• Luto

    Em cortejo, amigos, policiais e correligionários se despedem do deputado Recalcatti. Veja vídeo

    (Foto: Colaboração)

    Dezenas de policiais, amigos, familiares e correligionários fizeram homenagem com salva de palmas ao deputado estadual Rubens Racalcatti (PSD)neste sábado (10) na frente da Capela Vaticano, no Bom Retiro. De lá, onde houve o velório, o corpo do deputado foi levado em um cortejo por um caminhão do Corpo de Bombeiros até o Cemitério de Santa Felicidade, onde foi sepultado por volta das 12h30. 

    O Delegado Recalcatti, como era conhecido, morreu na noite desta sexta-feira (9), aos 72 anos, vítima de um um infarto fulminante.Nascido em Videira (SC), em 23 de outubro de 1948, Recalcatti veio para o Paraná ainda jovem. Ele se formou em Estudos Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e em Direito pela UniCuritiba. Começou na polícia como investigador. Desde 1994, era delegado concursado.

    Clique aqui para ler esse post completo.

    <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/nafIc7kMC78" title="YouTube video player" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>
  • Infarto

    Governo decreta luto oficial pelo falecimento do deputado Delegado Recalcatti

    (Foto: Divulgação)

    O governador Carlos Massa Ratinho Junior decretou luto oficial de três dias e lamentou profundamente o falecimento do deputado estadual Delegado Rubens Recalcatti, que nesta sexta-feira (9) foi vítima de um infarto fulminante. Ele tinha 72 anos e deixa dois filhos.

    "É uma perda imensa para o Paraná. O deputado sempre defendeu a sociedade e os profissionais da segurança pública com muita dedicação. A todos os seus familiares e amigos, meus profundos sentimentos", afirmou Ratinho Junior.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Luto

    Morre o advogado e vice-presidente da ACP Luiz Antonio Leprevost por complicações da Covid-19

    Luiz com seu filho o secretário de Justiça, Ney Leprevost
    Luiz com seu filho o secretário de Justiça, Ney Leprevost (Foto: Divulgação)

    Morreu na noite desta sexta-feira (9) aos 69 anos o advogado e vice-presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Luiz Antonio Leprevost. Ele estava internado na UTI do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba, há cinco meses entre idas e vindas por causa de complicações da Covid-19.

    Luiz Antonio  é pai do secretário da Família, Justiça e Trabalho Ney Leprevost e do vereador curitibano Alexandre Leprevost. Ele deixa a mulher Dona Jussara Leprevost, quatro filhos e seis netos. O velório será restrito à família por causa da pandemia. 

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Contas públicas

    Déficit motiva rejeição das contas da prefeitura de Jaguapitã

    TCE: ex-prefeito foi multado em R$ 4.436,40
    TCE: ex-prefeito foi multado em R$ 4.436,40 (Foto: TCE/PR/divulgação)

    O Tribunal de Contas do Estado do Paraná emitiu Parecer Prévio pela desaprovação das contas de 2019 da prefeitura de Jaguapitã (região Norte), sob responsabilidade do ex-prefeito Ciro Brasil Rodrigues de Oliveira e Silva (gestões 2013-2016 e 2017-2020). A irregularidade foi motivada pelo déficit orçamentário de fontes não vinculadas a programas, convênios, operações de crédito e regime próprio de previdência social (RPPS), no valor de R$ 2.254.883.36, equivalente a 5,77% das receitas arrecadadas - percentual superior aos 5% tolerado pelo TCE-PR.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Câmara Municipal

    Projeto obriga higienização de carrinhos e cestos de compras em Curitiba

    Segundo vereador, medida garantiria mais segurança à saúde dos consumidores
    Segundo vereador, medida garantiria mais segurança à saúde dos consumidores (Foto: Carlos Costa/CMC)

    Os mercados e demais comércios de alimentos que não higienizarem, antes de cada uso, os carrinhos e cestos disponibilizados aos clientes poderão ser multados na capital paranaense. É o que estabelece um projeto de lei protocolado pelo vereador Jornalista Marcio Barros (PSD) na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). Segundo a proposta, que tramita no Legislativo desde janeiro passado, a higienização seria mantida mesmo após o fim da pandemia da Covid-19.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Vereadores

    Câmara de Curitiba vai reformular as sessões para ampliar debate sobre a pandemia

    Câmara Municipal de Curitiba
    Câmara Municipal de Curitiba (Foto: Divulgação/CMC/Arquivo)

    A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) vai reformular, a partir desta segunda-feira (12), em caráter excepcional, a organização das sessões plenárias para ampliar o debate dos vereadores sobre assuntos principalmente relacionados à pandemia. A decisão foi tomada em reunião virtual de Colégio de Líderes, na manhã desta quinta-feira (8).

    As sessões plenárias, reuniões de comissões e audiências públicas continuam sendo realizadas em formato remoto enquanto permanecer a bandeira laranja. Os encontros poderão ser híbridos, com limite de presença em plenário, quando a Prefeitura estabelecer a bandeira amarela.

    Nas sessões plenárias, a Ordem do Dia será reduzida para ampliar os horários destinados ao uso da tribuna pelos vereadores: no pequeno expediente, vereadores que não utilizaram o espaço no dia anterior terão preferência, enquanto no grande expediente três vereadores poderão usar a palavra por no máximo 10 minutos – hoje o limite é de dois vereadores durante 15 minutos cada.

    Campanha solidária
    Servidores da Câmara Municipal de Curitiba participaram da reunião e apresentaram uma proposta de arrecadação de fundos para compra e destinação de cestas básicas para pessoas mais necessitadas. A campanha terá organização do Sindicato e da Associação de Servidores da CMC, será aberta a toda população e deverá ser lançada na próxima semana.

    A próxima reunião do Colégio de Líderes está agendada para o dia 22 de abril.

    Colégio de Líderes
    Previsto no artigo 24 do Regimento Interno, o Colégio de Líderes é convocado para que a Câmara Municipal tome decisões “que revelem o pensamento majoritário”. Têm direito a voto os líderes de blocos parlamentares e de partidos não pertencentes a blocos. Os líderes de governo e oposição têm direito a voz, mas não a voto.

    As deliberações do Colégio de Líderes da CMC são tomadas mediante consenso entre seus integrantes “sempre que possível”. Quando não for, o critério a ser adotado é o da maioria absoluta, ou seja, metade mais um do número de membros. Os votos dos líderes são computados em função do número de vereadores de cada bancada.

    O Colégio de Líderes é formado pelos líderes dos seguintes blocos e bancadas:

    DEM/PMB (6 vereadores) – Mauro Ignácio

    Pode/PSL (5 vereadores) – Mauro Bobato

    Solidariedade/Novo (4 vereadores) – Alexandre Leprevost

    PT/PV (4 vereadores) – Carol Dartora

    PP/PTB/PSB (4 vereadores) – Nori Seto

    PSD (4 vereadores) – Beto Moraes

    Pros/Republicanos (3 vereadores) – Osias Moraes

    PDT (3 vereadores) – Dalton Borba

    PSC/Patriota (2 vereadores) – Marcelo Fachinello

    MDB/DC (2 vereadores) – Noemia Rocha

    Cidadania (1 vereador) – Herivelto Oliveira

    O líder do governo é Pier Petruzziello, do PTB, e o da oposição, Renato Freitas, do PT.

  • Volta às urnas

    Eleitores de Munhoz de Mello elegem prefeito no domingo

    Prefeito eleito teve o registro recusado pela Justiça Eleitoral
    Prefeito eleito teve o registro recusado pela Justiça Eleitoral (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

    Os eleitores de Munhoz de Melo, município voltam às urnas no próximo domingo, para eleger o prefeito e o vice-prefeito da cidade. A eleição será realizada em dois locais de votação, conforme os protocolos de segurança sanitária. 

    A 150ª Zona Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Gilmar Jose Benkendorf Silva, candidato eleito ao cargo de prefeito em 15 de novembro de 2020. O TRE­-PR manteve o indeferimento do registro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou o recurso por unanimidade de votos e determinou a realização de nova eleição.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Ação social

    Câmara de Curitiba discute reinserção de pessoas em situação de rua no mercado de trabalho

    Prefeitura poderia exigir que empresas vencedoras de licitações os contratem para a execução de obras ou serviços
    Prefeitura poderia exigir que empresas vencedoras de licitações os contratem para a execução de obras ou serviços (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

    A Câmara Municipal de Curitiba discute projeto do vereador Marcio Barros (PSD) que propõe a criação de um instrumento para a reinserção das pessoas em situação de rua no mercado de trabalho. Pela proposta, a prefeitura poderia exigir que empresas vencedoras de licitações os contratem para a execução de obras ou serviços.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Educação

    Na Assembleia, especialistas defendem volta às aulas presenciais

    Especialistas ouvidos em audiência pública na Assembleia Legislativa, ontem, defenderam a volta às aulas presenciais nas escolas do Paraná. A audiência foi proposta pelo deputado Homero Marchese (PROS), que diz defender a "volta às aulas de forma segura". 

    “Embora a rede privada tenha autorizado a volta às aulas, a rede pública continua fechada. Mesmo que a principio fosse uma forma prudente de se evitar os contágios, é importante dizer que já é tempo necessário voltar às aulas, de forma segura”, afirmou Marchese.

    Para falar do ponto de vista pediátrico sobre a permanência prolongada das crianças em casa (desde março de 2020), o chefe do Departamento de Pediatria do Hospital de Clínicas do Paraná da UFPR, Rubens Cat, foi escalado. Segundo ele “poucas evidências científicas justificaram o fechamento em massa das escolas. O Brasil é o país que mais tempo mantém as crianças fechadas”.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Pandemia

    Audiência pública na Assembleia discute necessidade da volta às aulas presenciais

    (Foto: Jaime Martins/Alep)

    As escolas são ambientes seguros e controlados e a interrupção das aulas presenciais durante mais de um ano na rede pública acarreta incontáveis prejuízos para as crianças, adolescentes e para toda a sociedade. Essa é a principal conclusão da audiência pública “Volta às aulas de forma segura no Paraná”, promovida pela Assembleia Legislativa do Paraná nesta quinta-feira, 8, por iniciativa do deputado Homero Marchese (PROS).

    Para o deputado, não há justificativa para que as escolas permaneçam fechadas. “A ciência e a observação empírica do que ocorreu em outros países mostram que a escola é um lugar protegido. Por isso, não me parece correto e justo que, enquanto as crianças ficam em casa a um grande custo educacional e psicológico, tudo mais seja aberto antes e com prioridade”, disse o deputado.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Flexibilização

    Vereadores defendem funcionamento de restaurantes até às 22 horas na bandeira laranja

    Atualmente, restaurantes só podem funcionar com consumo no local até às 20 horas
    Atualmente, restaurantes só podem funcionar com consumo no local até às 20 horas (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

    A Câmara Municpal de Curitiba aprovou ontem pedido para que a prefeitura autorize o funcionamento de restaurantes para consumo no local até às 22 horas, ao invés de 20 horas, na vigência da bandeira laranja que estabelece as medidas restritivas para combate à pandemia da Covid-19 na cidade. Uma das sugestões foi apresentada por Alexandre Leprevost (SD), que argumentou que as medidas de flexibilização tem sido importantes para a economia, com várias sugestões feitas em plenário acatadas pela prefeitura e que “aliviaram a situação complicada de muitas pessoas que estavam passando por dificuldades”.

    O vereador ainda lembrou que esta não é a primeira vez que a ampliação do horário de funcionamento dos restaurantes é sugerida e que, após o retorno da bandeira laranja, é urgente que o setor possa deixar suas portas abertas até às 22 horas. “Funcionamento até 20 horas não faz sentido. O empresário se programa com compras de produtos, escala de funcionários e esse horário até 20 horas inviabiliza, não torna viável as operações, principalmente para aqueles que têm sua atividade principal no turno da noite. Era melhor não ter feito, do que liberar até às 20 horas”, analisou.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Suspeita

    TCE suspeita que políticos furaram a fila da vacina no interior do Paraná

    Entre as suspeitas, destacam-se a de um vereador sem formação superior que foi vacinado como farmacêutico
    Entre as suspeitas, destacam-se a de um vereador sem formação superior que foi vacinado como farmacêutico (Foto: Franklin de Freitas)

    O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) encaminhou 18 notificações a municípios pedindo explicações sobre a aplicação de vacinas contra a Covid-19 em um prefeito, três ex-prefeitos e dezenas de vereadores do interior do Paraná. Segundo o TCE, eles aparentemente não se enquadram em nenhum dos grupos prioritários para imunização, conforme critérios definidos pelo Ministério da Saúde.

    Segundo apurado pelo Tribunal, diversos vereadores foram indevidamente vacinados na condição de "motorista de ambulância", apesar de as informações presentes nos sistemas das prefeituras não demonstraram o exercício da atividade pelos parlamentares. Também foram registrados casos de agentes políticos vacinados apenas com a justificativa "outros", sem a apresentação de quaisquer informações adicionais.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Conta de luz

    Deputados pedem cancelamento de aumento de 9,67% na tarifa da energia elétrica do Paraná

    Reajuste esta prevista para entrar em vigor em 24 de junho
    Reajuste esta prevista para entrar em vigor em 24 de junho (Foto: AENPr/arquivo)

    Um grupo de deputados estaduais assinou requerimento para que a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) cancele o reajuste na conta de energia previsto para vigorar a partir de 24 de junho. O aumento médio de 9,67% atinge consumidores da Copel.

    O texto foi proposto inicialmente, pelo deputado Nelson Luersen (PDT) e já recebeu assinaturas dos deputados Luiz Claudio Romanelli (PSB), Professor Lemos (PT), Anibelli Neto (MDB), Delegado Jacovós (PL), Elio Rusch (DEM) e Boca Aberta Junior (Pros).

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Reação

    Solidariedade expulsa sumariamente o vereador Dr. Jairinho

    Dr Jairinho: vereador é acusado pelo assassinato do enteado, Henry, de 4 anos
    Dr Jairinho: vereador é acusado pelo assassinato do enteado, Henry, de 4 anos (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

    O partido Solidariedade decidiu, de forma sumária, expulsar o vereador Dr. Jairinho (RJ). O parlamentar foi preso na manhã de hoje suspeito da morte de seu enteado, o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos de idade, no dia 8 de março. Também teve a prisão decretada a mãe do menino e namorada do parlamentar, Monique Medeiros.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Transporte coletivo

    Supremo rejeita recurso do TCE e mantém circulação de ônibus de Curitiba

    TCE determinou a suspensão da circulação de ônibus no último dia 19, mas TJ reverteu decisão
    TCE determinou a suspensão da circulação de ônibus no último dia 19, mas TJ reverteu decisão (Foto: Franklin de Freitas)

    O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, rejeitou recurso protocolado pela Procuradoria-Geral do Estado do Paraná (PGE) em nome do Tribunal de Contas do Estado (TCE/PR) que pedia a manutenção da medida cautelar que determinou a suspensão do transporte coletivo de Curitiba em razão do agravamento da pandemia da Covid-19. A decisão mantém liminar concedida pela Justiça à prefeitura da Capital contra a determinação do TCE.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Audiência

    Assembleia discute volta às aulas presenciais

    Marchese (PROS): "entendemos que a educação tem de ser vista como prioridade quando se fala em reabertura"
    Marchese (PROS): "entendemos que a educação tem de ser vista como prioridade quando se fala em reabertura" (Foto: Dálie Felberg/Alep)

    A Assembleia Legislativa promove hoje, a partir das 14 horas, a audiência pública “Volta às aulas presenciais de forma segura”. O objetivo é discutir os impactos e implicações da paralisação das aulas presenciais em todo o Paraná por conta da pandemia do coronavírus e as possibilidades de retorno de forma segura. O debate terá transmissão ao vivo pela TV Assembleia, site e redes sociais do Legislativo. A proposta foi feita pelo deputado Homero Marchese (PROS), que defende a volta às aulas presenciais. O governador Ratinho Júnior (PSD) tem afirmado que elas só serão retomadas após a vacinação de professores e trabalhadores da Educação contra a Covid-19.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • LDO

    Secretaria da Fazenda prevê receita de R$ 48,3 bilhões para 2022

    (Foto: reprodução/You Tube)

    A Secretaria da Fazenda prevê uma receita de R$ 48,3 bilhões para 2022, segundo versão preliminar do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do Estado para o ano que vem, apresentada ontem pela Pasta. A proposta que precisa ser encaminhada ao Legislativo até o dia 15 de abril, define as metas e prioridades do governo para o ano seguinte e orienta a elaboração do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), que começa a ser elaborado na metade do ano e deve ser remetido à Assembleia Legislativa até 30 de setembro.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Prejuízo

    Operação mira fraudes de R$ 6 milhões em licitações na região Oeste

    Foram apreendidos documentos, aparelhos de informática e celular
    Foram apreendidos documentos, aparelhos de informática e celular (Foto: PCPR/divulgação)

    A Polícia Civil do Paraná (PCPR) e o Ministério Público do Paraná (MPPR) cumpriram 21 mandados de busca e apreensão em endereços relacionados a suspeitos de fraude em licitações, em Santa Helena (região Oeste), hoje. O prejuízo aos cofres públicos é superior a R$ 6 milhões.

    Um homem foi preso em flagrante por posse de munição irregular. Também foram apreendidos documentos, aparelhos de informática e celular, que irão auxiliar no andamento investigações. As ordens judiciais foram cumpridas simultaneamente naquele município e em São Miguel do Iguaçu, também na região Oeste.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Tribuna Livre

    Na Câmara, presidente da ACP defende rodízio no funcionamento do comércio

    Turmina: "Eu não preciso de 800 farmácias abertas"
    Turmina: "Eu não preciso de 800 farmácias abertas" (Foto: Franklin de Freitas)

    O presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Camilo Turmina, defendeu hoje na Câmara Municipal de Curitiba um rodízio no funcionamento do comércio durante a pandemia da Covid-19. Segundo ele, essa seria uma das alternativas para evitar maiores prejuízos para a economia da cidade no enfrentamento da pandemia.

    “Quantos por cento nós queremos que fiquem em isolamento em casa? Se for 50% é bem simples. Um dia abre uma atividade econômica. No outro dia, outra”, propôs. Turmina sugeriu que a divisão ocorra, por exemplo, conforme o lado da rua, numeração par e ímpar dos imóveis ou pelo registro na Junta Comercial. “Gente, nós quebramos negócios porque não damos esperança à nossa população”, justificou.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Educação

    Comissão da Câmara de Curitiba mantém veto a aulas presenciais

    Aulas presenciais na rede pública estão suspensas por tempo indeterminado
    Aulas presenciais na rede pública estão suspensas por tempo indeterminado (Foto: Daniel Castellano / SMCS)

    Por 6 a 3 votos, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal manteve ontem o veto parcial da Prefeitura de Curitiba ao projeto que torna a Educação uma atividade essencial na cidade de Curitiba durante a pandemia. O parecer da CCJ avaliou a legalidade dos argumentos do Executivo, considerando que o mérito será debatido em plenário até a próxima terça-feira (13). Para rejeitar o veto são necessários 20 votos, pois se aplica a regra da maioria absoluta dos parlamentares – ou seja, é preciso “metade mais um” dos 38 vereadores da Câmara Municipal de Curitiba.

    Clique aqui para ler esse post completo.