversa, recordo quando fui conversar com o Diretor do Jornal O Estado, Roney, isso tem uns 18 meses, para ver da possibilidade de se ter uma coluna esportiva . De forma surpreendente, claro para mim, Roney ofereceu o Portal Bem Paraná e, com segurança,  foi focalizando que o melhor caminho seria o da instantaneidade. Disse a êle : Será ?  Mesmo que a Família Barroso conserve uns 5 mil exemplares diários em bancas, a verdade é que o Portal tem 20 mil acessos diários. Parabéns ao Roney, por seu conhecimento e intuição no assunto ao antecipar o projeto à frente dos outros.

Só por uma questão de comentário, dizendo estar atento as mexidas do novo Estatuto que serão proporcionadas pelos atuais conselheiros do Coritiba, pelo que é dado a saber , duas proposições do Presidente do Deliberativo,  Omar Akel,  estão mais do que corretas pelo bem do clube. Primeiro diz  respeito a proporcionalidade nas próximas eleições onde vencedores e perdedores ficarão na agremiação  utilizando-se dos seus argumentos. O outro refere-se a chegada de um “personagem” a condição de presidente que não tenha tido uma vida útil no clube sem conhecer seus corredores, pois, como exemplo está aí com o Jair Cirino. Portanto,  já é um bom começo.

Motivada esta a cidade de Londrina, contanto com o apoio do Prefeito Barbosa Neto, que inclusive colocou sua emissora na última Copa do Mundo na África, a Rádio Brasil Sul, para divulgação da sua região. Como estive a convite estive ao lado da equipe esportiva que transmitiu esse evento, pude notar a tristeza dos profissionais quanto ao destino do LEC sem que encontrassem  um melhor direcionamento. Se na primeira batalha, não tenha conseguido por um promotor que não  permitia a presença da SMS  “Salada”, agora de forma instantânea aliado a desenvoltura do desportista, Barbosa Neto, a cidade já teve a presença do Flamengo com Luxemburgo e Ronaldinho Gaúcho, para mostrar ao mundo que o CT do empresário é uma maravilha e que  Londrina voltará com força total. Ontem, inclusive, autoridades que estão estudando locais para treinamentos das seleções que estarão na Copa do Mundo/2014, vistoriaram o Estádio do Café, campo de treinamento da Grupo do SMS   e de lá sairam entusiasmados.            

Quem não for por algum motivo aos jogos deste final de semana, o convite está aberto para ouvirem a Rádio 91 FM Rock, que contará com todos os seus integrantes da área esportiva. Hoje, a partir das 16 horas Atlético e Irati e amanhã na mesma hora, o Paratiba, primeiro clássico da temporada. E na caixa de som o melhor da cidade, 91 FM.

Até a próxima.