Bom de Dica de Corrida

Publicidade

8 mitos sobre a corrida de rua

O ato de correr está cercado de informações que, embora pareçam, não são reais; veja algumas delas no texto abaixo

1. Correr detona as suas articulações

Joelho, tornozelo e quadril. Essas três partes do corpo são as que mais sofrem com o impacto da corrida de rua. O fortalecimento dos músculos relacionados a essas três articulações é fundamental para evitar lesões e manter um corredor saudável, garantindo que se possa envelhecer correndo. Por mais que se pense o contrário, as dores sentidas por muitos amadores nas articulações são mais reflexo da falta de força e de mobilidade e do desequilíbrio muscular do que o ato de correr propriamente dito. Há estudos, inclusive, que mostram que os incômodos no joelho são menos frequentes em pessoas que correm do que em sedentários.

2. Você deve se alongar antes de correr

Mais importante do que permanecer parado esticando os músculos das pernas, há o consenso de que é preciso se aquecer a partir de exercícios que simulem as movimentações da corrida, como elevação de joelho, exercícios educativos, polichinelos, entre outros. Esse aquecimento aumenta a circulação do sangue, fazendo com que os músculos estejam, de fato, preparados para a prática que virá a seguir.

3. Corredores não andam

Já fizemos um post específico sobre o assunto. Nós somos amadores e, se houver a necessidade de caminhar durante uma corrida, você deve fazê-lo. Esse momento, seja para tomar água ou como um período de descanso, pode aliviar incômodos e tornar a prática mais agradável em seus momentos mais difíceis.

4. Foda-se o pace

Aposto que você já viu camisetas ou posts em redes sociais com essa frase. Cada pessoa tem suas limitações, facilidades, disponibilidade para treinos, desejo de competir, entre outros pontos. O pace ou a distância não definem se você é um corredor.

5. “Você não é corredor se não tiver um corpo assim”

Muitos corredores iniciaram na prática buscando emagrecer. Com o passar do tempo, após provas mais longas e duras e um período de treinos mais consistente, tendem a estar mais fortes e magros. Mas isso não quer dizer que, se você não se enquadra nesse perfil corporal, você não pode ser um corredor.

6. “Você precisa correr mais rápido”

Há diferentes tipos e perfis de pessoas. Nem todos ficam se comparando em relação ao ano anterior e buscando resultados melhores. A verdade é que há pessoas que se deleitam com o simples prazer de correr.

7. Tirar uns dias de descanso vai interferir em seu condicionamento

Esse é um dos medos mais comuns dos corredores: “se eu descansar uns dias, vou perder velocidade e condicionamento”, dizem. Esse é um daqueles mitos sobre a prática. Independentemente do motivo, seja uma doença, lesão, vida pessoal ou profissional mais conturbada, estudos mostram que, nos primeiros 10 dias de inatividade, a queda do VO2 (capacidade máxima do corpo de transportar oxigênio) é muito baixa. Portanto, se tiver vontade ou necessidade de relaxar, faça-o sem sofrimento.

8. “Corredores não treinam membros superiores”

Embora as pernas sejam o principal elemento da corrida, os membros superiores têm papel preponderante também, especialmente o core (região do abdômen e costas). Dito isso, não pule os treinos de braços, abdômen, costas e ombros.

Quer saber se algo que você encontrou na internet é verdade ou mito? Entre em contato conosco.

Quem faz o blog

Vinicius Boreki – É jornalista e descobriu a corrida de rua como forma de perder peso e virou paixão. Minhas primeiras provas foram em 2011, ainda com 5 e 10 quilômetros. Parti para os 21 km em 2013 e permaneci nesta distância até 2015. Em 2016 e 2017, concluí os 42 quilômetros da Maratona de Curitiba. Meu propósito é finalizar uma maratona por ano a partir de agora. Maria Fernanda Takahashi – Formada em jornalismo, começou a correr em 2011 – contrariando a orientação dos médicos devido à uma protusão discal. Seguiu fazendo provas de 5 e 10 km até concluir suas primeiras meias maratonas no Rio de Janeiro, em São Paulo e na maratona de Curitiba, em 2017. Sofre com o cardio, não tem a pretensão de correr uma maratona, mas quer levar a corrida para a vida toda.

DESTAQUES DOS EDITORES