O que você precisa saber sobre cirurgia bariátrica

13/08/17 às 18:45 Pedro Henrique Caron

Segundo dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 600 milhões de pessoas possuem algum grau de obesidade no mundo. Para comparação, em 1980, este número era menos da metade. No Brasil, o número de pessoas consideradas obesas se aproxima de 20% do total da população, segundo o Ministério da Saúde. Em estimativa divulgada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), os pacientes do Paraná representam aproximadamente 42% das quase cem mil cirurgias bariátricas realizadas no SUS.
A cirurgia bariátrica revolucionou a forma como tratamos a obesidade, tornando-se um procedimento mais seguro e menos invasivo. O avanço tecnológico, aliado à pesquisa, nos últimos anos tem permitido uma evolução constante na redução dos riscos e recuperação dos pacientes.
O procedimento não é indicado para qualquer pessoa e alguns critérios precisam ser respeitados. O paciente precisa procurar um especialista em um hospital de referência para avaliar se a cirurgia é recomendada. Para alguns casos é necessário também esgotar todas as possibilidades do tratamento clínico.
Entendendo a doença

Para quem é recomendada?
Pessoas com índice de massa corporal (IMC) maior que 50kg/m²
Casos com IMC superior a 40kg/m² , após dois anos sem resposta ao tratamento contra obesidade
Adultos com IMC acima de 35kg/m² e com problemas de saúde relacionados como diabetes tipo 2, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares com alto risco, e sem sucesso no tratamento clínico
Para os jovens entre 16 anos e 18 anos, a cirurgia só pode ser indicada após avaliação de dois especialistas e do impacto na curva de crescimento
Obesidade no Brasil
Segundo o IBGE, mais de 82 milhões de brasileiros estão acima do peso
O número acima revela que seis a cada dez pessoas estão com excesso de peso
A SBCBM aponta que a cada ano são realizadas quase 90 mil cirurgias bariátricas no Brasil
O país figura entre as oito nações que mais realizam cirurgias bariátricas para cada cem mil obesos
Os cuidados antes e depois da cirurgia
A escolha da técnica que será utilizada é do médico. O especialista avaliará qual o melhor procedimento para cada caso
O ideal é parar de beber e fumar. O consumo de bebidas alcóolicas e o hábito de fumar aumentam as chances de complicação para qualquer procedimento
O paciente precisa seguir a risca a reeducação alimentar e a atividade física. A cirurgia não faz milagre. O paciente precisa compreender que o procedimento é o primeiro – e grande – passo para uma mudança de vida
A perda de peso costuma ocorrer até dois anos após a cirurgia. Após este período é preciso dedicação e atenção para manter o peso. O reganho de peso costuma estar relacionado com a falta de adesão ao tratamento

 

* Pedro Henrique Caron é cirurgião do aparelho digestivo no Hospital Angelina Caron

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop