Cinema

Dia dos Pais: oito pais marcantes em oito filmes

Agosto é o mês do Dia dos Pais. Como é o mês de número 8, o blog Coisa de Cinema selecionou oito pais marcantes da história do cinema.

Darth Vader. ‘O Império Contra-Ataca’ (1980)

A maior revelação feita em um filme na história do cinema é quando o vilão Darth Vader conta ao mocinho Luke Skywalker que é o pai dele (esse spoiler prescreveu). Isso foi momentos depois de cortar a mão do filho. E momentos antes de tentar passar uma conversa em Luke para atrai-lo ao lado sombrio da Força. Esses fatores e o caráter de Vader fazem com que ele provavelmente seja o pior pai da história. Ao menos, ele tem seu momento de redenção ao salvar Luke do maligno imperador Palpatine (em ‘O Retorno do Jedi’).

Michael Newman. Click (2006)

Michael Newman (Adam Sandler) é um arquiteto workaholic que falha como pai, ao negligenciar o crescimento dos filhos, e falha como filho, ao negligenciar o pai. O filme é comumente rotulado como “mais uma comédia com Adam Sandler”, já que a trama gira em tono do controle remoto que faz as suas vontades e estabelece suas prioridades. Mas as subcamadas alertam: o presente está passando e o futuro ninguém sabe. A cena em que Sandler se despede do pai é tocante.

John Tremont. Meu Pai uma Lição de Vida (1988)

John Tremont (Ted Danson) é um executivo superocupado (assim como o personagem de Adam Sandler em ‘Click’), mas que tem uma segunda chance de conviver com o pai (Jack Lemmon), quando descobre que ele tem pouco tempo de vida. O personagem de Danson é obrigado a cuidar do pai e aprende valores familiares como nunca havia feito antes – além de se divertir em ocasiões triviais, como jogar frisbee. Durante a convivência, Tremont ensina ao pai o valor da independência. E consegue se reaproximar do próprio filho (Ethan Hawke).

Vito Corleone. O Poderoso Chefão (1972)

Claro que, em se tratando de um chefão da máfia, sempre dá para questionar os métodos. O que não dá para questionar é a devoção de Vito Corleone (Marlon Brando) à família e aos filhos. Na verdade, tudo que ele faz é para protegê-los. Desde a rejeição à ideia de colocar o teimoso Sonny (James Caan) como herdeiro dos negócios até o eloquente discurso em proteção a Michael (Al Pacino) perante as famílias mafiosas dos Estados Unidos. Sonny não aprende com o pai, mas Michael aprende; e vira o novo Chefão.

Chris Gardner. À Procura da Felicidade (2006)

Que tal um pai que é largado pela mulher, que tem um filho pequeno, e que precisa se desdobrar para conseguir trabalhar (a cada dia, sem a certeza de uma remuneração), comer (a cada dia uma incerteza), dormir (a cada dia em um lugar, já que sua casa foi tomada)? Tudo isso sem descuidar do filho. Esse é Chris Gardner (Wil Smith) em ‘À Procura da Felicidade’, uma história real que mostra uma das pessoas mais dedicadas da história. Curiosidade: o filho de Gardner no filme é vivido por Jaden Smith, filho de Will Smith na vida real.

Jor-El e Jonathan Kent. Homem de Aço (2013)

O Superman tem dois excelentes pais. Jor-El (Russell Crowe), seu pai biológico, salvou sua vida ao colocá-lo, ainda bebê, numa nave para tirá-lo de um planeta à beira da explosão. Na Terra, ele teve o pai adotivo Jonathan Kent (Kevin Costner), que ensinou a retidão moral que norteia o caráter do herói (Imagine se o poderoso Superman fosse criado por um pai desajustado...). Na prática, ambos dão a vida para proteger o filho. ‘Homem de Aço’ consegue desenvolver melhor as relações pai e filho que o filme mais famoso do herói, ‘Superman’, de 1978.

Guido. A Vida é Bela (1998)

Para salvar seu filho, Giosué, de um destino terrível, como virar sabão nas mãos dos nazistas, Guido (Roberto Benigni) faz todos os tipos de sacrifícios possíveis dentro de um campo de concentração durante a segunda guerra mundial. Mas seu maior feito é estimular que o filho fique escondido nos meandros daquele inferno ao criar, para ele, uma espécie de gincana imaginária na qual o prêmio é um tanque de guerra. Impossível não se emocionar quando o menino diz: “É vero” ao fim do filme.

Mufasa.O Rei Leão (1994)

Mufasa é provavelmente o melhor pai da história do cinema. E não apenas porque se sacrifica para salvar o filho Simba em uma situação-limite (esse spoiler também prescreveu). Mas também porque ensina ao filho todas as lições fundamentais para se aprender: respeito a todas as criaturas (independente das características de cada um), responsabilidade, lealdade, sobrevivência, companheirismo e prudência, além do valor da vida. Curiosidade: o ator James Earl Jones, que dá voz ao melhor pai da história, também dá voz a Darth Vader, o pior pai.