• Inteligência Artificial: como a sua empresa está interagindo com essa tecnologia?

    Fonte: https://topesdegama.com/noticias/movil/inteligencia-artificial-nace-huawei

    Muitas empresas já estão aproveitando as facilidades desenvolvidas pelas inovações tecnológicas e entre elas está a Inteligência Artificial – IA. Criada para potencializar os resultados obtidos em atividades que exigem inteligência e que estão substituindo atividades executadas por pessoas.

    Apesar da IA ser mais associada ao uso em robôs, muitas atividades que dependem do raciocínio humano já foram substituídas por sistemas de dados que funcionam por meio de IA. Entre tantos exemplos podemos identificar os sistemas de controle de dados como o ComprasNet, sistema eletrônico de compras governamentais.

    Essa solução otimiza o tempo dos profissionais envolvidos, pois todos os dados que estão na internet e conectados ao sistema de pregão eletrônico do governo são acessados em tempo real pelo pregoeiro e pelo Tribunal de Contas da União e da Controladoria Geral da União.

    Essa velocidade e precisão das respostas geradas pela IA auxiliam os profissionais envolvidos com as atividades, melhorando o desempenho destes com menor tempo de execução.

    É importante perceber que o fato da IA substituir o ser humano na execução de atividades que exigem a inteligência, o trabalho ainda assim existirá e automaticamente criam-se novas atividades produtivas que ainda não são supridas pela IA.

    No entanto, para acompanhar essa rotina acelerada de lançamento de novas tecnologias que substituem os seres humanos em determinadas tarefas, a rotina de como e o que aprender precisa ser modificada. Afinal, quanto mais tecnologias embarcadas forem criadas, mais demandas de suporte para essas inovações serão necessárias.

    Saber como aproveitar essa realidade obtendo proveito econômico dela será a chance de sustentabilidade das empresas com essa onda digital que está tomando conta da sociedade mundial. Por isso é importante analisar como a sua empresa está interagindo com os sistemas que funcionam por meio da Inteligência Artificial.

    Mais informações:

    http://exatopsistemas.com.br/governo-redesenha-comprasnet-com-inteligencia-artificial-e-unificacao-de-bases/

    http://dspace.ceu.es/bitstream/10637/9889/1/%28ES%29%20Monogr%C3%A1fico%204.pdf

  • Varejo 4.0: principais desafios

    Fonte: https://vivanticplus.com/apps-compras-online/

    O varejo atual é desenvolvido por meio da complementação de negócios realizados em ambiente digital. As empresas já estão se organizando com as suas equipes de trabalho para realizar essa transição de atendimento físico para o virtual, sem perder a qualidade do atendimento físico. Isso porque o atendimento dos clientes em multicanais é necessário para dar sustentabilidade ao negócio.

    Para realizar essa ampliação de atendimento dos clientes por meio de ambiente digital é necessário investir em tecnologia e qualificação profissional para garantir o atendimento das necessidades dos clientes. Entre os desafios nesse processo estão:

    1 – Entender o quanto o ambiente digital é necessário ou não para o seu negócio;

    2 – Saber qual é o melhor modelo de negócio no ambiente digital;

    3 – Perceber qual é a sua vantagem competitiva no ambiente digital;

    4 – Aprender como usar as tecnologias e a Internet das coisas para melhor se conectar com os clientes;

    5 – Reinventar a sua lógica de gestão para se preparar para o atendimento digital;

    6 – Analisar como a sua equipe poderá fazer essa transformação acontecer.

    Essa mudança está ocorrendo em muitas empresas e quanto antes a sua empresa caminhar para essa direção mais chances de sucesso nos negócios terá. A primeira análise que precisa ser feita é: Identificar qual o percentual de receitas que está em situação de risco, considerando que seus clientes estão migrando para o ambiente digital/internet.

    Em segundo lugar a empresa precisa definir qual modelo digital será melhor para apresentar melhores experiências para os seus clientes.  A terceira ação é identificar a origem de seu diferencial de negócio. Na sequência definir as estratégias de gestão no ambiente digital. Em quinto lugar, garantir o fortalecimento das capacidades organizacionais. E fundamental para o sucesso do negócio, investir em qualificação profissional.

    Mais informações:

    WELL Peter e WOERNER, Sttephanie L. Qual o seu Modelo Digital de Negócio? São Paulo. M. Books do Brasil. Editora Ltda. 2019. 

    https://www.revistas.usp.br/rege/article/view/147523/141042

    file:///C:/Users/Nicole/Downloads/documentop.com_modelos-de-negocio-disruptivos_5a255aef1723dd41da2ec6a6.pdf 

    https://newtrade.com.br/tecnologia/as-20-tecnologias-de-varejo-mais-promissoras-para-2018/

    https://dcomercio.com.br/categoria/inovacao/loja-4-0-por-dentro-do-varejo-da-era-digital

     

  • Como você está monitorando os resultados da sua empresa?

    Fonte: https://trends.rmacomunicacao.com.br/monitoramento-de-midia-os-olhos-e-ouvidos-da-sua-marca

    Todas as ações produtivas realizadas em uma empresa acontecem porque tem uma finalidade no desenvolvimento dos negócios. Identificar se estas atividades estão apresentando os resultados esperados, é uma oportunidade para melhorar os resultados do negócio. Nesse caso, acompanhar os resultados das atividades realizadas na empresa é considerado como monitoramento de resultados.

    O monitoramento de resultados depende de ações, como a definição dos indicadores de análise dos dados, a coleta dos dados. Para definir quais dados coletar, precisa identificar quais itens permitem verificar os resultados que se pretende observar. Segue um exemplo de Monitoramento de dapos:

    Fonte: https://vigilanciasocialpinda.wordpress.com/tag/painel/

    Desta forma, para iniciar o monitoramento e organizar um painel ou quadro de monitoramento de resultados precisa:

    1º -  Definição do programa ou atividade a ser monitorado, seus objetivos, suas ações, sua lógica de intervenção;

    2º - Definição dos eixos analíticos e definição das unidades de análise (elementos que se pretende observar) – período e elemento que será observado);

    3º - Coleta de dados e indicadores de contexto;

    4º - Coleta dos indicadores da atividade que se pretende monitorar;

    5º - Construção do painel de indicadores na forma de gráficos para análise comparativa dos dados com indicadores de período de análise e do elemento observado (indicador).

    Importante destacar que os indicadores precisam apresentar informações simples, que sejam comparáveis, viáveis de mensurar, que tenham confiabilidade e que representem a realidade. Esses dados precisam estar em condições de verificação de maneira que se alguém precisar confirmar os dados, estes estarão disponíveis em algum documento ou sistema de integração de dados. O Excel é um uma ferramenta muito boa para o lançamento e monitoramento de dados, pois apresenta ferramentas estruturadas para que a visualização dos dados seja apresentada em diferentes gráficos.

    Exemplo de quadro de monitoramento:

    Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/334008/

    Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/7320814/

    Após a verificação dos dados é importante realizar a avaliação dos resultados, verificando se os objetivos estão sendo atingidos com a execução das atividades, ações, sistemas, processos e/ou outros elementos observados.

    Na sequência, com base nos resultados identificados é muito importante realizar as adequações necessárias para que as ações, atividades, processos e/ou outros elementos observados sejam melhorados ou mantenham-se em execução da maneira como estão, pois seus resultados estão atingindo os objetivos propostos.

    Mais informações:

    http://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/992/1/SOUSA%2C%20Marconi%20Fernandes%20-%20Conceitos%20B%C3%A1sicos%20de%20Monitoramento%20e%20Avalia%C3%A7%C3%A3o.pdf

    https://estado.rs.gov.br/concluido-o-monitoramento-de-resultados-da-area-da-administracao-e-recursos-humanos

    https://aplicacoes.mds.gov.br/sagirmps/ferramentas/TemplateHTML/PDFs/Most/mostport.pdf

    http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/56592/pdf_34

     

  • Como está a motivação da sua equipe?

    A rotina do ambiente de trabalho apresenta desafios que são superados ou não. Como as pessoas reagem a essa rotina de superação e ao estresse que se desenvolve ao longo dos anos, reflete o nível de motivação que os profissionais apresentam nas suas rotinas profissionais.

    Para melhorar a performance profissional é preciso monitorar os níveis de satisfação e realização nos aspectos pessoais e profissionais que cada um possui.  Sob a perspectiva pessoal, podemos nos apoiar na Pirâmide de Maslow para analisar os níveis de satisfação, segurança, de saúde entre outras. Por meio dela podemos identificar as necessidades básicas das pessoas e analisar quais delas estão sendo atendidas na sua plenitude.

     

    Fonte: https://meusucesso.com/artigos/vendas/entenda-a-teoria-da-piramide-de-maslow-347/

    Nessa condição, identificar quais são os aspectos que mantem o nosso estado de satisfação, no que diz respeito às necessidades fisiológicas, de segurança, de amor e relacionamento, de estima e de realização pessoal torna-se fundamental para alcançar o equilíbrio emocional e psicológico e potencializar a melhora do desempenho profissional e em todos os aspectos da vida.

    Além de apoiar o desenvolvimento profissional de suas equipes de trabalho as empresas de sucesso procuram incentivar o desenvolvimento pessoal de seus colaboradores e assim manter os níveis de motivação mais elevados.

     

    Mais informações:

    http://www.scielo.br/pdf/rae/v20n3/v20n3a05

    https://blog.ipnetsolucoes.com.br/como-a-falta-de-comunicacao-prejudica-o-trabalho-em-equipe/

    https://meusucesso.com/artigos/vendas/entenda-a-teoria-da-piramide-de-maslow-347/

  • Quais são as capacidades organizacionais da sua empresa que atendem as demandas do mercado digital?

    Fonte: https://blog.softwareavaliacao.com.br/comportamento-organizacional/

    Muitas mudanças precisam ser adotadas nas rotinas das empresas para que estas consigam acompanhar as novidades que surgem diariamente com o volume de inovações que são criadas e implementadas pelo mercado competitivo. Nesse sentido, Peter Weill e Sthepanie L. Woerner em 2018 identificaram 8 capacidades organizacionais necessárias para as empresas da próxima geração se manterem no mercado de maneira competitiva, conforme segue:

    1        Adquirir muita informação sobre os clientes (ex: metas);

    2        Facilitar a comunicação do cliente sobre a própria opinião;

    3        Estimular uma cultura de tomada de decisões baseada em evidências;

    4        Ofertar experiências aos clientes de multiproduto e multicanal de maneira integrada;

    5        Destacar-se, tornando-se referência na sua área de atuação para que os clientes pensem em sua empresa quando surgir uma necessidade;

    6        Identificar e perceber grandes parceiros e aquisições;

    7        Utilizar softwares modulares por meio de interfaces de programação de aplicativos;

    8        Desenvolver eficiência, conformidade e segurança como competências da empresa.

    Muitas empresas já estão se reorganizando para essa nova forma de atender os clientes e criar valor em seus serviços e/ou produtos. Nesse momento é muito importante analisar as condições de desenvolvimento de sua empresa de maneira que fique alinahdo com os modelos de negócios digitais e realizar as adequações necessárias para não esperar a onda digital passar por cima do modelo de negócio do passado.

     

    Fonte: WEILL, Peter e WOERNER, Stephanie L. Qual o seu Modelo Digital de Negócio? São Paulo. M. Books do Brasil Editora Ltda. 2019.

     

  • Qual é o modelo usado na gestão das tecnologias da sua empresa?

    A partir das inovações que estão surgindo na sociedade na era da Indústria 4.0, muitas pessoas demonstram preocupação com a aquisição das novas tecnologias, mas não percebem que o mais importante é entender como as tecnologias estão sendo utilizadas, no sentido de aproveitamento com rentabilidade.

    Atualmente a estrutura da rede de dados que existe com alto volume e fluxo de dados disponíveis para serem acessados em qualquer lugar do planeta e em alta velocidade, gerado pela tecnologia 5G, permite que muitos negócios sejam criados nesse ambiente digital.

    O modelo de negócio em que a empresa operava para atender o cliente e consequentemente obter lucro, está entrando na trilha da extinção. Atualmente o BIG DATA, BLOCKCHAIN, INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL, SMART SPACES, COMPUTAÇÃO QUÂNTICA, INTERNET DAS COISASEQUIPAMENTOS AUTÔNOMOS e outros sistemas já chegaram alterando a ordem das coisas. Nesse formato, o atendimento dos clientes com qualidade contempla o uso de todos esses sistemas de maneira integrada, com suas complexidades particulares.

     Mais que uma equipe competente, as empresas precisam de um time de gestores com domínio em programação. Ao contrário do que se desenvolvia anteriormente na lógica de gestão de processos, as empresas precisam mudar a perspectiva de como utilizar as tecnologias que estão disponíveis. Essas mudanças dependem da política da empresa que sempre é determinada pelos sócios da empresa. Nesse sentido, a questão é: Quais empresas estão alterando o modelo de gestão das tecnologias e consequentemente, o modelo de gestão das pessoas? 

    Fonte: https://avozdaindustria.com.br/modelo-negocio-na-industria-4-0/

    https://www.feimec.com.br/a-voz-da-industria-materiais/investimento-mercados-promissores.html

    http://cidadejunior.org.br/Interna/8/aprendizagem

    http://www.scielo.br/pdf/tinf/v29n1/0103-3786-tinf-29-01-00091.pdf

    https://www.nucleodoconhecimento.com.br/tecnologia/blockchain

    http://www.scielo.br/pdf/rbem/v41n2/1981-5271-rbem-41-2-0185.pdf

    http://www.scielo.br/scielo.php?frbrVersion=2&script=sci_arttext&pid=S2175-33692015000300310&lng=en&tlng=en

    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172013000100006&lng=en&tlng=en

    http://www.scielo.br/scielo.php?frbrVersion=4&script=sci_arttext&pid=S1807-17752016000300423&lng=en&tlng=en

    https://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1902/1902.10086.pdf

     

  • Vagas de trabalho X Qualificação profissional

    Em 2018 a quantidade de indústrias que voltaram a investir subiu de 76% para 81%. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) registra que desde 2014 houve queda no investimento por parte das indústrias. Agora com essa retomada de investimento das indústrias e a demanda do mercado consumidor, estima-se que haverá 133 milhões de novas vagas de trabalho abertas.

    Considerando que desde 1970 muitas vagas de trabalho são abertas e são preenchidas por profissionais de outros municípios e até mesmo outros estados e países, por falta de qualificação profissional para as novas demandas da indústria. As novas 133 milhões de vagas que serão abertas apresentam um grande desafio. A falta de qualificação profissional para as demandas atuais da indústria 4.0.

    Se observarmos a condição do ensino público do país, a educação brasileira ainda está preparando trabalhadores para a Indústria 2.0. Há muitas décadas não é visto investimento significativo na educação de maneira que atenda as demandas produtivas das indústrias. Na rede de ensino público, o conhecimento técnico especializado em diferentes áreas vai ficando afunilado, sendo ofertado em pouquíssimos colégios.

    Diante dessa realidade, são pouquíssimas pessoas que apresentam chances reais para concorrer às 133 milhões de vagas que estão para abrir no segmento industrial. Ficando a população cada vez mais desamparada para conseguir trabalho e até mesmo se desenvolver economicamente.

    Se analisarmos a realidade comercial que é desenvolvida atualmente, é perceptível que uma pessoa que abandonou os estudos no ensino fundamental e médio não terá condições de competir no mundo dos negócios globalizado. A não ser que busque se qualificar em áreas específicas e que apresentam demandas diretas dos consumidores.  

    Nesse cenário, o melhor caminho a seguir para estar em condições de concorrer às vagas que estão abrindo na Indústria 4.0 é a qualificação profissional nas áreas de tecnologia, biologia, engenharias, programação e gestão da informação, dominando diferentes idiomas.

     

    Fonte:http://www.portaldaindustria.com.br/estatisticas/icei-indice-de-confianca-do-empresario-industrial/

    http://www.portaldaindustria.com.br/estatisticas/investimentos-na-industria/

    https://engenhariae.com.br/tecnologia/industria-4-0-podera-criar-mais-de-133-milhoes-novos-postos-de-trabalho

  • PRECONCEITO: Uma desvantagem competitiva

    Fonte: https://www.significados.com.br/tipos-preconceito/ 

    A humanidade se desenvolveu por meio da superação de diferentes fenômenos naturais. Criou milhões de tecnologias que auxiliaram na sobrevivência dos seres humanos em meio ao clima com altas e baixas temperaturas, bem como sobreviveu a catástrofes inimagináveis.

    No entanto, o grande desafio da sociedade em geral está na superação de um dos maiores males que afeta a humanidade. O PRECONCEITO. Seja racial, social, religioso, de orientação sexual, de gênero, linguístico e outros.

    Nesse contexto, é importante destacar que mesmo as pessoas que repudiam atitudes preconceituosas, acabam praticando atitudes preconceituosas de forma inconsciente. Isso ocorre porque estamos envolvidos em uma cultura que apresenta padrões aparentemente ideais. E que na sua grande maioria, esquece de reconhecer o VALOR das DIFERENÇAS.

    Normalmente as pessoas não se dão conta de que o universo apresenta raros elementos idênticos. E se pautarmos nossa análise sobre essa perspectiva e observarmos uma equipe esportiva do futebol. Identificamos que quanto mais diferentes as habilidades d@s jogador@s, melhor é o desempenho da equipe.

    Essa ideia se aplica também no ambiente de trabalho. Quanto mais diversificada a cultura, gênero, interesses pessoais e conhecimento de uma equipe de profissionais, maior é a capacidade de crescimento de uma empresa. Entre os motivos está a condição da rede de relacionamentos existente nessa equipe, pois ela é diversificada e consequentemente maior do que a rede de relacionamentos de uma equipe que apresenta pessoas com a mesma cultura, gênero, interesses pessoais e conhecimento.

    Na corrida comercial a rede de relacionamentos que uma equipe de trabalho possui potencializa ou não o desenvolvimento de uma empresa. Tornando o PRECONCEITO algo ultrapassado em todos os contextos, inclusive no que diz respeito ao desenvolvimento de uma empresa, pois a equipe homogênea terá menor capacidade de desempenho que uma equipe que apresenta diferentes culturas, conhecimentos, interesses pessoais e raça.

  • INOVAÇÃO: Como a sua empresa investe em inovação?

    Fonte:https://www.cnm.org.br/comunicacao/noticias/gestores-podem-se-candidatar-a-bolsa-de-estudos-para-curso-sobre-inovacao-digital-em-barcelona

    Na atual condição e desenvolvimento do mercado consumidor, o investimento em inovação é uma estratégia positiva para manter a empresa competitiva.  Baseado na teoria de Joseph Schumpeter em 1912, “a economia é movimentada por grandes ciclos econômicos que são gerados a partir de inovações.”  No entanto, a criação de uma simples solução de problema que possa ser comercializada como serviço ou produto pode ser considerada uma inovação.

    O Brasil investe apenas 10% do valor que os Estados Unidos direcionam para a inovação. Essa diferença de valores explica um pouco porque estamos sempre atrás de outros países no que diz respeito a tecnologia de ponta. É necessário investir em pesquisa, educação de qualidade e na infraestrutura logística do país para que as empresas brasileiras possam ficar mais competitivas no mercado mundial.

    A respeito do desenvolvimento das empresas nessa corrida tecnológica, é fundamental investir em conhecimento nas áreas de internet das coisas, cibersegurança, 3-D, Inteligência Artificial e outros conhecimentos inerentes às tecnologias digitais.

    Saber o que é, como funciona, para que serve e onde pode ser utilizado é o mínimo que precisa saber para acompanhar essa mudança que está acontecendo com velocidade sem precedentes. A partir desse conhecimento mínimo, as estratégias para inovação podem ser definidas pela própria equipe.

    A visão a frente do tempo e o investimento em qualificação profissional será a melhor resposta que as empresas podem ter nesse momento.

    Mais informações: https://engenhariae.com.br/tecnologia/industria-4-0-podera-criar-mais-de-133-milhoes-novos-postos-de-trabalho

    https://noticias.portaldaindustria.com.br/especiais/saiba-tudo-sobre-o-8o-congresso-brasileiro-de-inovacao-da-industria/

    https://noticias.portaldaindustria.com.br/noticias/inovacao-e-tecnologia/brasil-sedia-o-principal-congresso-de-inovacao-da-america-latina/

    http://cidadejunior.org.br/Interna/8/aprendizagem

  • IoT – Modelo de Negócio ganha-ganha para consumidor e fornecedor

    O modelo de negócio da Internet das Coisas – Internet of Things – IoT está crescendo de maneira exponencial. Já é de domínio de grande parte da sociedade o conhecimento das pessoas para contratarem serviços ou produtos e até mesmo espaços para desenvolverem atividades de interesse pessoal e/ou profissional por meio da internet.  Esse fenômeno é representado pela condição que os relacionamentos são construídos na Internet.

    Essa relação construída por meio das necessidades pessoais e/ou profissionais produz uma dinâmica de relacionamento comercial, ou modelo de negócio diferente do modelo de negócio tradicional.

    Entre as principais diferenças estão:

    1 – O acesso rápido e fácil a informações e produtos disponíveis na internet;

    2 – A interação ativa existente entre os seres humanos e os objetos acontece de maneira integrada;

    3 – A capacidade de existir a relação comercial sem o envolvimento de terceiros na transação econômica. A negociação ocorre diretamente entre cliente e fornecedor.

     Isso acontece com o Blockchain, um sistema que fornece segurança de dados e de gerenciamento de moedas por meio de dados criptografados em uma Interface de Programação de Aplicativos – Application Programming InterfaceAPI. Essa interface é a combinação de rotinas e padrões de programação que dão acesso a um aplicativo de software ou plataforma que funciona na Web.

    Essa plataforma é um ambiente que proporciona segurança nas transações comerciais, jurídicas e de gerenciamento de dados existentes na Internet. Ou seja, esse modelo de negócio que se desenvolve na internet proporciona maior agilidade e segurança no fluxo de produtos e de moeda nas operações comerciais por meio da grande capacidade de gerenciamento e controle de dados que beneficia tanto o fornecedor como o consumidor.

    A partir dessa premissa, grande volume de operações comerciais está e será desenvolvida na internet, proporcionando um potencial enorme de geração de novos negócios. Logo, fica a dica:

    As empresas que não se adaptarem a esse ambiente digital podem perder uma grande fatia do mercado consumidor.

    Fonte:

    http://www.arifsari.net/isma500course/project/21.pdf

    https://www.blockchain.com/api/blockchain_wallet_api

  • Inteligência Artificial: substituição do ser humano ou área produtiva em expansão?

    A Inteligência Artificial é uma área de pesquisa que está avançando muito rapidamente e alterando significativamente a gestão das informações que circulam na sociedade. Essa área da ciência, especificamente da computação, estuda e desenvolve dispositivos e sistemas que funcionam como os seres humanos raciocinam, criando análises, compreendendo e obtendo respostas para diferentes situações.

    O grande avanço atual dos pesquisadores está em desenvolver sistemas com a capacidade de se autodesenvolver, a partir de rotinas diárias de aprendizado, como os seres humanos. E além disso, buscam reproduzir nas máquinas o modelo de emoções e sentimentos tal como os seres humanos o fazem.

    Sob a perspectiva da nossa rotina de trabalho atual, podemos imaginar que essas máquinas em poucos anos nos substituirão, mas se analisarmos sob a ótica de trabalho, esse movimento da ciência precisa de muitas pessoas envolvidas no desenvolvimento das tecnologias e sistemas operacionais, para auxiliar na produção dessas máquinas, bem como, no desenvolvimento de novos sistemas. Garantindo maior qualidade no que diz respeito a condição de vida dos seres humanos e do planeta.

    Podemos identificar o uso da Inteligência Artificial nas atividades de redes sociais, como a que possibilita a identificação rápida dos nomes das pessoas por meio das fotos. Também identificamos a IA nos mecanismos que usam o processamento da voz para realizarem tarefas ou na tomada de decisões. Quando exige analise complexa e com diferentes fontes de áreas de conhecimento. Isso tudo, com a finalidade de melhorar o desempenho das atividades produtivas, consequentemente criando uma nova área produtiva.

    Os desafios desta área estão sendo superados por meio de legislações pertinentes a área da programação, apresentando limites na lógica de programação estabelecida para determinar as ações das máquinas. Surge assim, uma nova área de produção com demandas específicas de trabalho, no sentido de criação e de concerto de novas tecnologias. Ficando o aprendizado atual obsoleto frente a essa realidade digital e de respostas extremamente rápidas apresentadas com um nível de precisão extraordinário.

    Nesse contexto, aquela frase comum que a cada nova geração os pais escutam ... o mundo mudou! Se aplica literalmente nesse momento que estamos vivendo. Afinal o mundo mudou, e vai mudar muito mais nos ambientes de trabalho. Fica a dica do século: Aprenda linguagem de programação.

    Fontes:

    http://www.inf.ufg.br/sites/default/files/uploads/relatorios-tecnicos/RT-INF_001-08.pdf

    http://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0012.PDF

    http://www.cidadejunior.org.br/

     

  • O impacto da Industria 4.0 na empregabilidade

    As mudanças que a Indústria 4.0 apresenta na rotina da sociedade ultrapassam as dinâmicas da vida social e chegam até o ambiente de trabalho de maneira avassaladora. O tempo de resposta para tudo está muito mais rápido. Isso já ocorre em todos os segmentos produtivos por meio da Internet das Coisas Internet of Things.

    Com essa dinâmica de grande fluxo e volume de dados de maneira muito rápida e eficiente suportada pela Tecnologia 5G, as pessoas percebem que podem dedicar parte de seu tempo melhorando a qualidade de sua vida. E desta forma, os Smartphones ficam ainda mais interessantes e imprescindíveis na vida do ser humano.

    Para que essa condição de vida exista, o desenvolvimento do trabalho apresenta diferentes elementos e rotinas produtivas que há poucos anos não eram muito vistas nas empresas. Alterando a produção e organização das informações geradas pelas pessoas.

    Considerando que isso ocorre por meio do uso de diferentes linguagens de internet, e que a tendência mundial é que até 2020 existam 6 aparelhos com tecnologia IoT para cada pessoa existente no planeta, em torno de 50 bilhões de aparelhos. É essa a grande mudança que está ocorrendo no mundo do trabalho. Isso vai além da automação. Quer dizer que para participarmos dessa mudança precisamos aprender novas linguagens. As linguagens de programação.

    E nessa nova rotina das indústrias, como garantir a empregabilidade?

    A resposta está na preparação para o trabalho. O estudo precisa ser constante e contemplar o conhecimento em linguagens de programação, pois do contrário o desemprego será muito maior que na década de 1970, quando surgiu a automação nas indústrias.

    Voltamos para o grande desafio que a Educação precisa superar: estar à frente do tempo. É preciso promover a Educação de maneira que os estudantes possam desenvolver habilidades como a criatividade, para auxiliar no desenvolvimento da capacidade de solucionar problemas e desenvolver a habilidade de comunicação em diferentes idiomas. Afinal, o mundo está globalizado.

    E sob a perspectiva de que tudo é produzido muito rápido e a qualidade de vida é o motivo da existência do trabalho em nosso cotidiano. A preparação para o trabalho precisa estimular a construção do conhecimento pautado em valores éticos. Para que as criações e ações realizadas pelos profissionais sejam desenvolvidas por meio de reflexões a respeito das consequências que seus atos vão gerar para a humanidade, da sua qualidade de vida e do planeta em que vivemos.

    Fonte:  https://www.cisco.com/c/en/us/about/security-center/secure-iot-proposed-framework.html

    https://www.youtube.com/watch?v=KrFgupcWYG0

    https://youtu.be/E1Fs6qwqdoU

     

     

  • Estabilidade gestante aprendiz

     

    A Lei da Aprendizagem estabelece algumas condições específicas na relação de trabalho entre empresas e jovens com idade entre 14 e 24 anos. Uma delas é o contrato por prazo determinado. Nesse caso, a condição de estabilidade de gestante aprendiz é garantida, mesmo que o contrato de aprendiz esteja com prazo de término determinado. No entanto, não modifica a natureza do vínculo contratual inicial, não precisando alterar para prazo indeterminado.

    Essa alteração na vigência do Contrato de Aprendizagem considera reconhecer a garantia no emprego à gestante, independentemente da modalidade contratual existente, pautada nos princípios da dignidade da pessoa humana e da própria vida do bebê. Cabe enfatizar que essa determinação legal prioriza os direitos sociais e humanos sobre as regras contratuais.

    O período de estabilidade é aplicado quando:

    •   Desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.

    “O único pressuposto para que a empregada tenha reconhecido seu direito à estabilidade provisória é o estado gravídico no momento da rescisão do contrato de trabalho, porque tal garantia visa à tutela do nascituro e o citado preceito constitucional não impõe nenhuma restrição quanto à modalidade do contrato de trabalho, se por prazo determinado, como é o contrato de experiência, ou por prazo indeterminado.” Art. 10, II, "b" do ADCT – Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

    Também é considerado que:

    •  Na hipótese do fim da estabilidade ocorrer na vigência do contrato, ao final da licença, o prazo voltará a correr pelo tempo que ainda lhe resta;
    •   Na hipótese do prazo inicialmente pactuado para o término do contrato ter sido alcançado durante a gestação ou licença maternidade, o mesmo deverá ser prorrogado até o final da estabilidade, ainda que seja ultrapassado o prazo bienal ou a idade máxima de 24 anos.

    É importante destacar que a aprendiz, mesmo na condição gestante precisa cumprir as suas obrigações contratuais conforme estabelece a Lei da Aprendizagem, para que seus direitos sejam resguardados.

    A seguir, de acordo com o Art. 433 da CLT são apresentadas as condições de extinção do Contrato de Aprendizagem:

    a) No seu termo pré-ajustado, previsto em contrato;

    b) Quando o menor completar 24 anos;

    c) De forma antecipada quando:

    - Houver desempenho insuficiente ou inadaptação do aprendiz;

    - Falta disciplinar grave, assim consideradas as faltas elencadas no art.482 da CLT;

    - Ausência injustificada à escola que implique perda do ano letivo;

    - A pedido do aprendiz.

     

    Mais informações: http://www.consultaesic.cgu.gov.br/busca/dados/Lists/Pedido/Attachments/487410/RESPOSTA_PEDIDO_NT%20N%2079-2015-DEFIT-SIT.pdf

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l10097.htm

  • Tecnologia gratuita auxilia na medição da melhora de indicadores de sustentabilidade

    A sustentabilidade do planeta e consequentemente a qualidade de vida da sociedade depende exclusivamente das ações realizadas pela humanidade. Esse fato é constatado em diferentes pesquisas apresentadas no mundo sobre as condições atuais do planeta.

    Muitas vezes reclamamos das condições que vivemos, no sentido de qualidade de vida, pois as inovações tecnológicas estão chegando com força total, tornando a nossa vida cada vez mais ociosa e de produção de material desnecessário, inclusive alguns deles não possuem a condição de reciclagem.

    No aspecto da qualidade da saúde, o Programa de Extensão CICLOVIDA da Universidade Federal do Paraná – UFPR, coordenado por José Carlos Assunção Belotto, apresenta um simulador das vantagens da mobilidade ativa. Com esse simulador podemos “calcular quantas calorias perderemos, quantos quilos de gases poluentes deixarão de ser jogados na atmosfera e quanto economizaremos indo trabalhar ou estudar de bicicleta”.

    Conforme dados inseridos no Simulador apresentados na imagem a seguir, se o meu deslocamento para o trabalho for de 3,4 Km, nas condições de valor de passagem de ônibus e de combustível indicados no simulador, posso identificar vantagens econômicas, ambientais e até de calorias que perderia substituindo o carro ou ônibus por uma bicicleta.  Apesar de não indicar no simulador, as condições cardiorrespiratórias, musculares e fisiológicas, estas também são melhoradas significativamente.

    Fonte: http://www.ciclovida.ufpr.br/?page_id=504

    Fica o alerta para as pessoas interessadas em iniciar a prática do uso da bicicleta, a importância de uma prévia consulta médica e realização de exames que possam orientar da melhor maneira possível a rotina diária e semanal no uso da bicicleta, garantindo a promoção da saúde com planejamento estabelecendo a ampliação de distância e ritmo de forma gradativa.

    Para iniciar essa prática, sugiro também a participação em grupos de Pedal existente em Curitiba e Região. Como exemplo, cito o Pedal Manzatti de Campo Largo, realizado todas as quintas-feiras com saída às 19:00 na Av. dos Expedicionários, 3274 - Bom Jesus, Campo Largo. Nesse grupo participam atletas de alta performance no segmento de Mountan Bike como Murilo Manzatti, Silvano Gelinski e Alexandre Barros que participam do Pedal para orientar os participantes iniciantes durante o desenvolvimento do percurso sobre as regras de trânsito pertinentes ao uso de bicicleta, bem como técnicas que melhoram a performance nos trajetos com subidas, decidas e com longas distâncias.

    Em Curitiba temos o Programa Pedala Curitiba coordenado pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba. Com horários e locais de saídas variados informados entre os links disponíveis no final do texto.

    #Pratiqueaideia#saudefisicamentalsocialeambiental

    O simulador está disponível na página do Programa de Extensão CICLOVIDA da UFPR, no link a seguir: http://www.ciclovida.ufpr.br/?page_id=504

    http://www.curitiba.pr.gov.br/conteudo/pedala-curitiba/505

    https://www.facebook.com/manzattiBikesEmotos/

     

  • Como manter a sustentabilidade das relações sociais e profissionais

    Nesse momento, em que as inovações tecnológicas surgem em grande volume e em ritmo muito rápido, o número de alterações em nossa rotina diária é alto, levando a construção das relações sociais e profissionais se desenvolverem em ritmos e intensidades diferentes.

    Essa condição de desenvolvimento das relações sociais e profissionais pode ser controlada ou protegida por meio do uso de alguns princípios. Para explorar esse assunto, sugiro revisarmos a ideia de Augusto de Franco, em 2008, de que “tudo que é sustentável, tem o padrão de rede”, que se baseia nos princípios da sustentabilidade idealizados por Fritjof Capra em 1996, indicando 5 princípios (flexibilidade, diversidade, interdependência, reciclagem e parceria) que “podem ser utilizados como diretrizes para construir comunidades humanas sustentáveis. ”

    A partir dessa ideia, sugiro uma reflexão sobre como reagimos às situações que vivenciamos diariamente com as pessoas que nos relacionamos, seja social ou profissionalmente, a partir da aplicação dos princípios da sustentabilidade.

    - FLEXIBILIDADE – Nessa proposta o princípio flexibilidade nos conduz a uma reflexão sobre como reagimos frente a situações que nos incomodam. Qual é a nossa capacidade de manter-se em equilíbrio a cada vez que nossas regras são rompidas ou alteradas de acordo com o nosso entendimento? É importante perceber o quanto conseguimos nos adaptar às condições de atuação das outras pessoas para manter o relacionamento com elas. Se não existir tolerância em momentos que exigem paciência, empatia e solidariedade, não haverá condições de manter o relacionamento. Da mesma forma, a outra pessoa precisa demonstrar a mesma intenção para que o relacionamento seja mantido, pois ambas pessoas precisam demonstrar paciência, empatia e solidariedade frente as diferentes situações que surgirem.

    - DIVERSIDADE – A ideia de diversidade nos indica o caminho para a ampliação da nossa rede de relacionamentos de maneira rica. Ou seja, quanto mais valorizarmos as diferenças, maior será a nossa capacidade para manter e ampliar a quantidade de relacionamentos sociais e profissionais que construímos ao longo de nossa vida. Essa condição de valorização das diferenças potencializa a expansão da rede de relacionamentos, pois os grupos de pessoas formados com diferentes culturas, interesses e rotinas apresentam reações distintas frente às nossas atitudes. Isso possibilita a continuidade de criação de novos relacionamentos a partir dos diferentes grupos de pessoas que se conhecem entre si ou não, promovendo a sustentabilidade da rede de relacionamentos que possuímos.

     - INTERDEPENDÊNCIA – A interdependência representa a necessidade de existir reciprocidade de interesses entre as pessoas que se relacionam. De alguma forma uma pessoa supre os interesses pessoais ou profissionais da outra e assim, ambas suprem suas necessidades, sejam de ordem emocional, intelectual, profissional ou outras. Desta forma, a reciprocidade vai alimentar o interesse de ambas pessoas para manterem o relacionamento ativo.

    - RECICLAGEM – O princípio reciclagem remete a lógica de que podemos ajudar alguém por meio da doação de elemenos que não são mais uteis em nossas rotinas, mas serão usados por outras pessoas. Da mesma forma, também recebermos coisas de outras pessoas na mesma circunstância. Pode ser conhecimento, objetos, oportunidades etc.  Essa transição de elementos estimula o fluxo das relações, pois são criadas situações de solidariedade, representando atitudes positivas, que promovendo o fortalecimento de vínculos entre as pessoas envolvidas.

    - PARCERIA – A parceria nos apresenta a ideia de cooperação, participação, associação em ações desenvolvidas ao longo do relacionamento. Essa dinâmica possibilita o aprimoramento das pessoas envolvidas no relacionamento pois ambas produzem algo novo quando realizam ações em conjunto. Também amplia a força das ações realizadas, que é potencializada quando estas são organizadas por grupos de pessoas.  Essa característica estimula o fluxo das relações, pois amplia o poder das pessoas, fortalecendo a atuação destas em diferentes situações.

    Para alcançarmos essas condições no desenvolvimento dos relacionamentos precisamos praticar atitudes positivas, pautadas em valores como amor ao próximo, respeito, responsabilidade, solidariedade, cooperação e outros valores que contribuam com o fortalecimento dos vínculos criados.

    Para manter a sustentabilidade das relações sociais e profissionais é importante perceber o quanto os cinco princípios da sustentabilidade estão interligados entre si. Considerando que a partir dessa idéia eles formam uma estrutura rígida e flexível ao mesmo tempo, podemos fortalecer constantemente os relacionamentos que construímos se pautarmos as nossas atitudes nesses princípios e nos valores éticos.

     

    Fonte: FRANCO, Augusto de. Escola de Redes: Tudo que é sustentável tem o padrão de rede. Sustentabilidade empresarial e responsabilidade corporativa no século 21.  Sociedade do Conhecimento. Curitiba. 2008.

  • A Comunicação Interna das empresas é foco estratégico na corrida competitiva

    A forma como as pessoas se comunicam em uma empresa define a condição de desenvolvimento de seus processos de gestão, de informação e produtivos. Nesse contexto, a comunicação pode ser escrita, verbal ou realizada por meio de movimentos e de apresentação visual.

    Diante dessa lógica, tudo que fazemos comunica algo, e, portanto, torna-se necessário saber o que e como precisamos comunicar em um ambiente de trabalho para que este funcione de maneira organizada afim de otimizar o tempo de todos envolvidos, garantindo ainda a validade dessas informações.

    Ao considerar que um dos maiores desafios da comunicação está na ação de quem interpreta a mensagem, quem comunica precisa organizar a informação de tal maneira que não gere duplo ou mais sentidos em uma mesma mensagem.

    Nesse sentido, torna-se fundamental para empresa definir os procedimentos de comunicação interna. Aproveitando o momento que estamos vivendo, a tecnologia digital pode auxiliar muito na comunicação empresarial.

    Existem sistemas de informação em ambiente digital disponíveis gratuitamente ou com baixo custo, que permitem acesso por grupos de pessoas, como as redes sociais, e-mail, drive, etc.  Estes meios de comunicação podem auxiliar na otimização de tempo, bem como na validade das informações. Nesse caso, sempre será identificado quem informou e quando informou.

    O grande desafio está na adequação das rotinas de trabalho para que estas se ajustem a rotina do processo de comunicação interna. Para superar este problema, atualmente a tecnologia digital apresenta diversas soluções, garantindo volume e fluxo de grande quantidade de informações com acesso em tempo real em diferentes lugares do planeta.

    Cabe enfatizar que de nada valem as novas tecnologias se as informações que fluem por meio destas não atenderem os princípios éticos e morais da sociedade. Visto que a sustentabilidade da estratégia de uma empresa está nos valores que a mantem em funcionamento.

    Como estes valores existem a partir das ações das pessoas que nelas atuam, podemos indagar que para melhorar a comunicação interna de uma empresa é necessário garantir a validade e veracidade das informações de maneira transparente, bem como anular qualquer tipo de comunicação paralela à comunicação disponível a todos colaboradores da empresa.

    Mais informações: file:///C:/Users/Nicole/Downloads/1633-6038-1-PB%20(2).pdf 

    SCATENA, Maria Inês Caserta. Ferramentas para a moderna gestão empresarial: teoria, implementação e prática. Série Administração Estratégica. InterSaberes      1ª Edição. 2012.        

  • Escritório Enxuto: Vantagens e desafios

    A proposta de Escritório Enxuto “Lean Office” foi criada a partir da Produção Enxuta “Lean Production”, uma prática adotada nos processos produtivos, revolucionando a indústria automotiva, sendo criada por Taiichi Ohno, dando origem ao Sistema Toyota de Produção. Tendo como premissa a otimização de tempo e melhor gestão das informações no ambiente de trabalho, no caso do Escritório Enxuto, especificamente na área administrativa. Ambas são pautadas nos princípios do Pensamento Enxuto “Lean Thinking”.

    Essa proposta estabelece uma cultura organizacional que promove melhorias continuas nas rotinas de trabalho. Entre as vantagens estão:

    - Identificar e eliminar desperdícios rapidamente e com eficiência em todos os ambientes administrativos;

    - Padronizar processos pautando-se na melhoria;

    - Aumentar a participação e comunicação de todas as pessoas envolidas na empresa;

    - Criar uma experiência Lean positiva para que uma cultura de melhoria contínua torne-se rotina;

    - Aumento da capacidade competitiva da empresa;

    Apesar de ser muito vantajoso implementar esse modelo de gestão de processos e de informações na empresa, essa proposta apresenta alguns desafios. Entre eles, o que se destaca é a mudança de hábitos da equipe de trabalho. Considerando que a mudança de hábito de uma pessoa necessita a vontade dessa pessoa para realizar a mudança, a sugestão para realizar a implantação da cultura organizacional Escritório Enxuto “Lean Office” em sua empresa é iniciar a mudança a partir da identificação da necessidade dessa transformação por parte de cada membro da equipe.

    Inicialmente é importante treinar a equipe para que todos conheçam o modelo Escritório Enxuto “Lean Office” e suas ferramentas, e na sequência, essa transição pode se desenvolver a partir da análise de problemas identificados nas rotinas de trabalho, buscando encontrar a origem dos problemas.  A partir da identificação da origem dos problemas, a sugestão é realizar os ajustes no processo de maneira que este torne-se mais eficiente, garantindo que otimize tempo e recursos.

    Com essa prática, a transição se desenvolve de maneira gradativa, facilitando a mudança de cultura, e principalmente, a partir de adequações realizadas por quem utiliza os processos. A rotina de análise e revisão dos processos podem acontecer diariamente ou semanalmente. A periodicidade de adequações pode ser estabelecida pela equipe, mesmo porque todos precisam ter conhecimento sobre as adequações implementadas.

    Fonte: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/54885/R%20-%20D%20-%20RODRIGO%20DE%20CASTRO%20FREITAS.pdf?sequence=1&isAllowed=y

    SCATENA, Maria Inês Caserta. Ferramentas para a moderna gestão empresarial: teoria, implementação e prática. Série Administração Estratégica. InterSaberes      1ª Edição. 2012. 

      

  • Benefícios da atividade física no desempenho profissional

    A rotina de trabalho que vivenciamos na atualidade exige muito mais que conhecimento técnico para apresentarmos bons resultados produtivos. Isso ocorre porque o tempo que realizamos nossas atividades sociais e profissionais foi ampliado, interferindo diretamente no período de descanso que temos em nossa rotina diária. Essa realidade foi alterada desde que a internet começou a fazer parte de nossas vidas, exigindo muito mais energia e bom humor para construir momentos produtivos e agradáveis em nossa rotina.

    Nesse sentido, a busca de mecanismos que melhorem a qualidade de vida, mesmo que essas mudanças permaneçam e até mesmo aumentem, é fundamental para termos uma vida próspera. Nessa trilha, a prática de atividade física demonstra ser uma opção muito positiva.

    Entre os benefícios está o fato de estimular a produção natural do hormônio Testosterona, responsável pela produção de energia em nosso organismo.  Mais do que isso, a atividade física, estimula também a produção natural de Serotonina, um neurotransmissor que atua no cérebro e em outros sistemas do corpo e proporciona a sensação de bem-estar, influenciando diretamente no humor das pessoas.

    Considerando que o bom humor e a energia são necessárias para nos desenvolvermos em meio a tantas demandas que surgem em nosso cotidiano. Esses dois motivos já justificam a prática de atividade física, diariamente.

    Qual atividade devo praticar?

    Não podemos indicar uma atividade física que seja melhor que outra, de forma aleatória. O que é necessário considerar quando decidimos praticar atividade física é realizar um exame médico para identificar quais são as condições fisiológicas que temos para desempenharmos determinadas atividades, como por exemplo, a corrida, que é de alto impacto. Após a realização dos exames, o médico poderá recomendar algumas atividades que possibilitem a prática constante sem prejudicar a sua saúde.

    Entre as atividades indicadas pelo seu médico é muito importante escolher a que lhe dá maior prazer em executar. Pois a regularidade da prática de exercícios é muito importante, e essa regularidade depende da motivação que você tem em praticá-la. Por isso, antes de mais nada, você precisa saber qual das atividades indicadas pelo médico, você gosta de praticar.

    Outros benefícios da prática de atividade física:

    Fonte: http://www.ufjf.br/farmacologia/files/2013/05/Serotonina-Medicina-Modo-de-Compatibilidade.pdf

    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2017/02/22/interna_ciencia_saude,575655/estudo-revela-beneficios-da-reposicao-de-testosterona-em-tratamentos.shtml

  • Como a sua empresa pode se preparar para a 4ª Revolução Industrial

    Muitas pessoas imaginam que a 4ª Revolução Industrial vai promover o aumento do desemprego porque as rotinas produtivas não precisam de mão de obra humana. Na verdade, isso já vem acontecendo desde 1969, quando entramos na 3ª Revolução Industrial.

    O que poderia ter evitado o alto índice de desemprego seria a atualização da Educação que ainda está no modelo de atendimento das demandas da 2ª Revolução Industrial.  Se a preparação dos profissionais não passar para um novo modelo de construção do conhecimento, o desemprego vai continuar e junto com ele a dificuldade de desenvolvimento das empresas.

    A compreensão dos profissionais sobre como funciona a Indústria 4.0 é o ponto de partida para que as empresas se mantenham em posição de competitividade. Desenvolver a capacidade criativa dos profissionais de maneira integrada com a nova estrutura de interconexão de dados existente na internet, manterá as empresas em plena condição de desenvolvimento.

    Mais que dominar o conhecimento técnico atual, é necessário ampliar a capacidade de comunicação por meio do domínio de diferentes idiomas, bem como estimular a prática de aprimoramento de conhecimento de forma interdisciplinar. Da mesma forma que os dados estão interconectados na internet, o conhecimento e a atuação dos profissionais precisam se desenvolver de maneira integrada na rotina produtiva.

    O grande desafio está na mudança de hábitos na forma de pensar e produzir conhecimento organizacional.  A empresa que conseguir estimular essa mudança de comportamento e de visão estratégica de maneira que funcione em ambiente presencial e digital, terá mais chance de sucesso no mercado globalizado.

    Estamos vivendo a era da Internet das Coisas – IOT –Internet of Things. No entanto, as empresas precisam pensar como a IIOT- Indústria da Internet das Coisas. Preparar a sua equipe de profissionais para essa estrutura produtiva é a maior vantagem competitiva que a sua empresa pode ter.

    Mais informações, assista: https://www.youtube.com/watch?v=-7COj1Qrjb0

  • Cota de PcD pode ser suspensa por período de 2 anos com a contratação de Aprendiz PcD

    Cota de PcD pode ser suspensa por período de 2 anos com a contratação de Aprendiz PcD
    (Foto: https://portal.unit.br/blog/noticias/roda-de-conversa-inclusao-de-pcd-no-mercado-de-trabalho/)

    A lei nº 8.213/1991, de cotas para Pessoas com Deficiência - PcD, determina que a empresa com 100 ou mais funcionários está obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência, na seguinte proporção:

    - até 200 funcionários.................. 2%

    - de 201 a 500 funcionários........... 3%

    - de 501 a 1000 funcionários......... 4%

    - de 1001 em diante funcionários... 5%

    Considerando a dificuldade encontrada por algumas empresas para cumprirem essa determinação legal, a Instrução Normativa da Secretaria de Inspeção do Trabalho – SIT nº 98/2012 estabelece que se forem constatados motivos relevantes que impossibilitam ou dificultam o cumprimento da contratação de pessoas com deficiência ou reabilitadas, poderá ser instaurado o procedimento especial para ação fiscal, por empresa ou setor econômico, previsto no art. 627-A da CLT e nos arts. 27 a 29 do Decreto nº 4.552, de 27 de Dezembro de 2002, observadas as disposições da Instrução Normativa e da Instrução Normativa nº 23, de 23 de maio de 2001 (Art.17, SIT nº 98/2012).

    Isso quer dizer, que a obrigação legal de contratação de PcD pode ser suspensa por até 2 anos se a empresa contratar Aprendiz PcD, por meio de procedimento especial, com termo de compromisso, no qual são estipuladas as obrigações assumidas pelas empresas e os prazos para o seu cumprimento.

    Esse termo de compromisso precisa ser assinado junto às Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego - SRTE, por meio da Auditoria Fiscal do Trabalho. Mais informações sobre o assunto poderão ser encontradas no link a seguir:  http://www.normaslegais.com.br/legislacao/instrucao-normativa-98-2012.htm

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES