Vaza Jato

Governo diz que 'esgotou-se arsenal contra Moro' e Greenwald ri: "Vamos esperar até o final do dia"

O jornalista Glenn Greenwald, editor do Intercept Brasil, na sessão da Comissão de Direitos Humanos da Câmara
O jornalista Glenn Greenwald, editor do Intercept Brasil, na sessão da Comissão de Direitos Humanos da Câmara (Foto: Vinicius Loures / Câmara dos Deputados)

Uma reportagem publicada nesta sexta-feira pelo jornal Estadão aponta que integrantes da inteligência do governo federal acreditam já teria se esgotado o "arsenal do The Intercept contra Moro". Nas últimas semanas, o jornal, que tem Glenn Greenwald como editor, publicou uma série de reportagens com diálogos privados que teriam sido mantidos pelo ex-juiz e hoje ministro da Justiça Sergio Moro, colocando em xeque a imparcialidade de Moro no julgamento de Lula e outras ações da Lava Jato, inclusive apontando a existência de um conluio entre o juízo e o Ministério Público Federal.

Segundo o Estadão, os próximos "capítulos" da Vaza Jato, nome dado a série de reportagens do The Intercept (que agora conta com a parceria de outros jornais, como a Folha de S. Paulo, a Veja e a Bandnews/Reinaldo Azevedo), trariam apenas conversas entre Deltan Dallagnol e outros procuradores.

Pelo Twitter, Greenwald reagiu à publicação do Estadão. No primeiro post, publicado há seis horas, o jornalista escreveu: "O desespero aqui é triste. Vamos esperar até o final do dia - hoje - e depois me dizer se o que o @Estadao publicou aqui hoje é verdade ou não. Eu acho que a resposta será bem clara."

Em seguida, questionou em outro tweet: "'A versão de integrantes da inteligência do governo dá conta de que já se esgotou o arsenal do The Intercept contra Moro.'- rindo muito. De todos os dias para afirmar isso, hj é o pior dia possível para eles. E obviamente, eles não têm ideia do que temos, então por que fingir?"

Tudo indica, portanto, que ainda hoje teremos mais revelações sobre a atuação do juiz Sergio Moro na Operação Lava Jato.