• Como realizar a gestão da informação e do conhecimento na empresa

    A ciência da informação tem registrado em sua história a mediação da relação existente entre a informação e o conhecimento em uma empresa. Nas décadas de 1940 a 1980, logo após o término da Segunda Guerra Mundial, em 1945, iniciou o desenvolvimento de ferramentas que possibilitavam a gerência da informação por meio do processamento, armazenagem e recuperação dos documentos textuais.  Período em que o computador surgiu para resolver esse tipo de problema, a administração e o controle de dados/informação.

    A partir da década de 1980 até 1995 o foco no desenvolvimento de tecnologias era destinado para a condição com que a informação era recebida pelas pessoas para que esta se transformasse em conhecimento significativo. Barreto em 2002 destaca que o foco nesse período era a sua “in-tensão”para gerar o conhecimento no indivíduo e consequentemente em sua realidade.

    Ou seja, dependendo de como as pessoas recebessem a informação, está poderia ser bem ou mal aproveitada. Surgindo a necessidade do aprendizado se desenvolver por meio de reflexão e pesquisa. Tornando os profissionais mais aptos para gerar conhecimento a partir das informações adquiridas em sua rotina de trabalho.

    Essa fase destaca as diferentes fases da Segunda para a Terceira Revolução Industrial. Na 2ª Revolução Industrial os trabalhadores eram meros repetidores de tarefas. A partir da 3ª Revolução Industrial os profissionais que não foram substituídos pela automação passaram a desempenhar papel mais atuante, assumindo decisões baseadas em informações. Decisões que eram realizadas a partir de reflexão e pesquisa.

    Após a década de 1990, inicia o desenvolvimento do conhecimento construído por meio da interação das pessoas. Com muito mais volume e diversidade de informações a construção do conhecimento é gerado por meio do uso da internet. Alterando rapidamente a condição de tempo e espaço de estoque das informações, e, por consequência a construção do conhecimento é gerado por meio da interação entre as pessoas na internet.

    Considerando que essa interação ocorre na internet em tempo real, a gestão do conhecimento de uma empresa precisa ser observada com muito cuidado, pois atualmente os erros podem acontecer em tempo real. E os concertos desses erros só ocorrem de forma ágil, se as informações estiverem sob monitoramento e controle constante.

    Diante dessa realidade, a sugestão é promover a construção do conhecimento da equipe por meio do uso de valores que auxiliem no processo de interação entre as pessoas de tal forma que esta ocorra com responsabilidade. E sob o aspecto do suporte ao ser humano para garantir o controle e monitoramento das informações em tempo real, a sugestão é a aquisição de tecnologias, como softwares que auxiliem na gestão dos dados existentes na empresa.

    Fonte:

    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392002000300010

    http://www.aprimorar.com/a-importancia-da-tecnologia-da-informacao-associada-a-gestao-empresarial

  • INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: como os profissionais podem garantir espaço no mundo do trabalho

    Fonte da Imagem: https://www.labmanager.com/leadership-and-staffing/2017/09/effective-knowledge-management-tools-and-techniques#.XUf0R-hKjIU

    A sociedade busca se desenvolver por meio de tecnologias que superam a capacidade intelectual dos seres humanos.  Conforme Ceballos e Duazary em 2018 demonstraram em pesquisa, os avanços tecnológicos voltados para o desenvolvimento da inteligência humana apresentam a melhora da capacidade intelectual das pessoas por meio de sistemas de Inteligência Artificial. Apesar de existir posicionamento divergente entre pesquisadores da área sobre o desenvolvimento dessa capacidade intelectual humana com sistemas de Inteligência Artificial, muitas pesquisas avançam nesse caminho.

    Essa busca pela evolução biológica, é uma das discussões levantadas por pesquisadores, e nos leva a reflexões sobre o que os estudos na área da Inteligência Artificial ainda não conseguiu superar em relação a Inteligência dos seres humanos. Apesar de muitas pessoas não perceberem que o grande diferencial dos profissionais no ambiente de trabalho não é a sua capacidade intelectual, mas sim a emocional. Capacidade essa, que os pesquisadores envolvidos com os sistemas de Inteligência Artificial ainda não conseguiram reproduzir nas máquinas ou em softwares. Tornando a Inteligência Emocional um dos mais fortes diferenciais competitivos no mundo do trabalho.

    Diante dessa realidade, ainda fica o questionamento para muitos: POR QUE AS EMOÇÕES SÃO IMPORTANTES NO MUNDO DO TRABALHO?

    A rotina do mundo do trabalho exige e muito, a capacidade emocional dos profissionais para perceberem como reagir em diferentes situações. As reações comportamentais criam ambientes positivos para o processo produtivo ou ao contrário, criam ambientes de extrema tensão que transforma o processo produtivo em uma condição de estresse permanente, levando profissionais a condições de problemas de saúde, como depressão, LER, DORT, entre outras.

    Diante dessa realidade, desenvolver a Inteligência Emocional é uma vantagem competitiva em qualquer área de atuação. Os desafios são grandes, e não há uma forma única para se desenvolver. Cada pessoa tem uma condição diferente de reagir emocionalmente. Essa capacidade exige uma construção constante, um auto aprimoramento que exige disciplina e reflexão sobre as próprias atitudes. Sendo esse o maior desafio. Refletir sobre as consequências de sua reação antes de realizar a sua ação comportamental, que normalmente se desenvolve por meio da expressão verbal e corporal.

    Para exercitar, procure reagir a comentários indelicados refletindo da mesma forma que faz quando escreve um texto para alguém. Sempre revisamos o texto antes de mandar um e-mail, por exemplo. Ou não? Da mesma forma, podemos reagir quando nos sentimos ofendidos. Refletindo sobre as consequências de nossos atos, antes de reagir a eles.

    Isso não quer dizer que precisamos aceitar ofensas e desrespeito. Apenas precisamos controlar as emoções e reagirmos com respeito, mesmo que não o percebemos na ação de quem nos deixou incomodado. Mesmo sendo desafiador, é possível adquirir esse hábito.

    Fonte:

    CEBALLOS, Salazar, DUAZARY, Alexander. La inteligencia artificial vs la Inteligencia humana. Revista internacional de Ciencias de la Salud, Vol.15. 2018. Disponível em: file:///C:/Users/Nicole/Downloads/Dialnet-LaInteligenciaArtificialVsLaInteligenciaHumana-6692327.pdf

  • AUTOMAÇÃO E ROBÓTICA: As vantagens e desafios para a sociedade

    Fonte imagem: https://iepec.com/abiec-e-ufsc-preparam-levantamento-sobre-uso-de-automacao-e-robotica-em-frigorificos/

    A Federação Internacional de Robótica (IFR) International Federation  of Robotics indica que desde 2015 está aumentando anualmente 15% da produção de robôs industriais. Essa condição de crescimento gera uma forte mudança na realidade de empregabilidade das pessoas.  Em contrapartida, surge grande interesse no conhecimento sobre automação e robótica.

    Existe uma grande confusão a respeito dos benefícios e prejuízos sociais e econômicos que a automação e robótica causam para a sociedade. A respeito dos benefícios, a substituição da máquina pelo trabalho dos seres humanos auxilia na melhora da qualidade de vida dos trabalhadores. Evitando que estes se desgastem física e psicologicamente com atividades repetitivas e que geram estresses pela pressão existente no processo produtivo em busca da qualidade total.

    Sob a perspectiva dos prejuízos, é visível o alto índice de desempregos que os diferentes países apresentam com a absorção de novas tecnologias no processo produtivo. Diante dessa realidade, a Educação pode ser considerada como a maior responsável por esse prejuízo, por não acompanhar a evolução tecnológica no mesmo ritmo.

    Apenas algumas Instituições Educacionais – IE apresentam os processos educacionais em condições de capacitar profissionais para acompanhar essa realidade produtiva tão dinâmica. As IEs precisam se desenvolver no mesmo ritmo que os processos produtivos. Precisam se tornar capazes de se adaptar em maior velocidade, provocando mudanças significativas na formação de colaboradores de uma empresa, auxiliando na condição de competitividade destas.

    A grande demanda das empresas que atuam no mercado mundial extremamente competitivo é o atendimento das expectativas dos clientes, com baixo custo e alta qualidade produtiva. Para melhor atender a essa demanda, a automação e a robótica estão em primeiro lugar.

    Para a International Organization for Standardization – IOS, os robôs são considerados como máquinas que realizam tarefas por meio do uso de softwares sem que haja interação com humanos. Existem diferentes tipos de robôs, conforme especificado na Tabela a seguir.

    Para melhor detalhar os diferentes tipos de robôs, estes são diferenciados por padrões estruturais e por sua vez, classificados pelas suas características estruturais e de movimento, conforme apresentado mo quadro a seguir.

    Segundo o Centro de Economia e Pesquisa de Negócios em 2017 foi identificado que a densidade robótica, representada por números de robôs por milhões de horas trabalhadas está associado a um aumento de 0,04% na produtividade do trabalho.

    Graetz e Michaels em 2015 apresentaram um estudo sobre essa densificação no período de 1993 a 2016. Indicando que nesse período houve um crescimento de 0,36 e 0,37 pontos percentuais em 17 países estudados. Representando 10% de crescimento, quando comparado com a contribuição total de 0,35% no crescimento anual de produtividade do trabalho com a tecnologia a vapor desenvolvida em 1850 e 1910.

    McKinsey Global Institute em 2017 informou que o investimento em robôs gerou 10% de crescimento do PIB per capita nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE. Seguindo essa lógica o aumento da metade desse investimento em automação, pode ser responsável por garantir o crescimento de 2,8% do PIB nos próximos 50 anos.

    Ficando para a Educação a responsabilidade de ser atuante na inovação de seus processos educacionais de maneira que estes promovam a condição de qualidade de vida para TODAS as pessoas, alterando a realidade atual, bem como a possibilidade futura de piorar o número alarmante de desempregados no planeta.

    Fonte:

    https://doi.org/10.29148/labor.v1i3.9286

    https://ifr.org/img/office/IFR_The_Impact_of_Robots_on_Employment.pdf

    http://cep.lse.ac.uk/pubs/download/dp1335.pdf 

    http://cidadejunior.org.br/Interna/8/aprendizagem

  • A Inteligência Artificial na Educação

    Fonte imagem: https://www.revistaeducacao.com.br/inteligencia-artificial-educacao/

    O desenvolvimento da Educação vem avançando em passos lentos no que diz respeito ao uso das tecnologias digitais. Algumas Instituições de Ensino estão aprimorando suas metodologias por meio do uso de ferramentas didáticas utilizando o conceito da nternet das Coisas - Internet of Things - IoT. Entre elas estão os livros impressos que possibilitam o acesso a vídeos didáticos por meio de sistema de QR code. Nesse sistema o estudante aproxima o seu smartphone do QR code e passa a ter acesso ao vídeo didático.

    Obando em 2018 destacou a necessidade das Escolas migrarem da aprendizagem analógica para a digital. Somado ao avanço das práticas metodológicas desenvolvidas em sala de aula pelos educadores, que precisam se atualizar nessa área para poder atender as demandas da sociedade globalizada digitalmente.

    Seguindo essa lógica, Salazar em 2018 comentou que o ambiente educacional precisa se adaptar à nova ordem digital da aprendizagem. As aulas de robótica dissociadas das outras disciplinas não são suficientes para atingir a preparação de cidadãos que vivem em uma sociedade digital. Considerando que as informações são transmitidas de diferentes lugares do planeta em tempo real, com segundos e/ou poucos minutos de diferença. O impacto social dessa realidade interfere significativamente na realidade desenvolvida em uma Instituição de Ensino.

    Costa em 2009 indicou que a heurística associada a IA pode auxiliar no desenvolvimento de soluções para casos ainda não solucionados. "O cérebro humano consiste de 1011 neurônios e realiza processamento inteligente de forma exata e subjetiva. A Inteligência Artificial (IA) tenta trazer para o mundo da computação digital a heurística dos sistemas biológicos de várias maneiras, mas, ainda resta muito para que isso seja concretizado. No entanto, algumas técnicas como Redes neurais artificiais e lógica fuzzy tem mostrado efetivas para resolver problemas complexos usando a heurística dos sistemas biológicos".

    Nessa trilha, SOUZA, SALLES, GAUCHE  em 2017 apresentaram uma pesquisa que indicou resultados positivos no uso da IA em aulas de Ciências por meio do uso de um software educacional com técnica desenvolvida em Raciocínio Qualitativo – QR. Utilizada na IA para “representar funções matemáticas por meio de raciocínio simbólico sem o uso de números e com relações de causalidade explicitamente modeladas”, auxilia na visualização exata dos efeitos de determinados fenômenos naturais no funcionamento dos sistemas sanitários de uma cidade. Esse software demonstra os efeitos da chuva em uma cidade, como a vazão dos rios, o tratamento da água e o abastecimento urbano.

    Mais que implementar novas tecnologias como a IA, as Instituições de Ensino precisam preparar os Educadores para que percebam as novas tecnologias como ferramentas que auxiliam no processo educacional, mas não substituem a atuação e sensibilidade do Educador para perceber as dificuldades individuais, sociais, culturais e outras de cada estudante. E a partir dessa percepção auxiliar os estudantes por meio de incentivo para a superação dos desafios que surgirem em cada etapa do processo de aprendizagem.

    Fonte: 

    https://revista.redipe.org/index.php/1/article/view/626/583

    https://doi.org/10.31921/doxacom.n27a15

    http://www.scielo.br/pdf/rbz/v38nspe/v38nspea38.pdf

    file:///C:/Users/Nicole/Downloads/6750-23302-2-PB.pdf

    http://cidadejunior.org.br/

  • A Inteligência Artificial é um risco ou uma solução para a sociedade?

    Fonte imagem: http://solocampo.com/inteligencia-artificial-para-una-nueva-agricultura/

    No segmento agrícola a Inteligência Artificial já é aplicada para gerar uma estimativa de volume de biodigestores, substituindo procedimentos convencionais e apresentando condições de previsibilidade futura.

    Já foi criado um sistema com o funcionamento similar ao de uma rede neural, reproduzindo a condição de pensamento analítico sob as perspectivas qualitativas e quantitativas. Essa condição de análise supera os resultados apresentados nos protocolos convencionais, pois apresenta elementos de complexidade, que na análise tradicional, ocorria apenas sob a perspectiva quantitativa.

    O grande diferencial da aplicação de um sistema que reproduza a forma de raciocínio humano é a sobreposição de padrões de dados coletados por meio de sensores específicos para a coleta destes, que, são organizados a partir de diferentes elementos, reproduzindo assim, a complexidade natural do pensamento humano.

    Essa capacidade analítica complexa realizada em tempo real com sistema de inteligência artificial, é viabilizado na área agrícola por meio da sistematização de processos utilizando a linguagem de programação. Essa realidade ultrapassa a condição de substituição do ser humano pela máquina. A Inteligência Artificial torna possível a condição do ser humano produzir por meio de controle do uso dos elementos da natureza pautado nos princípios da sustentabilidade.

    No entanto, isso depende de vontade e sentimento de proteção da vida no planeta para as próximas gerações. É reproduzido ou não pelo sistema de Inteligência Artificial, criado pelo ser humano, preocupado ou não, com a sustentabilidade do planeta em que vivemos. Sendo urgente a necessidade de refletirmos sobre a seguinte questão: o problema da humanidade está no desenvolvimento tecnológico em si, ou na falta de visão sistêmica pautada nos valores éticos no raciocínio de quem desenvolve os sistemas tecnológicos, como a Inteligência Artificial.

    Mais informações:

    https://www.thefreelibrary.com/Estimacion+del+volumen+de+un+Biodigestor+tipo+balon+usando+redes...-a0539258477

  • Benefícios e desafios da Inteligência Artificial para a humanidade

    Fonte imagem: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT129654-17770,00.html

    A Inteligência Artificial teve a sua origem em Dartmouth College (EUA) em 1956, sendo John McCarthy o líder das pesquisas realizadas sobre o tema. É considerada uma abordagem de engenharia, que utiliza a programação no computador para reproduzir habilidades humanas, como o raciocínio e as decisões com precisão.

    Para desenvolver essa proposta, são utilizadas muitas técnicas de outras áreas como por exemplo: a filosofia, a matemática, a psicologia, a linguística, entre outras que são aproveitadas conforme a necessidade do sistema de Inteligência Artificial que será produzido.

    Reconhecida como ciência, essa área tem como propósito criar máquinas que funcionem a partir de sistemas que reproduzem comportamento inteligente. Já são utilizados para controlar sistemas, desenvolver planejamento automático, responder a diagnósticos e consultas de consumidores, reconhecimento de escrita, reconhecimento de fala e reconhecimento de padrões. Sua aplicação já é frequente na economia, setores governamentais, exército, entretenimento, engenharia e medicina.

    Na medicina existem várias aplicações da Inteligência Artificial que auxiliam no desenvolvimento de diagnósticos e de correções físicas por meio de próteses inteligentes. Existem robôs que dão suporte aos médicos na realização de cirurgias menos invasivas, que agridem menos os pacientes. Reduzindo significativamente o período de recuperação dos pacientes, pois não há necessidade de realizar grandes cortes para corrigir algum problema, como ocorre normalmente em uma cirurgia onde existe a substituição de uma válvula do coração. Evitando principalmente o risco de contaminação.  

    Seguindo essa lógica, os hospitais já estão se preparando para receber os cirurgiões-robôs. E nesse sentido, é importante perceber que, apesar de parecer que as pessoas podem perder vagas de trabalho para robôs, a humanidade pode continuar se beneficiando dos avanços tecnológicos, DESDE QUE a Educação oferecida para a sociedade esteja alinhada com as questões voltadas para a sustentabilidade da vida no planeta.

    E consequentemente, esta Educação precisa ser desenvolvida por meio da construção do conhecimento para o desenvolvimento de novas tecnologias, pautando-se na reflexão sobre o uso desse conhecimento por meio dos valores éticos. Tornando viável a criação de robôs inteligentes que, de fato, auxiliem no desenvolvimento da humanidade, garantindo qualidade de vida para toda a sociedade.

    Mais informações:

    http://www.fesc.edu.co/Revistas/OJS/index.php/mundofesc/article/view/59/101

    http://www.scielo.br/pdf/rbem/v41n2/1981-5271-rbem-41-2-0185.pdf

  • TECNOLOGIA, TRABALHO E PROFISSIONAIS: a tríade perfeita

    Fonte imagem: https://malharbem.com.br/hora-de-mudar/

    Já é de conhecimento de muitas pessoas que as inovações tecnológicas estão tomando conta dos ambientes de trabalho há muito tempo. Especificamente há 50 anos a internet teve a sua origem, tornando viável a existência do ambiente digital com diferentes sistemas de dados funcionando de forma integrada e em alta velocidade.

    No entanto, apesar de tanta tecnologia, poucos profissionais que dominam esse segmento estão preocupados com a construção das relações profissionais. Alguns profissionais ainda acreditam que o conhecimento que detém é mais importante que as pessoas.

    É importante enfatizar que a Inteligência Artificial pode vir a ser algo destrutivo para a humanidade se os valores éticos estiverem dissociados das ações produzidas por essas inovações tecnológicas.  O conhecimento ser considerado mais importante que o ser humano é a comprovação da limitação desse conhecimento, pois falta  visão sistêmica.

    Quando os profissionais valorizam mais o próprio conhecimento do que o conhecimento de um grupo, este perde a capacidade de desenvolvimento sistêmico. Essa visão limitada dificulta a percepção desses profissionais no sentido de que as empresas e negócios se desenvolvem por meio de pessoas que utilizam as tecnologias, e não ao contrário.

    Ainda são as pessoas que escolhem quais tecnologias e quais profissionais permanecem em um grupo de trabalho. Nessa perspectiva, fica a dica: Subestimar as pessoas é a maior comprovação de fragilidade de desenvolvimento profissional. Isso porque, quem é muito bom não precisa desprezar as pessoas, muito menos o que as outras pessoas produzem.

    Essas pessoas com capacidade acima da média respeitam e valorizam todas as pessoas, pois sabem o quanto a diversidade de conhecimento, cultura e capacidades cognitivas enriquecem uma equipe de trabalho, sendo incoerente desmerecer alguém ou algo produzido por alguém.

  • Qual é o seu tempo?

    Fonte imagem: https://www.riotron.com.br/4-passos-para-organizar-a-sua-rotina-de-trabalho/

    No mundo do trabalho as pessoas são contratadas para desempenhar alguma ação que promova resultados positivos para a empresa. A partir dessa premissa, analise quantas ações você realiza diariamente que possibilitam a existência da sua empresa na vida dos clientes.

    É importante perceber quanto tempo você leva para realizar as suas ações produtivas diárias. Essa medida pode ajudar a melhorar o seu desempenho. Para tanto, é necessário analisar quanto tempo em média 10 pessoas levam para realizar a mesma atividade que você realiza. Se o resultado estiver próximo ao seu, ou satisfatório, ótimo! Continue assim!

    No entanto, se o resultado não estiver a contento, procure aumentar o seu ritmo gradativamente. É muito natural desenvolvermos ritmos diferentes de outras pessoas para realizar a mesma atividade ao longo de nossas vidas. Mas muitas vezes o problema não está na capacidade de realizar a atividade em ritmo mais rápido, mas sim, na capacidade de concentração. Evitando conversas paralelas e que não levam a melhoria do trabalho da equipe, como por exemplo, conversas em grupos de redes sociais, ajuda a melhorar o desempenho profissional.

    Nessa jornada diária, o importante é manter o foco nas atividades que precisa desempenhar, e com tranquilidade, aumentar o ritmo produtivo para verificar aos poucos a mudança do seu desempenho. Bom trabalho!

  • A INTERNET: Ambiente virtuoso para os negócios

    Fonte imagem: https://www.portalgsti.com.br/2016/09/a-internet-das-coisas-vai-invadir-sua-casa.html

    Quando analisamos a Internet, sob a perspectiva de seu período de existência, podemos dizer que estamos na fase inicial do funcionamento das coisas na Internet. Nesse contexto, muitos negócios podem surgir, simplesmente a partir do atendimento de demandas que surgem exclusivamente nas operações que existem na Internet.

    Ao considerar que a linguagem de programação é a ferramenta utilizada para tornar possível a realização de qualquer operação no ambiente digital, o conhecimento sobre linguagem de programação é um importante aliado para o desenvolvimento de qualquer negócio. 

    Há 30 anos esse conhecimento já era indicado como a profissão do futuro. A diferença de agora é que esse conhecimento precisa estar integrado com outra área de conhecimento. Atualmente, o simples conhecimento sobre programação, não é suficiente para desenvolver algo novo. Como qualquer processo criativo, a integração de diferentes conhecimentos pode gerar novos produtos e/ou serviços.

    Agrawal  em 2016 apresentou cinco grupos principais de negócios da Internet das Coisas – Internet of Things - IoT.

    • Fornecedores de dispositivo;
    • Operadores;
    • Provedores de plataforma;
    • Integradores de sistemas;
    • Provedores de aplicativos.

    Cada um desses grupos apresenta várias empresas dependendo da indústria-alvo. E cada um dos negócios apresenta uma força única para promover a IoT, mas nem todos estão com as mesmas condições competitivas.

    Cada modelo representa as forças ou fraquezas de cada grupo que ajudam a evoluir os modelos de negócios da Internet. A partir dessa realidade competitiva, a parceria é considerada o elemento que dá sustentabilidade aos negócios de IoT.

    Nessa perspectiva, a integração de diferentes conhecimentos ou expertises, por meio de parcerias firmadas entre profissionais e/ou empresas, promovem a sustentabilidade de novos negócios. Isso pode ser facilmente evidenciado, quando determinado tipo de inovação é criada para atender determinados nichos.

    Esses tipos de negócio, podem demorar para expandir, e normalmente apresentam características de negócios de risco. Mas com as parcerias, a viabilidade do negócio se concretiza e torna possível a realização de sonhos como aconteceu com Jack Ma do Alibaba. Depois de muito trabalho, com uma nova proposta de negócio, ficou milionário.

     

    AGRAWAL, Mohit. Internet of Things – Business Model. Telecom Circle.  (2016) último acesso em 03/07/2019. Disponível em: http://www.telecomcircle.com/2016/05/internet-of-things-business-models/

  • SOCIEDADE 5.0 = Inovação com qualidade de vida

    O conceito de sociedade 5.0 remete a ideia de desenvolvimento da sociedade a partir do uso das inovações tecnológicas em benefício da sociedade. Nesse sentido, as mudanças que estão ocorrendo nas rotinas de trabalho podem caminhar para essa realidade.

    Se considerarmos que todas as inovações tecnológicas serão criadas pensando nas consequências que estas podem gerar para a vida no planeta, podemos acreditar que o futuro da sociedade será produtivo e positivo. Nessa linha, podemos citar a bicicleta como uma inovação tecnológica criada em 1870 na França, conhecida na época como “celerífero”, e após séculos de inovação, em 2010 é reconhecida pela ONU como o símbolo mundial do transporte sustentável.

    Sob esta perspectiva algumas ações vêm sendo realizadas no Paraná e, entre elas, está em destaque o Programa de Extensão CICLOVIDA da UFPR, coordenado por José Carlos Assunção Belotto desde a década de 2000. O Programa de Extensão CICLOVIDA demonstra por meio de várias pesquisas realizadas acerca do uso da bicicleta quais sã as vantagens sob diferentes perspectivas.

    No que se refere a saúde, Belotto em 2016 indicou que a cultura no uso da bicicleta, por ser uma prática de atividade física, apresenta benefícios como o combate ao estresse e depressão, emagrece, melhora a qualidade do sono, reduz colesterol, evita o infarto, diminui a pressão arterial, aumenta a imunidade e melhora a respiração.

    Entre outros fatores que promovem benefícios ao ser humano no uso da bicicleta, está a interação entre as pessoas, não produz poluição sonora e na perspectiva ecológica, não emite gases.

    Com essas vantagens, podemos considerar que o uso da bicicleta em nossas rotinas diárias seja como atividade física ou como meio de transporte, pode ser reconhecido como o início dessa prática de trabalho com qualidade de vida. Isso porque, quando adotamos a cultura do “home office”, sobra mais tempo para a prática de atividade física que pode ser realizada por meio da bicicleta.

    Nesse contexto, também pode ser identificada a possibilidade do uso da bicicleta como meio de transporte, garantindo momentos de qualidade de vida, construídos na rotina das pessoas no percurso para o trabalho ou para os estudos. Tornando possível ao ser humano vivenciar rotinas com características encontradas no conceito da SOCIEDADE 5.0.

    Fonte: http://www.ciclovida.ufpr.br/

    Fonte imagem:  http://www.esportividade.com.br/breve-historia-da-bicicleta-parte-i/

     

  • ATITUDES & VALORES: Os objetivos da empresa que trabalha ou pretende trabalhar são os mesmos que os seus?

    Apesar de todas as inovações tecnológicas que estão surgindo e alterando as rotinas de trabalho em todos os lugares do planeta, existe uma coisa que não mudará nas relações de trabalho. O valor CONFIANÇA.

    Muitas pessoas ainda acreditam que a competência profissional está dissociada dos valores éticos. Isso ainda é perceptível em situações que presenciamos diariamente. Seja no próprio ambiente de trabalho ou em ambientes que frequentamos.

    Muitas pessoas esquecem que antes de um Certificado ou de um Contrato existe o valor da pessoa humana. Esse valor faz parte da essência dos relacionamentos. Muitos conhecem essa ideia a partir do conceito de ética. Apesar das teorias filosóficas, que estudam os princípios ou valores éticos, apresentarem diferentes perspectivas para analisar as atitudes humanas. Duas dimensões são muito claras nessa análise. A dimensão individual e a dimensão social.

    Seguindo essa lógica, é muito fácil perceber que algumas pessoas esquecem que as relações de trabalho normalmente se desenvolvem por meio da dimensão social. Isso quer dizer que, garantir o cumprimento das regras de convivência de uma empresa, bem como trabalhar para auxiliar os colegas a alcançar juntos o sucesso desta mesma, é o mínimo que uma pessoa precisa fazer se quiser se tornar parte importante de uma equipe de trabalho.

    Trabalho em equipe requer confiança em todos os sentidos, inclusive nos objetivos que se pretende alcançar. Esses objetivos sempre são alcançados e ficam visíveis com o passar do tempo. Muito mais visíveis ficam, quando estes são diferentes da equipe de profissionais que trabalham em função do sucesso da empresa.

    A partir dessa premissa, fica a reflexão: OS OBJETIVOS DA EMPRESA QUE VOCÊ TRABALHA OU PRETENDE TRABALHAR SÃO OS MESMOS QUE OS SEUS?

    Se não são os mesmos objetivos, procure uma empresa que possua uma equipe com os mesmos propósitos que você, pois todos ganharão com a sua presença lá. Inclusive você.

    Fonte: https://exame.abril.com.br/carreira/os-pilares-da-confianca-no-trabalho-e-como-construi-los/

    http://cidadejunior.org.br/Interna/8/aprendizagem

  • O que está mudando na rotina dos profissionais com a nova revolução industrial

    As mudanças que ocorrem na rotina das pessoas com as inovações que estão surgindo a partir do conceito da Industria 4.0  são em muitos casos imperceptíveis, visto que as atividades com o uso da internet estão invadindo as nossas vidas desde os últimos 20 anos. No entanto, a nova revolução industrial apresenta algumas características próprias, que estão muito além do simples uso da internet para realizar a comunicação entre as pessoas.

    A Indústria 4.0 tem como característica principal o uso da tecnologia 5.0, a qual dá suporte para a transferência de grande volume de dados e em alta velocidade. Essa condição possibilita que várias atividades sejam realizadas pela internet por meio do uso de softwares que otimizam o tempo na realização de atividades da gestão de informações que normalmente são realizadas por pessoas.

    Essa realidade torna a rotina de trabalho mais ágil e consequentemente modifica o número de pessoas necessárias para realizar tais funções. O que significa que os profissionais precisam se atualizar em conhecimentos que envolvem essas novas rotinas de trabalho e a partir delas se desenvolverem profissionalmente. Do contrário terão pouco espaço no mercado de trabalho para atuar.

    Podem inclusive, criar novos serviços e/ou produtos quando entenderem como isso tudo funciona. Como também podem se adaptar a essa nova realidade por meio do uso dessas novas ferramentas de gestão que já estão disponíveis para as empresas em que trabalham.

    Estamos vivendo em um período de transição em que as rotinas de trabalho no ambiente administrativo estão sofrendo a mesma realidade que a linha de produção sofreu na década de 1970. Quando as pessoas foram substituídas pelos sistemas automatizados e robôs.  Agora todos os setores administrativos de uma empresa estão organizados e podendo ser gerenciados por meio de softwares com a tecnologia 5.0, capazes de garantir o fluxo de todos os dados de uma empresa com filiais espalhadas pelo planeta.

    Isso quer dizer, que poucas pessoas serão necessárias para fazer uma empresa ou uma grande indústria funcionar como funciona até o momento. O que os profissionais precisam fazer com essa nova realidade é entender como isso tudo funciona e começar logo a se adaptar a essa nova realidade, tornando-se parte dela, criando novos produtos ou soluções para o que está sendo criado e identificar o que ainda pode ser melhorado.

    Fonte imagem: https://www.menosfios.com/itu-diz-que-5g-ainda-nao-e-uma-necessidade-imediata/

    http://cidadejunior.org.br/ 

  • INTELIGÊNCIA COLABORATIVA: capacidade que faz profissionais se destacarem no mundo do trabalho

    Fonte: http://www.planesdeformacion.es/la-inteligencia-colaborativa-polo-productividad/

    Todas as equipes de profissionais, independente da área de atuação apresentam diferentes padrões culturais, sociais e econômicos. Essas diferenças podem ser consideradas como reflexo da riqueza e potencial de desenvolvimento desses grupos. Mas a inteligência colaborativa, citada por Pedro Calabrez em 2019, indica que a capacidade de seus pofisisonais colaborarem uns com os outros  está associada a confiança e é isso que promove a melhor condição de crescimento das empresas.

    Nesse aspecto, o grande desafio das empresas está em identificar talentos que estejam engajados com o propósito da empresa e que colaborem com o desenvolvimento do propósito da empresa.

    Conforme pesquisa realizada por Paul Zak, PhD em Economia e fundador do campo de estudo Neuroeconomia, na qual mediu o nível de confiança dos profissionais nas empresas e verificou que as empresas com melhor resultado econômico apresentam profissionais que confiam em suas lideranças e empresas e apresentam melhor desempenho em sua atuação correspondendo a:

    + 106% de energia;

    + 76% de engajamento;

    + 50% de produtividade;

    + 60% de satisfação;

    + 41% de percepção de conquista;

    + 66% de proximidade dos colegas;

    + 70% de alinhamento com o propósito da empresa;

    + 50% de intenção de permanência;

    + 88% que recomendam a empresa.

    Com esse resultado podemos perceber que a confiança é um fator importantíssimo para o desempenho de uma equipe de profissionais. Isso explica porque muitos  profissionais com grande conhecimento técnico, não conseguem permanecer em equipes de trabalho, pois em seu comportamento demonstram a dificuldade de confiar e de colaborar com outras pessoas. Essa lógica se aplica a todos os níveis de atuação produtiva.

    Nessa trilha, a confiança gera a participação colaborativa de todos os membros de uma equipe, sendo fundamental para que os processos gerenciais e/ou produtivos de uma empresa se desenvolvam de maneira tranquila, garantindo a harmonia do ambiente de trabalho.

    A partir dessas informações vale a pena refletir sobre como está a sua atuação na empresa em que trabalha: você gera confiança e/ou confia na empresa e, consequentemente, colabora com o propósito da empresa?

    Fonte: https://www.youtube.com/watch?time_continue=1858&v=HrkyluNERTA

  • INTERNET DAS COISAS: Agora o Brasil tem um Plano Nacional

    Fonte: http://blog.netwall.com.br/a-sua-rede-esta-se-preparando-para-a-internet-das-coisas/

    O mundo do trabalho no Brasil está com o Plano Nacional da Internet das Coisas que traz a regulamentação da produção de equipamentos como sensores, controladores, câmaras inteligentes, e incontáveis tecnologias que estão sendo produzidas para utilizar frequências de comunicação no Brasil. Para tanto, a ANATEL ficará com a responsabilidade de validar essas tecnologias que serão produzidas e comercializadas em nosso pais.

    Entre as tecnologias que usam o conceito de Internet das Coisas “Internet of Things – IoT” , identificamos os dispositivos conectados, como eletrodomésticos inteligentes, televisores, assistentes pessoais, impressoras, roteadores e todos aparelhos com inteligência artificial ou automação residencial que auxiliam as pessoas em suas rotinas diárias por meio da conexão com a internet.

    Esse Plano Nacional da Internet das Coisas foi publicado a partir de um Decreto Presidencial no dia 25 de junho deste ano, com a finalidade de promover o desenvolvimento de novas tecnologias com esse conceito, garantindo os direitos e deveres de quem produz e de quem consome.

    Com essa normatização, os setores que estarão fortemente focados no processo produtivo utilizando a programação computacional, associada a máquinas são o agronegócio, saúde, cidades inteligentes e indústria.

    Com essa realidade a qualificação profissional precisa ser direcionada para essa lógica produtiva, pois do contrário muitas vagas de trabalho ficarão sem preenchimento e consequentemente milhares de cidadãos desempregados.

    Mais informações:

    https://canaltech.com.br/inovacao/samsung-diz-que-em-cinco-anos-ninguem-mais-usara-smartphones-143115/

    https://canaltech.com.br/internet-das-coisas/decreto-instaura-o-plano-nacional-de-internet-das-coisas-142751/

    http://cidadejunior.org.br/Interna/8/aprendizagem

  • GESTÃO DE PESSOAS: Uma estratégia Lean centrada nas pessoas

    Fonte: https://www.parlonslean.com/animer-une-equipe-de-projet-lean-6-sigma

    Os processos administrativos e produtivos apresentam rotinas de trabalho complexas e que necessitam de monitoramento constante para que os ajustes, quando necessários possam ser realizados a tempo de evitar falhas e garanti a qualidade dos serviços e produtos.  Entre os elementos fundamentais para o desenvolvimento de uma equipe a partir do conceito Lean “enxuto”, uma empresa pode garantir o melhor desempenho destes profissionais por meio da aplicação das seguintes ações de gestão de pessoas:

    1 – Engajamento da equipe – identificar o quanto os profissionais estão interessados nos objetivos e estratégias estabelecidas pela diretoria da empresa;

    2 – Comunicação direta – definir procedimentos ou tecnologias que auxiliem na comunicação entre todos os profissionais da empresa, no sentido de possibilitar o acesso de todos a todos para apresentar suas sugestões de melhoria e/ou suas dificuldades para os membros da diretoria da empresa;

    3 – Incentivo ao aprimoramento profissional – Auxiliar os profissionais a frequentarem cursos de qualificação profissional que possibilitem a melhora de seu desempenho nas demandas da empresa, adequando a jornada de trabalho e/ou subsidiando parte do custo da qualificação profissional;

    4 – Apresentar as condições de promoção – apresentar aos profissionais da empresa as condições de crescimento profissional, como por exemplo: considerar a promoção de cargo por meio de 30% de experiência, enquanto 70% sobre as habilidades do profissional;

    5 – Uso de sistema meritocrático – Essa condição indica tanto o elemento de promoção de cargos, como também o de salários, ou seja, quanto maior o salário e o cargo, maior são as responsabilidades e habilidades para desempenhar as suas funções.

    Praticamente todos esses itens são de conhecimento da maioria das pessoas. No entanto, o grande desafio das empresas está na conscientização dos profissionais acerca do seu compromisso com os interesses da empresa.

    É muito importante para o profissional e para a empresa que os interesses sejam os mesmos. Do contrário, nenhuma política interna de apoio aos profissionais atenderá as demandas destes, e consequentemente aos interesses de crescimento da empresa.

    Mais informações:

    https://planet-lean.com/people-centric-lean-hr-deutz/

    http://cidadejunior.org.br/Interna/8/aprendizagem

  • A LOGÍSTICA DE TRANSPORTE NO BRASIL: avanços no modal ferroviário


    Fonte: https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/50533-ferrovia-norte-sul 

    A logística de transporte no Brasil ainda está muito distante do ideal se compararmos com a capacidade da logística de transporte de países como os Estados Unidos. No entanto, o Brasil já apresenta sinais de avanços em transporte logístico por meio dos trens com sistema de tração distribuída. 

    A privatização, concessão e delegação de serviços públicos de transporte a Estados, Municípios e iniciativa privada apresenta uma perspectiva positiva para a logística de transporte brasileira. Essa iniciativa tem o objetivo de desonerar o Estado, melhorar a alocação de recursos, aumentar a eficiência operacional, fomentar o desenvolvimento do mercado de transportes; e melhorar a qualidade dos serviços.

    Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, o Programa Nacional apresenta as seguintes Concessões Ferroviárias: Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A., Ferrovia Centro-Atlântica S.A., Ferrovia Norte Sul (FNSTN e FNSTC)- VALEC S.A., Ferrovia Tereza Cristina S.A., Ferrovia Transnordestina Logística S.A., MRS Logística S.A., Rumo Malha Norte S.A., Rumo Malha Oeste S.A., Rumo Malha Paulista S.A., Rumo Malha Sul S.A., Transnordestina Logistica S.A., VALE - Estrada de Ferro Carajás, VALE - Estrada de Ferro Vitória a Minas, VALEC S.A. - Ferrovia de Integração Oeste-Leste.

    Desde 2012 a Ferrovia Norte-Sul está em funcionamento e de acordo com Célio Cesar Ramos muitas empresas que atuam no segmento de minério de ferro, manganês, grãos e combustível foram instaladas na região industrial de Porto Nacional, Tocantins vislumbrando melhores condições de negócios por meio dessa linha ferrea. Para atender a toda essa demanda, no Brasil empresas como MRS, VALE, RUMO e VLI e outras adotaram o sistema LOCOTROL.

    Fonte: https://model-railroad-hobbyist.com/node/12637

    O LOCOTROL apresenta sistema de comunicação via rádio comandado por software. Essa tecnologia apresenta como diferencial um sistema em que o  trem possui múltiplas locomotivas distribuídas ao longo de si. Na locomotiva líder existe o controle da comunicação realizada com as locomotivas distribuídas ao longo do trem que retornam os sinais para a locomotiva líder a cada 20 segundos.

    Esse sistema possibilita reunir até 300 vagões. Podendo ter 160 vagões, com extensão de até 3 km para cada locomotiva distribuída. Essa tecnologia amplia a capacidade de transporte de produtos ao longo das ferrovias com alto nível de segurança. 

    A nova geração de tecnologia no segmento ferroviário apresenta muitas vantagens para a expansão do modal ferroviário, e na ordem de sustentabilidade a preservação da natureza é garantida pois seus trilhos são suspensos. Otimizando custos conisderáveis e garantindo a qualidade de vida de quem trabalha na construção dessa linha ferrea e do nosso planeta.

    Fonte: http://www.uniskyusa.com/2017/10/01/skyway-technology-intellectual-property-protection/

    Atualmente a versão de trem mais moderna é a SKYWAY. Neste ano Dubai contratou a extensão de 15 km de transporte urbano com uso da tecnologia SKYWAY. Aguardamos novidades para o Brasil, especialmente no Paraná.

     

    Mais informações:

    https://www.youtube.com/watch?v=Ak0F164TDMg&feature=youtu.be

    file:///C:/Users/Nicole/Downloads/mapa__subsistema_ferroviario_federal_a0.pdf

    https://conexaoto.com.br/2013/12/10/distribuidora-de-combustivel-instalada-em-luzimangues-vai-abastecer-toda-regiao-amazonica

    https://conexaoto.com.br/2011/06/20/br-distribuidora-inicia-obra-de-r-200-milhoes-no-patio-ferroviario-de-palmas

    https://steemit.com/skyway/@opportunity4u/investments-in-your-future-introduction-to-the-skyway-technology

    http://www.uniskyusa.com/2017/10/01/skyway-technology-intellectual-property-protection/

    https://rsw-systems.com/news/skyway-dubai-uae

  • PLATAFORMAS DIGITAIS: a nova tendência no desenvolvimento de serviços

    Fonte:https://www.journaldunet.com/web-tech/developpeur/1168393-langages-web-infrastructures-javascript-utilises-en-2015/

    Atualmente muitas empresas com experiência reconhecida no mercado estão migrando para o desenvolvimento de seus serviços em plataforma digital baseada em tecnologias computacionais. Esse sistema somado a colaboração dos participantes no processo possibilita reduzir os custos do fornecedor e consequentemente do cliente.

    As interações construídas a partir do uso dessas plataformas auxiliam as empresas e clientes a se desenvolverem em outras atividades. A redução do tempo destinado aos processos que antes eram realizados presencialmente, somado a segurança dos dados garantida por meio da lógica de gestão de informação, torna a migração do atendimento de clientes por meio de plataformas digitais algo muito rentável e necessário para a fidelização de clientes.

    Como exemplo podemos citar a Plataforma e-Social do Governo Federal. Um novo sistema de registro, elaborado pelo Governo Federal para facilitar a administração de informações relativas aos trabalhadores.

    Acompanhado deste sistema outros serviços relacionados, como a Plataforma PPRABRASIL que resolve a rotina de emissão de PPRA (qualitativo) PCMSO e PPP, promovendo a Integração com o e-Social, a utilização fácil e rápida do sistema, o preenchimento automático dos dados, maior agilidade nos processos, resultado em tempo reduzido e eficiência na gestão dos dados.

    Seguindo essa lógica, a Internet está atraindo muitas empresas, pois representa um ambiente com infinitas possibilidades para melhorar o desempenho das atividades de gestão, de produção e de logística das empresas. Podendo explorar diferentes condições de atendimento de demandas específicas, garantindo melhores experiências de seus clientes com seus produtos e serviços.

    A partir de arquiteturas de Tecnologia da Informação, a onda digital apoiada na tecnologia 5G apresenta uma enorme capacidade de suprir as demandas de otimização de tempo e de custos para as empresas que aproveitarem esse ambiente para crescerem economicamente. Esse é o melhor momento para as empresas iniciarem a migração para o ambiente digital. As empresas que demorarem para realizar essa migração poderão encontrar dificuldades para acompanhar a onda que já está passando.

    Mais informações:

    https://www.equinix.com.br/

    https://portal.esocial.gov.br/institucional/conheca-o

    https://www.pprabrasil.com.br/

     

  • Inteligência Artificial: como a sua empresa está interagindo com essa tecnologia?

    Fonte: https://topesdegama.com/noticias/movil/inteligencia-artificial-nace-huawei

    Muitas empresas já estão aproveitando as facilidades desenvolvidas pelas inovações tecnológicas e entre elas está a Inteligência Artificial – IA. Criada para potencializar os resultados obtidos em atividades que exigem inteligência e que estão substituindo atividades executadas por pessoas.

    Apesar da IA ser mais associada ao uso em robôs, muitas atividades que dependem do raciocínio humano já foram substituídas por sistemas de dados que funcionam por meio de IA. Entre tantos exemplos podemos identificar os sistemas de controle de dados como o ComprasNet, sistema eletrônico de compras governamentais.

    Essa solução otimiza o tempo dos profissionais envolvidos, pois todos os dados que estão na internet e conectados ao sistema de pregão eletrônico do governo são acessados em tempo real pelo pregoeiro e pelo Tribunal de Contas da União e da Controladoria Geral da União.

    Essa velocidade e precisão das respostas geradas pela IA auxiliam os profissionais envolvidos com as atividades, melhorando o desempenho destes com menor tempo de execução.

    É importante perceber que o fato da IA substituir o ser humano na execução de atividades que exigem a inteligência, o trabalho ainda assim existirá e automaticamente criam-se novas atividades produtivas que ainda não são supridas pela IA.

    No entanto, para acompanhar essa rotina acelerada de lançamento de novas tecnologias que substituem os seres humanos em determinadas tarefas, a rotina de como e o que aprender precisa ser modificada. Afinal, quanto mais tecnologias embarcadas forem criadas, mais demandas de suporte para essas inovações serão necessárias.

    Saber como aproveitar essa realidade obtendo proveito econômico dela será a chance de sustentabilidade das empresas com essa onda digital que está tomando conta da sociedade mundial. Por isso é importante analisar como a sua empresa está interagindo com os sistemas que funcionam por meio da Inteligência Artificial.

    Mais informações:

    http://exatopsistemas.com.br/governo-redesenha-comprasnet-com-inteligencia-artificial-e-unificacao-de-bases/

    http://dspace.ceu.es/bitstream/10637/9889/1/%28ES%29%20Monogr%C3%A1fico%204.pdf

  • Varejo 4.0: principais desafios

    Fonte: https://vivanticplus.com/apps-compras-online/

    O varejo atual é desenvolvido por meio da complementação de negócios realizados em ambiente digital. As empresas já estão se organizando com as suas equipes de trabalho para realizar essa transição de atendimento físico para o virtual, sem perder a qualidade do atendimento físico. Isso porque o atendimento dos clientes em multicanais é necessário para dar sustentabilidade ao negócio.

    Para realizar essa ampliação de atendimento dos clientes por meio de ambiente digital é necessário investir em tecnologia e qualificação profissional para garantir o atendimento das necessidades dos clientes. Entre os desafios nesse processo estão:

    1 – Entender o quanto o ambiente digital é necessário ou não para o seu negócio;

    2 – Saber qual é o melhor modelo de negócio no ambiente digital;

    3 – Perceber qual é a sua vantagem competitiva no ambiente digital;

    4 – Aprender como usar as tecnologias e a Internet das coisas para melhor se conectar com os clientes;

    5 – Reinventar a sua lógica de gestão para se preparar para o atendimento digital;

    6 – Analisar como a sua equipe poderá fazer essa transformação acontecer.

    Essa mudança está ocorrendo em muitas empresas e quanto antes a sua empresa caminhar para essa direção mais chances de sucesso nos negócios terá. A primeira análise que precisa ser feita é: Identificar qual o percentual de receitas que está em situação de risco, considerando que seus clientes estão migrando para o ambiente digital/internet.

    Em segundo lugar a empresa precisa definir qual modelo digital será melhor para apresentar melhores experiências para os seus clientes.  A terceira ação é identificar a origem de seu diferencial de negócio. Na sequência definir as estratégias de gestão no ambiente digital. Em quinto lugar, garantir o fortalecimento das capacidades organizacionais. E fundamental para o sucesso do negócio, investir em qualificação profissional.

    Mais informações:

    WELL Peter e WOERNER, Sttephanie L. Qual o seu Modelo Digital de Negócio? São Paulo. M. Books do Brasil. Editora Ltda. 2019. 

    https://www.revistas.usp.br/rege/article/view/147523/141042

    file:///C:/Users/Nicole/Downloads/documentop.com_modelos-de-negocio-disruptivos_5a255aef1723dd41da2ec6a6.pdf 

    https://newtrade.com.br/tecnologia/as-20-tecnologias-de-varejo-mais-promissoras-para-2018/

    https://dcomercio.com.br/categoria/inovacao/loja-4-0-por-dentro-do-varejo-da-era-digital

     

  • Como você está monitorando os resultados da sua empresa?

    Fonte: https://trends.rmacomunicacao.com.br/monitoramento-de-midia-os-olhos-e-ouvidos-da-sua-marca

    Todas as ações produtivas realizadas em uma empresa acontecem porque tem uma finalidade no desenvolvimento dos negócios. Identificar se estas atividades estão apresentando os resultados esperados, é uma oportunidade para melhorar os resultados do negócio. Nesse caso, acompanhar os resultados das atividades realizadas na empresa é considerado como monitoramento de resultados.

    O monitoramento de resultados depende de ações, como a definição dos indicadores de análise dos dados, a coleta dos dados. Para definir quais dados coletar, precisa identificar quais itens permitem verificar os resultados que se pretende observar. Segue um exemplo de Monitoramento de dapos:

    Fonte: https://vigilanciasocialpinda.wordpress.com/tag/painel/

    Desta forma, para iniciar o monitoramento e organizar um painel ou quadro de monitoramento de resultados precisa:

    1º -  Definição do programa ou atividade a ser monitorado, seus objetivos, suas ações, sua lógica de intervenção;

    2º - Definição dos eixos analíticos e definição das unidades de análise (elementos que se pretende observar) – período e elemento que será observado);

    3º - Coleta de dados e indicadores de contexto;

    4º - Coleta dos indicadores da atividade que se pretende monitorar;

    5º - Construção do painel de indicadores na forma de gráficos para análise comparativa dos dados com indicadores de período de análise e do elemento observado (indicador).

    Importante destacar que os indicadores precisam apresentar informações simples, que sejam comparáveis, viáveis de mensurar, que tenham confiabilidade e que representem a realidade. Esses dados precisam estar em condições de verificação de maneira que se alguém precisar confirmar os dados, estes estarão disponíveis em algum documento ou sistema de integração de dados. O Excel é um uma ferramenta muito boa para o lançamento e monitoramento de dados, pois apresenta ferramentas estruturadas para que a visualização dos dados seja apresentada em diferentes gráficos.

    Exemplo de quadro de monitoramento:

    Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/334008/

    Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/7320814/

    Após a verificação dos dados é importante realizar a avaliação dos resultados, verificando se os objetivos estão sendo atingidos com a execução das atividades, ações, sistemas, processos e/ou outros elementos observados.

    Na sequência, com base nos resultados identificados é muito importante realizar as adequações necessárias para que as ações, atividades, processos e/ou outros elementos observados sejam melhorados ou mantenham-se em execução da maneira como estão, pois seus resultados estão atingindo os objetivos propostos.

    Mais informações:

    http://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/992/1/SOUSA%2C%20Marconi%20Fernandes%20-%20Conceitos%20B%C3%A1sicos%20de%20Monitoramento%20e%20Avalia%C3%A7%C3%A3o.pdf

    https://estado.rs.gov.br/concluido-o-monitoramento-de-resultados-da-area-da-administracao-e-recursos-humanos

    https://aplicacoes.mds.gov.br/sagirmps/ferramentas/TemplateHTML/PDFs/Most/mostport.pdf

    http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/56592/pdf_34

     

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES