Câmara Federal

Deputado Boca Aberta chama relator que pediu sua cassação para a briga

Boca Aberta (PROS): “Você não tem vergonha na sua cara não?"
Boca Aberta (PROS): “Você não tem vergonha na sua cara não?" (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

O deputado federal paranaense Boca Aberta (PROS) atacou hoje o relator de seu processo no Conselho de Ética da Câmara, deputado Alexandre Leite (DEM/SP). Leite recomendou a cassação do mandato do paranaense. O relator afirmou que Boca Aberta agiu de má-fé ao tentar postergar um caso contra si recorrendo à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Segundo o deputado do DEM, o parlamentar do PROS apresentou documentos adulterados e atingiu a honra de servidores públicos.

O Conselho de Ética da Câmara analisaria hoje o caso de Boca Aberta, mas o processo foi retirado de pauta a pedido do relator, porque Boca Aberta teve o diploma cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral em agosto. “Pela recente decisão do TSE em determinar a cassação do diploma do representado”, afirmou.

Em discussão já na saída da reunião, Boca Aberta chegou a desafiar Leite para uma briga. “Vamos para o pau ali no plenário!”, gritou.

“Eu não sei qual o receio dele, Alexandre Leite, de a gente mostrar alguns vídeos. De a gente falar algumas atuações suas fora do parlamento. Inclusive batendo o carro bêbado, não quis soprar o bafômetro”, disse Boca Aberta. “É uma família de políticos envolvida em várias e várias irregularidades. Rachadinha, um monte de… pai dirigiu bêbado sem habilitação, bateu no motoqueiro. Vamos falar hoje, vamos lavar o relatório mentiroso que ele fez contra mim”, declarou Boca Aberta.

“Inclusive foi achincalhada a família Leite ao vivo no programa do Datena, chamados de mentirosos em rede nacional. Irmão bateu o carro bêbado, foi expulso de casa compulsoriamente porque batia na mulher, ficava fedido 3 dias sem tomar banho”, disse o deputado paranaense.“Você não tem vergonha na sua cara não?”, gritou ele. “Quadrilheiro, família de bandido, comprador de voto com cesta básica em São Paulo!”, continuou o paranaense.

“Vamos para o pau ali no plenário!”, disse Boca Aberta. “Estou com 5 pessoas investigando as empresas Sambaíba onde vocês fazem esquema para ganhar eleição”, gritou o deputado do Pros.

O pai do relator, Milton Leite, é presidente da Câmara Municipal. O irmão Milton Leite Filho, é deputado estadual. Boca Aberta responde a duas representações apresentadas do PP por ofensa ao deputado federal Hiran Gonçalves (PP/RR) e por invadir uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento em Londrina (região Norte).

Diploma - Boca Aberta teve o diploma cassado pelo TSE em 24 de outubro. O motivo foi que parlamentar já havia tido o mandato de vereador cassado pela Câmara Municipal de Londrina, em 2017, por quebra de decoro parlamentar, ficando inelegível pelo prazo de oito anos. No pleito de 2018, ele teve a candidatura registrada por força de liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do estado que suspendeu os efeitos do decreto legislativo que cassou o mandato do político na Câmara. Assim, conseguiu se eleger deputado federal.

Ao votar, o ministro Luis Filipe Salomão ressaltou que a cassação do mandato do vereador por quebra de decoro parlamentar é incontroversa, e que a liminar que suspendeu os efeitos do decreto legislativo já estava comprovadamente revogada antes da data da eleição. Ele também confirmou o enquadramento em cláusulas de inelegibilidade das condenações imputadas ao parlamentar por crimes contra a Administração Pública.

Veja vídeo com trecho da reunião do conselho hoje.