• 17/07/2018

    'Estadão' destaca 'maratona' de Cida Borghetti pelos municípios

    'Estadão' destaca 'maratona' de Cida Borghetti pelos municípios
    (Foto: Ricardo Almeida/ANPr)

    Reportagem de ontem do jornal 'O Estado de São Paulo' destacou que desde que assumiu o governo do Paraná, em 6 de abril último, a governadora epré-candidata à reeleição Cida Borghetti (PP) percorreu quase um município do Estado por dia.

    De acordo com o texto, em 90 dias, Cida visitou 80 cidades - cerca de 20% do total e nesse período, assinou mais de 3 mil convênios, somando R$ 4 bilhões em investimentos nas cidades em áreas diversas como desenvolvimento urbano, saúde e turismo.

  • 17/07/2018

    Tony Garcia ensaia candidatura ao Senado

    Tony Garcia ensaia candidatura ao Senado
    (Foto: Reprodução / Facebook )

    O ex-deputado estadual Tony Garcia (PTC) ensaia uma candidatura ao Senado. Ele afirma que empresários e políticos o pressionam para que lance sua candidatura nas eleições deste ano. Provável integrante da coligação de apoio à reeleição da governadora Cida Borghetti (PP), o PTC deve realizar sua convenção no próximo sábado (21). Entre esta terça e quarta-feira, Garcia deve confirmar se lança seu nome na convenção. “Querem que eu agite o cenário”, disse.  

    Tony Garcia já concorreu ao Senado em três ocasiões: em 2002, pelo PPB, quando ficou em sexto lugar, com 666.227 votos,  atrás de Osmar Dias (PDT), Flavio Arns (PT, hoje REDE), Paulo Pimentel (PMDB), Edésio Passos (PT) e Luciano Pizzato (PFL); em 1994, quando ficou em terceiro, com 896.511 votos, atrás de Roberto Requião (MDB) e Osmar Dias (ex-PP, agora PDT); e em 1990, quando ficou em segundo pelo PRN, com 690.350 votos, na eleição vencida pelo ex-senador José Eduardo de Andrade Vieira (PTB), que ficou com a única vaga em disputa.

  • 16/07/2018

    Richa visita presidente do TJ, governador em exercício

    Richa visita presidente do TJ, governador em exercício
    (Foto: Divulgação / Beto Richa )

    O ex-governador Beto Richa (PSDB), pré-candidato ao Senado, visitou nesta segunda-feira (16) o governador em exercício, desembargador Renato Braga Bettega, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), que dirige o Palácio Iguaçu até o dia 18 de julho, enquanto a governadora Cida Borghetti (PP) cumpre agenda oficial nos Estados Unidos. 

    Richa afirma que renovou "o sentimento de dever cumprido" e agradeceu a receptividade do desembargador. "Visitei nesta manhã o governador em exercício, Desembargador Renato Braga Bettega. A cada retorno ao Palácio Iguaçu, renovo o sentimento de dever cumprido, de que fiz o possível para deixar o Paraná em condições melhores do que as que encontrei no início de 2011. Em mais de sete anos, foram 22 mil obras e muito empenho para manter as finanças em dia. Agradeço ao Dr. Renato Braga Bettega pela atenção recebida hoje", escreveu Richa em suas redes sociais. 

    Bettega é o terceiro na sucessão ao Palácio Iguaçu e assumiu após viagem de Cida e do presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano, que também ausentou-se para não ficar inelegível. 

  • 16/07/2018

    Inscrições para 'Jovem Senador' vão até 17 de agosto

    Inscrições para 'Jovem Senador' vão até 17 de agosto
    (Foto: Senado Federal )

    Estudantes de todo o Paraná que quiserem vivenciar na prática como é o trabalho do Senado Federal podem se candidatar ao programa Jovem Senador. As inscrições para a 11° edição do programa podem ser feitas até o dia 17 de agosto pelo correio. 

    O tema da redação desse ano é “A Constituição Cidadã 30 anos depois”. O Jovem Senador tem como objetivo estimular a reflexão sobre política, democracia e exercício da cidadania em estudantes de Ensino Médio com idade até 19 anos. 

    O tema deve ser trabalhado em sala de aula para produção dos textos que serão selecionados pela escola e enviados à Secretaria de Estado da Educação, que selecionará o melhor texto. 

    Os primeiros colocados em cada Estado tomarão posse no Congresso Nacional onde irão atuar como jovens senadores vivenciando o processo de discussão e elaboração das leis durante uma semana. 

    Em Brasília, os alunos serão acompanhados pelos professores orientadores das redações. 

    O Regulamento, ficha de inscrição, folha de redação definitiva, folheto de divulgação, cartaz entre outras informações, poderão ser consultadas na página do Jovem Senador, no endereço www.senado.leg.br/jovemsenador.

    Dúvidas e sugestões podem ser tiradas pelo telefone (41) 3340-5812 e (41) 3340-1682 com a equipe de Língua Portuguesa da Secretaria Estadual da Educação. 

    JOVEM SENADOR - O programa Jovem Senador reúne 27 alunos, um de cada unidade da federação, para simular a atividade parlamentar durante uma semana no Senado Federal. A legislatura jovem inicia após a eleição da Mesa Jovem e encerra com a aprovação e publicação no Diário do Senado Federal dos projetos criados pelos jovens parlamentares.

  • 16/07/2018

    Militantes pró-Lula alugam terreno na porta da PF

    Militantes pró-Lula alugam terreno na porta da PF
    (Foto: Divulgação / Vigília Lula Livre)

    Militantes da vigília que apoia o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva alugaram nesta semana um terreno na esquisa da Superintendência da Polícia Federal, no Bairro Santa Cândida em Curitiba. Até então impedidos de ultrapassar um raio de uma a duas quadras do prédio onde Lula está preso há 101 dias, os militantes agora pretendem ficar a menos de 10 metros do portão principal da PF, na Rua Professor Sandália Monzon, número 164.

    De acordo com a coordenação do espaço, a ação é uma forma de cumprir os acordos com as autoridades, respeitando o interdito proibitório, a comunidade local e, por tratar-se de área privada, a liberdade de ir e vir dos integrantes do movimento.

    O grupo pretende com a instalação das tendas no novo terreno ter maior proximidade com o ex-presidente Lula.

    A Policia Militar (PM), que faz controle da circulação de pessoas no entorno, ainda não permitiu entrada das tendas no terreno local. Na terde desta segunda-feira, os coordenadores do movimento, dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT) e de movimentos de apoio participam de uma audiência de consciliação com representantes da Prefeitura de Curitiba e moradores da região no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). Dessa reunião, deve sair um acordo que pacifique as diversas ações judiciais contra manifestaçõe na região. 

    Em entrevista ao site Brasil de Fato, a presidente da Central Única dos Trabalhadores do Paraná e da Frente Brasil Popular Paraná, Regina Cruz, afirma que a locação do terreno servirá como palco para os atos em apoio a Lula. “Não estamos ocupando, não estamos invadindo, estamos alugando um terreno. Uma organização para que, a partir de agora, nossas reuniões, encontros, o ‘bom dia e boa tarde, presidente Lula’ sejam feitos daqui. Seguindo em apoio, estando de forma pacifica, como foi ao longo desse tempo, desde que está como preso político”, explica Regina Cruz. 

    Eduardo Godoy, advogado da Vigília, defende que não existe irregularidade na ação. "O direito de livre acesso a uma área privada não pode ser cerceado por qualquer ação policial, a não ser que haja alguma infração legal, mas aqui não há nenhuma.  Hoje a tarde temos uma audiência com Desembargador Fernando Paulino da Silva Wolff e estas questões serão levadas ao conhecimento dele para que as providências sejam tomadas”, disse ao Brasil de Fato.

    O Acampamento Marisa Letícia, que abriga militantes de movimentos sociais durante a noite, deve ser mantido no terreno alugado na Rua Padre João Sulinski, número 278, a cerca de um quilômetro do prédio da PF. O terreno ao lado da PF servirá apenas para a vigília, os militantes não devem dormir lá. 

    Divulgação / Vigília Lula Livre

     

  • 16/07/2018

    Prazo para pedir voto em trânsito começa na terça-feira

    Prazo para pedir voto em trânsito começa na terça-feira
    (Foto: Agência Brasil/arquivo)

    A Justiça Eleitoral começa a receber, a partir de amanhã até 23 de agosto, os pedidos de eleitores que pretendem votar em trânsito – ou seja, fora de seu domicílio eleitoral – nas eleições de outubro. O voto em trânsito pode ocorrer no primeiro, no segundo ou em ambos os turnos, mas somente em capitais e municípios com mais de 100 mil eleitores.

    Segundo a lei, para votar em trânsito, o eleitor deverá comparecer em qualquer cartório eleitoral e solicitar sua habilitação. Basta apresentar um documento oficial com foto e indicar o local em que pretende exercer seu direito de voto. Apenas os cidadãos que estiverem com situação regular no Cadastro Eleitoral poderão votar em trânsito.

    Os eleitores que se encontrarem fora do Estado de seu domicílio eleitoral poderão votar em trânsito apenas na eleição para presidente da República. Já aqueles que estiverem em trânsito dentro de seu estado, mas em cidade diversa de seu domicílio eleitoral, poderão votar para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual.

    O voto em trânsito não é permitido em urnas instaladas em outros países. Entretanto, eleitores com título eleitoral cadastrado no exterior, e que estiverem em trânsito no território brasileiro, poderão votar na eleição para presidente da República.

    Caso o eleitor habilitado para votar em trânsito não compareça à seção, ele deverá justificar sua ausência, inclusive se estiver em seu domicílio eleitoral de origem no dia da eleição. A justificativa de ausência nos dias de votação não poderá ser feita no município por ele indicado para o exercício do voto.

    Cabe aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) divulgar em seus sites, até o próximo dia 17, onde haverá voto em trânsito. Os locais poderão ser atualizados até o dia 23 de agosto. As seções eleitorais destinadas à recepção do voto em trânsito deverão conter no mínimo 50 e no máximo 400 eleitores. Se o número de eleitores não atingir o mínimo previsto, o TRE agregará a seção eleitoral a outra mais próxima, visando garantir o exercício do voto.

  • 16/07/2018

    Osmar Dias participa na sexta de convenção do PDT que confirmará candidatura de Ciro Gomes

    Osmar Dias participa na sexta de convenção do PDT que confirmará candidatura de Ciro Gomes
    (Foto: Agência Brasil/arquivo)

    O ex-senador e pré-candidato ao governo, Osmar Dias, participa na sexta-feira, em Brasília, da convenção nacional do PDT que vai oficializar a candidatura do ex-ministro Ciro Gomes à presidência da República pelo partido. A convenção do PDT do Paraná que deve confirmar o nome de Osmar para a disputa pela sucessão estadual está marcada para 4 de agosto, em Curitiba. Serão definidos ainda os candidatos a deputado estadual e federal pela legenda.

    No final de semana, o pedetista parcitipou, na Capital, de seminário “O PDT e a Mulher Paranaense no Século 21”. No encontor, ele reafirmou o compromisso de que, se eleito, as mulheres vão ocupar funções estratégicas no governo para colaborar no planejamento de políticas.

    O evento foi organizado pela Ação da Mulher Trabalhista e pelo diretório estadual do PDT e contou com a participação de cerca de 60 mulheres. Osmar falou na abertura do encontro sobre a importância da inserção da mulher na política e no processo eleitoral deste ano e confirmou a necessidade de se criar uma Secretaria de Estado da Mulher. “O governo precisa incentivar que as mulheres se organizem em associações, principalmente nos municípios que apresentam IDH mais baixo, e assim elas vão conseguir ter mais força para resolver os problemas que afligem a família paranaense”, defendeu.

    Durante o seminário, o pedetista anunciou que uma das medidas que pretende tomar, se eleito, é ampliar a idade de atendimento do programa Leite das Crianças, de 2 para 3 anos. “Além de atender as necessidades básicas das crianças com leite de boa qualidade e enriquecido com minerais, nós vamos comprar o produto exclusivamente e direto da família agricultora”, disse.

  • 16/07/2018

    Gustavo Fruet volta a ser trunfo do PDT para o Senado

    Gustavo Fruet volta a ser trunfo do PDT para o Senado
    (Foto: Franklin de Freitas)

    Em modo de espera por uma definição no cenário de alianças do PDT do pré-candidato ao governo Osmar Dias, o ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), que por enquanto se declara pré-candidato à Câmara Federal, pode se tornar o nome da sigla para Senado. Enquanto Osmar e o senador Roberto Requião (MDB) não fecham acordo para uma coligação que satisfaça as exigências dos dois lados, Fruet se prepara para talvez assumir a condição de candidato de Osmar a senador e aproveitar seus votos cativos, os oriundos da exposição que teve na prefeitura, além daqueles 'segundos votos' de quem já escolheu Requião ou o também Beto Richa (PSDB) como primeira opção para o Senado.

    Leia mais sobre as pretensões e propostas de Fruet aqui

  • 13/07/2018

    Oriovisto, do grupo Positivo, estreia na política como pré-candidato ao Senado e defende um basta aos desmandos

    Oriovisto, do grupo Positivo, estreia na política como pré-candidato ao Senado e defende um basta aos desmandos
    (Foto: Franklin de Freitas)

    O pré-candidato ao Senado, professor Oriovisto (PODEMOS) estreia na política nas eleições deste ano. Ele trabalhou como presidente do Grupo Positivo por 40 anos, onde ajudou a criar mais de dez mil empregos. “É chegado o momento dos brasileiros dizerem em alto e bom som um ´Chega! Chega de políticos corruptos! Chega de políticos voando nos jatinhos da FAB, gastando o dinheiro dos impostos que pagamos. Chega de uma justiça que demora demais para prender corruptos e que solta muitos dos que foram presos”, disse ele em entrevista ao Bem Paraná.

    Para conferir quais são as ideias defendidas por Oriovisto leia a entrevista completa aqui.

  • 12/07/2018

    Deputado paranense propõe fim de férias de 60 dias de juízes

    Deputado paranense propõe fim de férias de 60 dias de juízes
    (Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

    Relator do projeto que regulamenta o teto salarial do funcionalismo, o deputado federal paranaense Rubens Bueno (PPS), apresentou, ontem, na Câmara, uma Proposta de Emenda à Constituição que limita em 30 dias as férias de todos os servidores públicos do País e também acaba com a licença prêmio. Hoje, por exemplo, juízes e promotores têm direito a férias de 60 dias, sem contar os dois períodos de recesso por ano. A PEC contou com assinaturas de apoio de 174 deputados.

    “Nenhum trabalhador brasileiro deve ter um período de férias maior do que 30 dias. O que estamos fazendo é modificar o regime jurídico aplicável aos agentes públicos e equipará-lo ao que determina a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), legislação a que é submetida a grande maioria dos brasileiros. Então, se a CLT determina o máximo de 30 dias de férias, não há porque algumas categorias de servidores públicos terem direito a um período maior que isso. Trata-se de um privilégio que precisa acabar”, afirmou Bueno.

    Para o deputado, a proposta acaba com dois aspectos da legislação que causam inegável desconforto. “Falo aqui da existência de categorias na administração pública com período de férias superior ao previsto para os trabalhadores em geral e a previsão de licenças que, ao invés de gozadas, terminam constituindo verdadeiro ‘pé-de-meia’ para os contemplados. Então, acredito que a mudança dará um gigantesco passo no sentido da isonomia, do fim de distorções que precisam ser enfrentadas”.

    Bueno também aguarda, para depois do recesso parlamentar, a marcação de reunião da comissão especial da Câmara que precisa votar seu parecer sobre o projeto do teto salarial dos servidores públicos. O relatório, que foi apresentado no último dia 12 de junho, prevê, entre outros pontos, a limitação do auxílio-moradia de autoridades, torna os honorários de sucumbência passíveis do abate teto e estabelece que passem pelo corte constitucional os salários extras de ministros que fazem parte de conselhos de empresas públicas.

    A estimativa da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados é que o projeto gere uma economia de até R$ 2,3 bilhões por ano aos cofres públicos. “São até R$ 1,16 bilhão com base no gasto máximo com o pagamento de auxílio moradia, que hoje não é submetido ao abate teto, e de até R$ 1,15 bilhão com o fim do pagamento da venda de 30 dias de férias por integrantes do Judiciário e Ministério Público da União e dos Estados”, explicou Bueno.

DESTAQUES DOS EDITORES