Tríplice Coroa

Deu Lionel The Best na no Grande Prêmio Ipiranga

"O Doutor José Cid Campêlo Filho é um dos maiores entusiastas do turfe e das mídias que o divulgam. Então quando o programa Turfe na Cidade lançou a produção de moletons personalizados, ele pediu alguns com a foto de um potro que havia vencido na estreia. Seu nome: Lionel The Best

Passou alguns dias e eu - Leopoldo Scremin - fui entegá-los em seu escritório, quando depois de ser muito bem recepcionado, recebi a confissão/premonição do Dr. Cid: 'Leopoldo, vamos ganhar o Ipiranga com ele'. O tempo passou e hoje - para a nossa alegria - o fato se consumou."

Vários animais muito bons no campo do Grande Prêmio Ipiranga (G1), Primeira Prova da Tríplice Coroa Paulista, porém os mais badalados eram - com todo o merecimento - Dashing Court e Urso de Birigui. Ainda tinhamos ótimos nomes na carrreira, como Captain My Captain, Zabar's e Wil Myers, que fora levado por Dilson Antunes no "último furo". 

Dada a partida Urso de Birigui assumiu a primeira colocação. Saindo da baliza 08, Dashing Court acompanhava o ponteiro dois corpos atrás, o que causou certa estranheza. Na curva o restante do pelotão alcançou o até então líder da geração, que logo em seguida foi parado por seu piloto ao sofrer uma hemorragia (segundo informações do Serviço Veterinário do JCSP). 

Veio a reta final e, sem Dashing Court, parecia que a vitória de Urso de Birigui seria consumada em sua primeira apresentação na grama. Contudo, na altura dos 300 metros finais surgiu Lionel The Best - aquele da "premonição" - para em poucos metros dominar a prova e sair tirando vantagem para os demais. 

Wil Myers, que largou mal e Zabar's vieram disputando a dupla até o fim da prova, com Zabar's levando vantagem e ficando com o segundo posto. Urso de Birigui e Intergaláctico completaram o placar remunerado. 

Filho de Christine's Outlaw e Richezza Estrelada (Wild Event), Lionel The Best foi um dos potros mais caros do Leilão Criação Nacional de 2019, porém foi devolvido. Renegociado pelo Haras Palmerini - seu criador - defende as sedas do Stud My Hero Dad.

A pilotagem foi mais uma vez de Valmir Rocha, que já havia vencido a prova das potrancas com Fast Jet Court. O treinamento é de outro profissional exemplar e extremamente vencedor, Márcio Ferreira Gusso. O tempo foi de 1'33"160 para os 1.600 metros na grama leve.