Humanista

30/08/17 às 00:00 Ivan Santos com colaboração dos editores do Bem Paraná
(foto: Franklin de Freitas)

Pré-candidato ao governo do Estado para 2018, o ex-senador Osmar Dias (PDT) recebeu hoje mais um convite para mudar de partido. Desta vez, a proposta veio do PHS (Partido Humanista da Solidariedade), através do deputado federal Diego Garcia, presidente estadual da legenda. A conversa foi divulgada pelo pedetista em um vídeo no Facebook.

Reforma
Osmar agradeceu, mas reafirmou que só vai tomar uma decisão após a aprovação da reforma política e das regras para a disputa do ano que vem, o que deve acontecer até o início de outubro. “Nós vamos analisar com muito carinho. Estou aguardando a reforma política para tomar uma decisão”, disse ele.

Assédio
O pedetista vem sendo assediado por diversas siglas. A lista inclui o “Podemos”, nova legenda de seu irmão e pré-candidato à Presidência da República, senador Alvaro Dias. Também está na disputa pelo “passe” do ex-senador o PSB – partido ligado ao grupo do governador Beto Richa (PSDB). Antes disso, Osmar já havia sido sondado pelo PMDB do presidente Michel Temer. E já recebeu também convites do DEM, PRB e PV.

Pacote
Os deputados estaduais aprovaram ontem mais um projeto do novo pacote de ajuste fiscal do governo Beto Richa (PSDB). A proposta prevê a concessão de diárias especiais para policiais militares que trabalharem em horário de folga. E também o pagamento de bônus para PMs da reserva que aceitarem voltar ao serviço. O projeto estabelece ainda a suspensão de realização de concursos para a contratação de policiais e bombeiros.

Gratificações
Outra medida polêmica do pacote é o que congela as gratificações de servidores, estabelecendo que futuros reajustes salariais incidirão apenas sobre o vencimento básico do funcionalismo. O governo alega que o novo ajuste permitirá uma economia de R$ 100 milhões ao ano para os cofres do Estado.

Supersalários
O deputado federal paranaense Rubens Bueno (PPS) vai integrar a comissão especial da Câmara que analisará o projeto que impõe limite aos salários acima do teto constitucional nos três Poderes, os chamados “supersalários”. O chamado “Projeto Extrateto” pretende impedir que adicionais incorporados ao salário elevem a remuneração acima do valor que é pago a um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). “Trata-se de uma iniciativa para barrar os privilégios e os supersalários no serviço público”, diz Bueno.

Obras
O Tribunal de Contas do Estado vai investigar a responsabilidade pela má qualidade de obras realizadas em Paranaguá com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Programa Integrado de Desenvolvimento Social e Urbano (Procidades) de Paranaguá. As obras incluem pavimentação de ruas, calçamento e drenagem de canais, além da construção de unidades de saúde, reforma e ampliação de escolas. O contrato foi assinado em 2011 com custo total US$ 37 milhões (aproximadamente R$ 116,55 milhões).

Erosão
A auditoria detectou pontos de erosão, drenagem ineficiente e pavimentação inadequada em parte das obras viárias. Segundo o TCE, as falhas detectadas comprometem a segurança dos usuários, por prejudicarem as condições de trafegabilidade e exigirem manutenções a curto e médio prazos.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate TV Assembleia
Política em Debate Clima eleitoral
Política em Debate Sem chance
Blogs
Ver na versão Desktop