Imunização

Paraná decide antecipar vacinação de professores e profissionais da educação, diz líder do governo

Paraná vai remanejar doses para começar vacinação de professores e demais profissionais da educação em paralelo com grupo de comorbidades
Paraná vai remanejar doses para começar vacinação de professores e demais profissionais da educação em paralelo com grupo de comorbidades (Foto: Franklin de Freitas)

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri (PSD), anunciou hoje que a Secretaria de Estado da Saúde decidiu antecipar o início da vacinação de professores e demais profissionais da educação do Paraná contra a Covid-19. Segundo Bakri, o secretário Beto Preto pretendi iniciar a vacinação de professores e profissionais da educação, ao mesmo tempo que a imunização das pessoas portadoras de comorbidades. De acordo com o líder governista, Preto planeja remanejar doses da vacina para os profissionais da educação, mesmo que o Ministério da Saúde não concorde com a reivindicação do Paraná.

Apesar das declarações de Hussein Bakri (PSD), Preto diss, em entrevista coletiva na noite desta segunda (3) que o assunto não é questão fechada. "Sobre a inclusão dos professores nas prioridades da vacina, estamos discutindo. A proposta não está fechada, mas nesta semana vamos conversar sobre isso sim e devemos anunciar algo mais concreto", afirmou ele.  O secretário também disse que não há data definida para o retorno das aulas na rede estadual de ensino, mas que o governo analisa a questão todos os dias, olhando os números.

“A Sesa está fazendo um planejamento para vacinar os professores em paralelo ao grupo das comorbidades. Recebi agora há pouco no meu whats up do secretário Beto Preto. O secretário disse que mesmo que o Ministério da Saúde não se manifeste sobre o ofício do Paraná, o Estado estuda remanejar por decisão própria, doses da vacina para os profissionais da educação. Que afinal de contas o Estado recebeu 438 mil doses que chegaram no sábado”, disse Bakri.

Na semana passada, o secretário foi a Brasília, onde apresentou ao ministério um pedido de antecipação da vacinação dos profissionais e trabalhadores da educação. O Estado defende a readequação do calendário nacional para que a imunização dos docentes e servidores aconteça simultaneamente às pessoas com comorbidades.

Na ocasião, Beto Preto entregou um ofício ao secretário Nacional de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, reforçando o posicionamento do Paraná. Ele destacou que a mudança na orientação e a garantia das doses precisam partir do Ministério da Saúde. "Queremos vacinar os professores. Precisamos de vacinas. Vamos enfatizar esta posição do Paraná acerca da cobertura da Educação. Cabe ao Ministério essa revisão", disse.

Atualmente, o Paraná tem mais de 155 mil professores, nas redes pública e privada nos três níveis de ensino (básico, médio e superior). Desses, 30% têm mais de 60 anos e já estão aptos a serem vacinados de acordo com os grupos prioritários.