• Criançada na iniciação do rock 'n roll

    Crossroads promove o Carnakids nesta segunda-feira de Carnaval

    Crossroads promove o Carnakids nesta segunda-feira de Carnaval

    Informações com Assessoria de Imprensa

    Depois do sucesso do último ano, o Bar Crossroads, localizado no bairro Água Verde, promove mais uma edição do Carnakids, um evento gratuito voltado ao público infantil, que ocorre na segunda-feira (24), a partir das 14h.

    “O rock é um estilo musical que passa de pai para filho, unindo as mais variadas gerações. Depois do sucesso que o Carnakids teve no último ano, nada melhor do que reunir pequenos e adultos em mais uma celebração do rock n’roll. É muito gratificante fazer parte da histórias dessas famílias”, comenta Alessandro Reis, proprietário do Bar Crossroads.

    O evento contará com programação especial, incluindo Espaço Kids com brincadeiras desplugadas, em parceria com o Pintando na Calçada e Criança na Plateia, incluindo camarim de pintura e interação com palhaços, assim como muita música ao vivo com o grupo Rock Kids. Para os pais, o rock n’roll começa com a banda Válvula Vapor, no Palco Thunder, localizado na área externa, e com o grupo F4T, no Palco Cross, área interna.

    Na gastronomia, opções para todos os gostos, com a ThunderPizza, fritas e doces especiais, disponíveis com valores a partir de R$15.

    “CarnaKids”
    Data: 24 de fevereiro (segunda-feira)
    Horário: a partir das 14h
    Local: Bar Crossroads (Av. Iguaçu, 2310 – Água Verde)
    Classificação Livre

    Mais informações no www.sinnersrockbeer.com.br

    email: heavymol@hotmail.com

  • Várias opções de Heavy Metal e Grunge anos 90

    Hangar divulga agenda de shows do Carnaval

    Hangar divulga agenda de shows do Carnaval

    Informações com Assessoria de Imprensa

    O Hangar – A Casa do Ócio tem opções variadas para o público Rock and Roll durante o carnaval. Na sexta-feira (21/02) a casa recebe o Metal Caos, com as bandas Jesus Hits for Bong (Stoner), Sowdierz (Heavy Metal) e Bloqueio Mental (Crossover). A entrada custa R$ 10, e haverá promoção de 3 chopes por R$ 12 a noite toda. Quem compartilhar o evento nas redes sociais, ainda ganha uma dose de conhaque ou vodka.

    No sábado (22/02), a partir das 21h, com realização da Crazy Horse Produções, acontece um especial anos 90, com bandas tributo ao Alice in Chains (Sludge Factory) e Nirvana (Nirvanover). A entrada também custa R$ 10.

    Na terça-feira (25/02) é a vez do Berma Fest, que reunirá as bandas de som autoral Exylle, Semate, Broken Death e Atrocitus, todas representantes da nova safra do Metal curitibano. A entrada para quem for de calça custa R$ 10, e quem de bermuda (ou saia e shorts) para apenas R$ 5. As atividades começam a partir das 16h.

    SERVIÇO

    Local: Hangar – A Casa do Ócio

    Endereço: Al. Dr. Muricy, 1091 – Largo da Ordem

    Ingressos: na bilheteria da casa

    Na foto a banda Exylle

    Mais informações: www.sinnersrockbeer.com.br

    nosso email: heavymol@hotmail.com

  • Apresentação faz parte da programação especial de Carnaval

    Blindagem faz show gratuito no Bar Crossroads

    Blindagem faz show gratuito no Bar Crossroads

    Informações com Assessoria de Imprensa

    Nesta quinta-feira (20), a partir das 21h, o Bar Crossroads, localizado no bairro Água Verde, recebe o show do grupo Blindagem, considerado um dos maiores nomes do rock n’roll do Paraná. A entrada é gratuita.

    O evento leva o nome de “Cordão da Loba”, que remete a uma das canções mais conhecidas do grupo, e promete contar com um repertório repleto de outros sucessos da banda, como “Cheiro de Mato”, “Dias Incertos”, “Se Eu Tivesse”, entre outros.

    “O nosso jeito de comemorar o feriado é receber os clientes fazendo o que a gente mais ama: ouvir rock! E a banda Blindagem é uma das maiores referências do rock no nosso estado. A brincadeira com o nome faz referência à uma das músicas mais conhecidas deles que é Loba da Estepe”, explica Alessandro Reis, proprietário do Bar Crossroads.

    TRÊS NOITES DE ROCK!

    Além da apresentação do grupo Blindagem, o Bar Crossrodas contará com mais três noites do bom e velho rock n’roll. Na sexta, 21 de fevereiro, é a vez do rock nacional, com o Unidos do Chorão. Nesse dia o destaque é o Tributo ao Charlie Brown JR, com a banda F4T. A abertura da casa está marcada para às 21h. O valor de entrada é R$20 ou R$40 de consumação.

    O sábado (22) de Carnaval vai ser embalado pelo Bloco da Flanela, a partir das 21h, com o som grunge do Dead Cobains, banda estreante que vai trazer no repertório os grandes sucessos da década de 90, com destaque para Soundgarden e Alice in Chains. O valor de entrada é R$20 ou R$40 de consumação.

    A programação segue no domingo(23), com entrada gratuita: a noite de Pré-Ressaca vai trazer o Especial Brasil Groove, um show inédito da banda Baile Brasa com muito Tim Maia e brasilidades para dançar, a partir das 19h.

    Mais informações: www.sinnersrockbeer.com.br

    email: heavymol@hotmail.com

  • Expoentes do genêro nacional se apresentam na Ópera de Arame

    Festival de metal em Curitiba conta com Armored Dawn, Korzus e Dr. Sin

    Festival de metal em Curitiba conta com Armored Dawn, Korzus e Dr. Sin


    Informações com Assessoria de Imprensa

    Após encerrar o ano com turnê na Europa, shows no Rock in Rio e RockFest, além de tantos outros grandes eventos, o Armored Dawn, preparou uma nova turnê mundial e a temporada brasileira será bem importante para a banda. Neste ano, o grupo levará seu projeto “Armored Dawn Convida” para oito cidades brasileiras, um passo a frente no cenário rock e metal, unindo estilos e nomes consagrados no mesmo palco. EmCuritiba, a escala está marcada para o dia 02 de maio na Ópera de Arame (R: João Gava, 970) a partir das 20 horas.

    A estreia do projeto tem início no dia 30 de abril no Rio de Janeiro. Depois da capital paranaense passa por Porto Alegre (03.05), Uberaba (08.05), Belo Horizonte (09.05), Manaus (22.05), Santos (23.05) e São Paulo (24.05). Nesta primeira temporada do projeto, participam bandas que, de alguma maneira, possuem uma conexão com a trajetória do Armored Dawn. Os paranaenses terão oportunidade de assistir também shows das bandas Jimmy Rats, Doctor Sin, Korzus e Medjay.

    Engajados em levar o metal para diversas cidades brasileiras, o Armored Dawn cresce a cada passo, colaborando com a cena musical da qual pertencem e evoluindo musicalmente. Por isso, além dos medalhões, bandas mais novas como a mineira Medjay terão oportunidade de mostrar seu trabalho para um grande público durante essa turnê.

    Formado em 2014, na cidade de São Paulo, o Armored Dawn é uma das maiores revelações do Power Metal brasileiro na última década, e para promover seus lançamentos, já estiveram em muitas turnês, pelo Brasil e pelo mundo, ao lado de grandes nomes do metal mundial, entre eles, Saxon,
    Megadeth, Symphony X, Rhapsody, Hammerfall, Tarja, Sabaton e Fates Warning.

    O mais recente trabalho da banda, o aclamado álbum “Viking Zombie”, gravado no Dharma Studios, em São Paulo, foi produzido, mixado e masterizado por Heros Trench (baixo) e Rodrigo Oliveira (bateria). O Armored Dawn conta também com Eduardo Parras (vocal), Tiago de Moura (guitarra), Rafael Agostino (teclado) e Timo Kaarkoski (guitarra). Esse disco conceitual superou barreiras mercadológicas e elevou o patamar das produções nacionais na concepção de muitos críticos, o que fez a banda acreditar ainda mais na cena brasileira.

    Os ingressos já estão à venda e os valores variam de R$44,00 a R$154,00, de acordo com o setor. Vip R$132,00 (inteira)/ R$66,00 (meia-entrada)/ Plateia - R$88,00 (inteira)/ R$44,00 (meia-entrada)/Plateia + Camiseta - R$154,00 (inteira)/ R$110,00 (meia-entrada)/ Camarote - R$110,00 (inteira)/ R$55,00 (meia-entrada)/ Cadeirante– R$44,00 / Acompanhante cadeirante – R$44,00. A meia-entrada é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de necessidades especiais (PNE). Podem ser adquiridos no www.eventim.com.br.

    Serviço:

     “ARMORED DAWN CONVIDA - Jimmy Rats, Doctor Sin, Korzus e Medjay

    Data: 02 de maio de 2020 (Sábado)

    Local: Ópera de Arame (R:João Gava, 970)

    Horários: a partir das 20horas

    Ingressos: R$44,00 a R$154,00, de acordo com o setor.

    Vip – R$132,00 (inteira)/R$66,00 (meia-entrada);

    Plateia - R$88,00 (inteira)/ R$44,00 (meia-entrada);

    Plateia + Camiseta - R$154,00 (inteira)/ R$110,00 (meia-entrada);

    Camarote - R$110,00 (inteira)/ R$55,00 (meia-entrada);

    Cadeirante – R$44,00

    Acompanhante cadeirante – R$44,00.

    A meia-entrada é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, portadores de necessidades especiais (PNE).

    Promoções não cumulativas com descontos previstos por Lei.

    ***Valores sujeitos a alterações sem aviso prévio.

    Pontos de Venda:

    Vendas Online – www.eventim.com.br

    Forma de Pagamento: Cartão de crédito, débito e dinheiro

    Classificação Etária: 16 anos (Menores de 16 anos somente acompanhados dos pais/responsável legal)


    Mais informações no heavymol@hotmail.com

    Nosso email: heavymol@hotmail.com



  • Vocalista do Finis Africae fala sobre novo álbum e composições com curitibanos

    Novo morador de Curitiba é cantor de banda cult do rock nacional

    Novo morador de Curitiba é cantor de banda cult do rock nacional

    O novo morador de Curitiba Eduardo de Moraes tem uma trajetória de história no cenário do rock nacional da década de 1980. Ele é vocalista da banda Finis Africae, que surgiu em Brasília na onda do rock brasileiro, impulsionada por bandas como Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude.

    A Finis Africae é considerada a banda melhor sucedida da segunda geração do rock oitentista brasiliense. Após fazer parte da coletânea Rumores (1985) e lançar um EP, foi contratada pela gravadora EMI por indicação do Renato Russo, líder da Legião Urbana, e gravou um LP.

    Ao emplacar sucessos como “Armadilha”, “Ética”, “Van Gogh”, “Deus Ateu” e "Mentiras" a banda realizou turnês e shows pelo Brasil, participou de programas de auditório como o “Cassino do Chacrinha” e outros, até sentir os efeitos da crise econômica do fim da década e ser dispensada pela gravadora. O fato foi comum com muitas bandas, que estavam decolando naquela época.

    Porém, o Finis até hoje é citado por fãs do rock nacional e bandas da época. O sucesso “Armadilha” chegou a ser regravado pelo Biquini Cavadão em 2001 em um álbum com canções nacionais que a banda considera de grande importância na década de 1980.

    Após o instantâneo sucesso, o cantor se mudou para a Suécia e passou anos por lá, mas sem largar os trabalhos musicais. De tempos em tempos reúne a Finis Africae para realizar shows e fazer gravações.

    Em 2019 deixou o Rio de Janeiro e se mudou para a capital paranaense. Em pouco tempo se entrosou com músicos, poetas e jornalistas que frequentam o bar “Gostinho da Tetê”, no Alto da XV. O cantor foi apresentado por um amigo de longa data de Brasília: o músico curitibano Kadu Lambach, conhecido na Capital Federal como “Eduardo Paraná”, o primeiro guitarrista da Legião Urbana.

    Em sintonia com a “Turma da Tete”, Eduardo já começou a compor com artistas locais como o músico Ferreira, que fez parte da histórica banda curitibana “Beijo AA Força” e o poeta Sergio Viralobos, da pioneira “Contrabanda”, uma das primeiras do punk das araucárias.

    Atualmente, Eduardo continua tocando o Finis Africae. Além dele como membro original, a banda conta com o baterista Ronaldo Pereira, que deixou as baquetas e se tornou produtor do grupo.

    No início do ano, o Finis lançou o novo single “Santa Júlia” nas plataformas digitais e se apresentou no Teatro Rival, no Rio de Janeiro. Para os próximos meses tem a intenção de lançar novas músicas, que serão apresentadas no meio do ano em show de abertura para a Plebe Rude no Circo Voador, no Rio de Janeiro.

    E como outro frequentador da “Turma da Tete” estive no Alto da XV para conversar mais uma vez com Eduardo de Moraes. Mas desta vez a conversa foi registrada:


    Você esteve no Rio de Janeiro recentemente para o lançamento de uma música nova do Finis Africae em show. Como foi?

    Em 2017 e 2018 esta formação nova elaborou um repertório todo novo. E optamos por questões mercadológicas e financeiras fazer lançamento mês a mês. Hoje em dia é assim. De Radiohead a Anitta a prática é esta. É uma tendência atual. Conseguimos viabilizar e gravar as quatro primeiras, estamos mixando e a cada mês produzimos um vídeo. A primeira que lançamos foi “Santa Júlia”, agora vamos lançar uma chamada “Abrolhos”. Nós aproveitamos o show de lançamento que aconteceu em janeiro no Rio, no Teatro Rival e pedimos para os fãs gravarem com o celular. Fizemos um banco de imagens com todas as imagens produzidas e vamos editá-las para fazer o vídeo. Faríamos um lançamento que seria agora em fevereiro, mas deixamos para lançar no Circo Voador (Rio de Janeiro), no show da Plebe Rude, que vamos abrir.

    Qual a diferença do Finis Africae de hoje em relação ao dos anos 80 que gravou o primeiro LP em 1987, pela EMI?

    Eu escrevo os textos. Os temas abordados, a forma de escrever e a parte poética têm muito a mesma pegada. A sonoridade já é outra completamente diferente. São músicos que se conhecem há 30 anos. Nelsinho que era do Kongo, o Cesár que era guitarrista do Coquetel Molotov , um dos primeiros grupos punks do Rio de Janeiro. O baterista tocou com Lobão e hoje está na banda do B Negão. Eles têm uma maturidade de palco de muito tempo. Respeitamos o diálogo musical dos músicos quando compõem e quando interpretam. Mudou muito a sonoridade. No entanto, “Santa Júlia” é uma música punk. Coisa que não fazíamos. Éramos mais funk. Surgiu naturalmente.

    No Rio de Janeiro o lançamento contou com o cantor Guilherme Isnard do Zero

    Sou amigo do Guilherme há 40 anos e nunca desenvolvemos algo. Não é impossível de compormos. Gosto muito do trabalho dele. Ele tem um trabalho inédito ainda a ser lançado. Fiquei super impressionado quando ouvi. É bem diferente do que o Zero fez, que tem uma proposta progressiva, meio complexa. Agora é algo mais direto, objetivo. Uma pegada forte, ainda com o Zero.

    Desde quando você está em Curitiba?

    Eu me mudei há um ano. Eu tive um mestre de cerimônia, que foi o Kadu Lambach (Eduardo Paraná), e comecei a frequentar o Bar da Tete e conheci um pessoal. E já estamos até tocando algumas coisas. Com o Kadu já participei de alguns shows dele cantando músicas do Finis.

    Como surgiu esta parceria com músicos curitibanos que acabou em uma composição?

    Surgiu do Bar da Tete. Saímos daqui, fomos para a casa do Sergio Viralobos e gravamos. O Ferreira tocou o violão (Maxixe Machine e Beijo AA Força), mas está em construção. Eu escrevi uma parte da letra, o Sergio veio com uma outra e começou. O nome da música é “Estacas”. Fala sobre o vampirismo entre as pessoas. Como uma relação se estabelece e uma pessoa vampiriza a outra. Ainda está na voz e violão.

    Como você disse o Finis tinha uma influência funk nos anos 80 e agora tá mais punk. Como você vê esta soma de influências na música da banda?

    Os jornalistas sempre perguntavam para a gente quais as nossas principais influências. E respondíamos: Madonna, Prince e Michael Jackson. Tudo o que não queria fazer. Isso já vai demonstrando aonde você quer chegar com seu trabalho. Ou aonde você não quer chegar. É uma referência. Você começa pressionado com aquilo que te incomoda. A influência que você não quer ter. Uma das dificuldades do artista é saber aonde quer chegar.

    Em Brasília eu assisti o Aborto Elétrico (primeira banda de Renato Russo) na UNB e foi um grande impacto. Quando terminou o show quebraram as caixas de som. Uma atitude que influenciava a maneira de o público se vestir e se comportar. Isso foi uma influência para muitas bandas em Brasília.

    ENTREVISTA: André Molina

    FOTO: Elias Nogueira - Show Finis Africae no Teatro Rival


    Mais informações: www.sinnersrockbeer.com.br

    Nosso email: heavymol@hotmail.com

     

     

     

     

     

  • Banda italiana se apresenta no Tork 'n Roll

    Lacuna Coil nesta quarta-feira em Curitiba

    Lacuna Coil nesta quarta-feira em Curitiba

    Nesta quarta-feira, dia 12 de fevereiro, a banda italiana Lacuna Coil estará em Curitiba para realizar show no Tork n’ Roll.

    O grupo comemora 25 anos de trajetória e divulga o álbum, o Black Anima.

    Os ingressos estão à venda com preços a partir de R$ 150 – e tem até Pacote VIP/Meet & Greet, caso o fã queira comhecer pessoalmente a banda.


    Serviço – Lacuna Coil em Curitiba

    Quando: 12 de fevereiro de 2020 (quarta-feira)

    Onde: Tork n’ Roll (Av. Mal. Floriano Peixoto, 1695)

    Horário: 19h

    Ingressos a R$ 150

     

  • Sucessos do Ira! e do rock nacional

    Curitiba recebe em março “Relespública Convida Nasi”

    Curitiba recebe em março “Relespública Convida Nasi”

    Ao consolidar uma parceria que já dura alguns anos, a banda curitibana Relespública receberá o cantor Nasi, conhecido por fazer parte da consagrada banda brasileira Ira! O show “Relespública Convida Nasi” acontecerá no CWB Hall, no dia 12 de março (quinta-feira). No evento, serão apresentados alguns sucessos do Ira!, canções lado B e clássicos do rock nacional. A abertura será por conta do grupo Veraneios.

    Serviço

    Relespública Convida Nasi - PR

    Abertura das Portas: 19h00

    Inicio do Evento: 22h00

    12 de março (Quinta-Feira)

    CWB Hall

    R. Dr. Claudino dos Santos, 72 - São Francisco

    Curitiba – PR

    Preços

    Pista + Chopp Meia:

    Meia Lote 1 R$ 35,00

    Pista + Chopp Promocional:

    Promo +1Kg Lote 1 R$ 35,00

    Pista + Chopp Inteira:

    Inteira Lote 1 R$ 70,00

    Mezanino + Chopp Meia:

    Meia Lote 1 R$ 50,00

    Mezanino + Chopp Promocional:

    Promo +1Kg Lote 1 R$ 50,00

    Mezanino + Chopp Inteira:

    Inteira Lote 1 R$ 100,00

    Pista Promocional:

    Combo 2 ingressos Lote 1 R$ 60,00

    Mais informações: www.sinnersrockbeer.com.br

  • André Nisgosky vai substituir Sílvio Krüger de maneira provisória

    Baixista do Motorocker se licencia devido a leve acidente doméstico

    Baixista do Motorocker se licencia devido a leve acidente doméstico

    O baixista da banda curitibana Motorocker, Sílvio Krüger, utilizou as redes sociais para anunciar que terá que ficar um período afastado das atividades do grupo.

    De maneira solidária, o Motorocker afirmou que torce pela recuperação rápida do músico e que a banda aguarda ansiosamente para ele reassumir o seu posto.

    “Salve Motorockers! Recentemente quebrei a mão em um pequeno acidente em casa e terei que me ausentar das atividades do Motorocker, Hells Bells e da Cervejaria Coice da Mula temporariamente. Serão algumas semanas de recuperação onde nosso brother e tour manager André Nisgosky me substituirá com maestria no baixo do Motorocker. O “Nisga”, como o chamamos, é guitar/vocal das bandas Macumbazilla e King Nothing. Agradeço a compreensão de todos e nos vemos muito em breve, rockers! Aquele abraço, Silvera”.

    Todos os demais integrantes do Motorocker compreendem o momento de Sílvio, torcem por sua recuperação rápida e plena e deixam claro que, assim que o baixista estiver totalmente recuperado, seu posto à frente das quatro cordas, estará o aguardando ansiosamente.

    Marcelus dos Santos: Vocal
    Silivio Krüger – Baixo
    Luciano Pico – Guitarra
    Eduardo Calegari – Guitarra
    Juan Neto – Bateria


  • Músico será acompanhado de membro original da banda e revisitará carreira

    Martin Barre do Jethro Tull em entrevista sobre show em Curitiba

    Martin Barre do Jethro Tull em entrevista sobre show em Curitiba

    Integrante da formação clássica do Jethro Tull, o guitarrista Martin Barre estará em Curitiba no dia 06 de março para celebrar o aniversário de 50 anos da banda. O show que será realizado no Tork ‘N Roll, contará com um set list especial que vai priorizar os primeiros álbuns do grupo, com foco no blues, hard rock e no conhecido rock progressivo que consagrou o Jethro Tull.

    Outra curiosidade é a presença de importantes nomes do rock em âmbito mundial. Vai acompanhar Martin Barre a tecladista Dee Palmer, que esteve com o Jethro Tull durante anos (incluindo a fase inicial) e Adam Wakeman, tecladista que acompanhou o Black Sabbath e filho do consagrado ex-tecladista do Yes, Rick Wakeman. Liderada por Barre, a banda ainda é composta por Dan Crisp (vocal), Alan Thompson (baixo) e Darby Todd (bateria).

    Além de Curitiba, o show “50 Anos do Jethro Tull com Martin Barre” acontecerá em São Paulo (05 de março no Espaço das América), Rio de Janeiro (08 de março no Vivo Rio) e Belo Horizonte (10 de março no Sesc Palladium).

    Antes de Martin Barre vir ao Brasil, tivemos a oportunidade de conversar com o músico sobre como vai ser o show, os álbuns do Jethro Tull e a carreira solo. Confira:

    Curitiba terá o privilégio de receber esta bela homenagem ao Jethro Tull. Como será essa celebração de 50 anos? Quais fases da banda serão lembradas?

    Tocaremos as faixas mais amadas dos 50 anos de Tull. Há músicas incríveis e nos divertimos muito decidindo sobre a escolha das canções.

    O show contará com participações especiais de convidados. Você pode dizer quem são esses convidados? Que papel eles tiveram na banda e em seu trabalho principal?

    Os principais membros apresentados são eu e Dee Palmer. As partes da guitarra na música de Tull foram a base do som e da personalidade da banda. Dee escreveu todas as partes das cordas ao longo de muitos álbuns importantes e tocou ao vivo por muitos anos. Sua personalidade se tornou uma característica da banda. Alan Wakeman é filho de Rick Wakeman e, sob todos os aspectos, é incrível nos teclados; ele tocará as partes de órgão de piano Hammond que originalmente foram tocadas por John Evan.

    Como surgiu essa ideia de honrar o Jethro Tull com a participação de ex-membros e o que o motivou?

    Ninguém fez justiça à lenda que é a Jethro Tull Band, eu não podia deixar essa música importante adormecida em um mundo de grandes bandas ... Ela merece ser ouvida de uma forma tão boa ou melhor que o original.

    Quando o Jethro Tull é mencionado, sempre é lembrado pelos álbuns clássicos “Aqualung” e “Thick As A Brick”. Existe algum outro álbum que você considere tão importante quanto esse e por quê?

    Apresentamos fortemente os álbuns iniciais, que eu acho realmente clássicos, como “Stand Up” and “Benefit”, e tocamos músicas de “Songs From The Wood” e “Heavy Horses”, pois esses são conceitos inovadores ... Todos os álbuns de Tull têm um lugar na história e eu olho para todos os anos de gravações e encontro coisas incríveis em todos eles.

    Qual álbum é o seu favorito do Jethro Tull?

    “Benefit”. Definiu uma era na música e na reprodução. Ainda está à frente de todas as músicas.

    Você esteve com Jethro Tull fazendo show em Curitiba em algumas ocasiões. Lembra-se de alguma apresentação que foi notável?

    Todas as minhas memórias da América do Sul são muito preciosas; foram necessários muitos anos para ter a oportunidade de retornar e me lembrar de como os fãs são especiais! Estou muito animado por voltar!

    Paralelamente à carreira do Jethro Tull, você construiu uma carreira solo. Quais álbuns você destaca?

    Meu último álbum solo é: “Roads less Traveled” e é o meu melhor trabalho até agora ... Adoro escrever e sempre me esforçarei para ser melhor. Acho que é uma maneira perfeita de expressar minha guitarra tocando dentro de minhas músicas.

    Qual estilo de música o influenciou mais na criação do rock progressivo do Jethro Tull?

    Sempre ouvimos todos os estilos de música de todas as nacionalidades e gêneros, achamos muito importante inspirar-nos em todos que escrevem e tocam música. Dessa forma, temos total liberdade e total capacidade de fazer nosso próprio caminho na música. Ser único é uma ambição muito difícil, mas nunca tivemos medo de tentar e de nos aventurarmos em todas as direções e nossos maravilhosos fãs mantiveram sua fé em tudo.

    ENTREVISTA: André Molina
    FOTO: site Martin Barre


    SERVIÇO

    50 Anos Do Jethro Tull Com Martin Barre

    06 de março no Tork ‘N Roll

    Abertura das Portas: 18h00

    Inicio do Evento: 23h59

    Os ingressos para o show já estão à venda. Os valores são: Pista promocional 2º lote - R$ 100 + 1 kg de alimento. Pista 2º lote (meia-entrada) - R$ 100. Camarote piso - R$ 180. Camarote superior + Open bar - R$ 300. Bistrô para 4 pessoas - R$ 1.000.

    Os bilhetes podem ser adquiridos no site da Bilheto:

    https://bilheto.com.br/evento/131/Jethro_Tull

    PONTOS DE VENDA:

    - Tork n’ Roll: Av. Mal. Floriano Peixoto, 1695 – Rebouças (Tel.: 41. 99980-7137)

    - Hand & Made (Centro): Av. Desembarfgador Westphalen, 1186 (Tel.: 41. 99222-3523)

    - Túnel do Rock: Rua XV de Novembro, 74 – Centro. (Tel.: 41. 3322-4077)

     - Dr. Rock: Shopping Metropolitan - Praça Rui Barbosa, 765; Loja 04 (Tel.: 41. 3324-0669)

    - Let’s Rock: Gal. Pinheiro Lima – Praça Tiradentes – Lojas 3 e 4 (Tel.: 41. 3324-2676)

    - Jokers Pub: R. São Francisco, 164 (Tel.: 41. 3324-2351)

     

  • Show em Curitiba será no dia 26 de junho

    Matanza Ritual reúne grandes nomes do metal nacional para celebrar obra da banda

    Matanza Ritual reúne grandes nomes do metal nacional para celebrar obra da banda

    O Matanza Ritual vai se apresentar em Curitiba no dia 26 de junho (sexta-feira) no CWB Hall (Rua Dr. Claudino dos Santos, 72).

    Composto pelo ex-líder da banda, Jimmy London, o grupo conta com o baixista do Angra, Felipe Andreoli, Antônio Araújo (Korzus e One Arm Away) e o baterista Amilcar Christófaro (Torture Squad e Kisser Clan).

    Sobre o Matanza Ritual, Jimmy London explica porque que será um momento histórico e inesquecível: “Nossa ideia não é formar uma banda, nem mesmo um projeto. Queremos criar uma celebração, reviver aquele ‘ritual insano’ que acontecia nos shows do Matanza e, para isso, convocamos os melhores dentre os melhores músicos do país, para serem os monges da loucura toda”, argumenta.

    A turnê Matanza Ritual ainda deverá passar por outras cidades do Brasil e é uma produção da Top Link Music, do empresário Paulo Baron.

    Ingressos à venda no site da Bilheto SEM TAXA e em ATÉ 12X a partir do dia 30/01 às 11h00: https://tinyurl.com/u7v25r8

    Mais informações no www.sinnersrockbeer.com.br

    email: heavymol@hotmail.com

  • Semblant lança álbum pela Frontiers Records e se apresenta na Europa em abril

    Banda curitibana com gravadora estrangeira e em turnê internacional

    Banda curitibana com gravadora estrangeira e em turnê internacional

    Em ascensão na cena do heavy metal da América do Sul, a banda curitibana Semblant começa a consolidar carreira internacional. O grupo agradou os admiradores do estilo com o lançamento do álbum "Lunar Manifesto" (2014), com os singles "What Lies Ahead", "Dark of the Day" e "Incinerate", conquistando mais de 30 milhões de visualizações no YouTube. Agora, a banda prepara o álbum "Obscura" pela conceituada gravadora italiana Frontiers Records, que já gravou nomes importantes como Whitesnake, Journey, Mr. Big, Primal Fear, Alan Parsons e Sebastian Bach (Skid Row). O álbum estará disponível no mercado já no próximo mês de março.

    A banda se formou em 2006 em Curitiba, quando o cantor Sergio Mazul e o tecladista J. Augusto começaram a compor músicas que apresentavam todos os elementos sombrios e agressivos que eles apreciavam e amavam no heavy metal. Após alguns anos de mudança de formação, o grupo se estabeleceu com Mizuho Lin (vocais femininos), Juliano Ribeiro (guitarra), Welyntom "Thor" Sikora (bateria) e Johann Piper (baixo).

    Para a vocalista Mizuho Lin, “é uma honra fazer parte de uma gravadora tradicional como a Frontiers. Estamos compondo e nos preparando há pelo menos dois anos para finalmente deixar 'Obscura' pronta. Estamos super animados para começar esta nova era trabalhando em conjunto com a gravadora".

    O cantor Sergio Mazul acrescenta. "Estamos realmente empolgados por começar esta incrível nova era da Semblant com a Frontiers. Além das minhas influências de gótico, thrash e death, sou um grande entusiasta de todos os tipos de hard rock e heavy metal. Eles estão fazendo um trabalho incrível em todo o mundo com novas bandas. Com esta oportunidade, o álbum 'Obscura' atingirá o mundo em 2020 e estamos contando os dias para apresentar nosso novo disco a todos", argumenta.

    Com o lançamento do novo álbum, a Seblant já tem definida a turnê europeia em abril de 2020, que passará por Portugal, França, Espanha, Alemanha, Itália, Inglaterra e outros países.

    Confira o novo vídeo "Mere Shadow":

    https://www.youtube.com/watch?v=QvXav_mrde4&feature=youtu.be&fbclid=IwAR2xeTKwKOKr1qktZF0jZ1U-kavfORxiQjqKWyOgVq9URLWoRqY76PAwUvU


    Informações com a Frontiers Records

    Foto: Divulgação

    Mais notícias: www.sinnersrockbeer.com.br

    e-mail: heavymol@hotmail.com

  • Álbum foi o mais vendido na década de 1980

    Paulo Ricardo comemora 35 anos de Rádio Pirata no Teatro Positivo

    Paulo Ricardo comemora 35 anos de Rádio Pirata no Teatro Positivo

    O cantor Paulo Ricardo estará em Curitiba no próximo dia 07 de março para tocar no Teatro Positivo (Grande Auditório). O ex-vocalista e baixista do RPM vai apresentar o show “Rádio Pirata 35 Anos”, em comemoração ao aniversário do álbum ao vivo lançado em 1986, que vendeu aproximadamente 3,7 milhões de cópias, tornando a banda o fenômeno nacional que mais vendeu discos na época. Os ingressos custam de R$ 70 a 130 reais.

    Atualmente Paulo Ricardo está em carreira solo. Com a saída do cantor, o RPM ainda com Fernando Deluqui (guitarra) e Luiz Schiavon (teclado) contratou outro vocalista e mantém as atividades do grupo. Já o baterista Paulo PA Pagni infelizmente faleceu em 2019.

    Mais informações: www.sinnersrockbeer.com.br

    Nosso email: heavymol@hotmail.com

  • Apresentação será na Ópera de Arame em setembro

    Black Stone Cherry confirma show em Curitiba

    Black Stone Cherry confirma show em Curitiba

    O Black Stone Cherry fará shows em setembro no Brasil e incluiu a cidade de Curitiba em sua turnê. O quarteto norte-americano promoverá o álbum "Family Tree", lançado em 2018. A banda vai se apresentar na Ópera de Arame no dia 24 de setembro. Em seguida continua com a turnê brasileira em Porto Alegre (25 de setembro no Opinião) e em São Paulo (26 de setembro no Tropical Butantã). Nas informações divulgadas no Twitter do jornalista José Norberto Flesch, as vendas de ingressos deverão começar nesta quinta-feira (23) nos sites Eventim (Curitiba e São Paulo) e Sympla (Porto Alegre).

  • Pedreira Paulo Leminski seria o local para o show

    A-ha deverá se apresentar em Curitiba em 2020

    A-ha deverá se apresentar em Curitiba em 2020

    Representantes de uma grande produtora de shows e eventos em Curitiba afirmam que a banda norueguesa A-ha deverá se apresentar na capital paranaense, na Pedreira Paulo Leminski. A produtora está concluindo negociação para viabilizar o espetáculo e definir a data.

    Formada desde o início da década de 1980 por Morten Harket (vocalista), Magne Furuholmen (tecladista) e Påul Waaktaar (guitarrista), o grupo vai promover a turnê "Hunting High And Low Live In Concert", que já conta com datas na Noruega, Dubai, Africa do Sul, Austrália, Nova Zelândia, Japão, Singapura, Estados Unidos, República Tcheca, França, Alemanha, Inglaterra, Bélgica, Holanda, Suécia e Dinamarca. 

    Será a segunda vez em Curitiba. A primeira foi em 2015 no Curitiba Master Hall (atual Live Curitiba) e contou com ingressos esgotados e um exército de fãs no Aeroporto Afonso Pena e no hotel em que a banda estava hospedada.

    Os hits oitentistas dominaram o repertório, como “Take On Me”, “You Are The One”, “Hunting High And Low”, “Living The Daylights” (tema do filme do 007 de 1987), “The Sun Always Shines on TV”, “I’ve Been Losing You”, “Cry Wolf”, “Scoundrel Days” e algumas canções do álbum lançado na época: “Cast in Steel”.
    Na época, o grupo tinha vindo ao Brasil para se apresentar no Rock In Rio e acabou incluindo Curitiba na turnê nacional.

    A banda

    Quem tem entre 40 e 50 anos de idade facilmente vai lembrar do grande sucesso que o A-ha fez no Brasil em 1989, principalmente devido a primeira vez que o grupo desembarcou no país para a realização de shows. Na época, a banda chegou a lançar uma coletânea especial para a turnê, chamada "On Tour In Brazil".



  • Banda vai se apresentar no Teatro Positivo

    Jethro Tull desembarca em Curitiba em junho

    Jethro Tull desembarca em Curitiba em junho

    Liderada por Ian Anderson, a consagrada banda de rock progressivo Jethro Tull estará em Curitiba para se apresentar no Teatro Positivo no dia 25 de junho. O grupo já tocou na capital paranaense em algumas ocasiões. Além de Curitiba, também fará show em Porto Alegre (26 de junho no Teatro Araujo Viana) e em São Paulo (27 de junho no Tom Brasil).

    Segundo o grupo, a turnê "THE PROG YEARS 2020" é baseada no material dos álbuns mais progressivos do Jethro Tull, como Stand Up, Benefit, Aqualung, Thick As A Brick e Passion Play.

    Atualmente a banda é formada por Ian Anderson, David Goodier (baixo), John O'Hara (teclados), Joe Parrish (guitarra) e Scott Hammond (bateria).

  • Expoentes da guitarra instrumental executam canções no show "Duo de Violões"

    Kadu Lambach e Victor Biglione no Paiol

    Kadu Lambach e Victor Biglione no Paiol

    A Oficina de Música de Curitiba vai trazer dois expoentes da guitarra instumental brasileira. Victor Biglione e Kadu Lambach vão executar um repertório com violões com corda de aço no próximo 16 de janeiro no Teatro do Paiol às 19 horas. O show "Duo de Violões" contará como inspiração dois álbuns gravados por Biglione e Andy Summers (renomado guitarrista do The Police): STRINGS OF THE DESIRE ( 1998 ) e SPLENDID BRASIL ( 2004 ), que foram gravados em Los Angeles ( EUA ) e que trazem Standards de JAZZ e BLUES e composições de Tom Jobim, Django Reinhardt, Hermeto Pascoal entre outros. Além destes dois CDs, o set list contará ainda com outras coposições de Victor Biglione  e Kadu Lambach. Os ingressos custam a meia R$ 15 e inteira R$ 30

    Currículos

    Os dois músicos têm bela trajetória na música instrumental, na Música Popular Brasileira e no Rock. Kadu Lambach, também conhecido como Eduardo Paraná, fundou a Legião Urbana em 1982, ao lado de Renato Russo e Marcelo Bonfá. Junto à banda, participou de quatro shows e posteriormente saiu para se aprimorar em Música. Logo após formou-se em Música na UNB, e passou a acompanhar  artistas conceituados como Márcio Montarroyos, Belchior, Jane Duboc, Tunai entre outros.Tem dois CDS autorais lançados ( Last Blues 1997 e Expressivo 2015 ). Como compositor e instrumentista, teve uma música sua gravada pelo ícone do Jazz Mundial, Stanley Clarke.

    Victor Biglione tem mais de 30 cd's solo  lançados , possui 02 prêmios Grammys internacionais , com Manhattan transfer -1988 e Milton Nascimento -2.000 , foi também , finalista do Grammy latino , com seu trabalho " Mercosul " . Apresentou -se e , apresenta -se , nos principais festivais e casas de espetáculo, do mundo como: Montreal, Montreux. Tocou com mais de 300 nomes da MPB , e, da música internacional , como : Andy Summers ( police , 2 cds em duo ) , Steve Hackett ( Genesis ) , integrou o Som Imaginário e A Cor do Som , grupos fundamentais do rock brasileiro .

    O REPERTÓRIO

    A NIGHT IN TUNISIA ( Dizzy Gillespie / Frank Paparelli )
    STOLEN MOMENTS ( Oliver Nelson )
    ROAD SONG ( Wes Montgomery )
    FOTOGRAFIA ( Tom Jobim )
    SAN VICENTE ( Milton Nascimento / Fernando Brant )
    AS ROSAS NÃO FALAM ( Cartola )
    CARINHOSO ( Pixinguinha / João de Barro )
    DISPARADA( Geraldo Vandré / Theo de Barros )
    TERRA ( Caetano Veloso )
    NARDIS ( MilesDavis )
    INVITATION ( Bronislaw Kaper / Paul FrancisWebster )
    ON THE GREEN DOLPHIN STREET ( Bronislaw Kaper / Ned Washington )
    LITTLE WING ( Jimi Hendrix )
    ESTAMOS AÍ ( Mauricio Einhorn / Durval Ferreira / Regina Wernek )

  • Ex-Barão Vermelho inaugura agenda de grandes shows de 2020 na casa

    Frejat em fevereiro no Tork 'n Roll

    Frejat em fevereiro no Tork 'n Roll

    Ao comemorar um ano de atividades, o Tork 'n Roll traz para Curitiba o guitarrista e cantor Roberto Frejat, que vai se apresentar no dia 15 de fevereiro. Já há algum tempo em carreira solo, Frejat foi líder do Barão Vermelho e compôs grandes clássicos ao lado do Cazuza, no início da década de 1980. Após a saída de Cazuza, o músico assumiu o vocal do Barão e construiu uma trajetória de mais de 30 anos no grupo. Com Cazuza, fez parceria em clássicos como "Pro dia nascer feliz", "Maior Abandonado", "Bete Balanço", "Todo amor que houver nessa vida" e "Ideologia", já com Cazuza em carreira solo, além de outras.

    Ao liderar o Barão, emplacou hits como "Pense e Dance", "O poeta está vivo", "Puro êxtase", "Por você" e demais.



    Os ingressos tem valor promocional de R$ 80 (com doação de 1 kg de alimento) e R$ 160 inteira.

  • Tremendão se apresentou no Teatro da Caixa

    Erasmo Carlos celebra quase 60 anos de rock nacional no formato “piano e voz”

    Erasmo Carlos celebra quase 60 anos de rock nacional no formato “piano e voz”

    Com ingressos esgotados e limitadíssimos, o Tremendão Erasmo Carlos realizou curta temporada no Teatro da Caixa, em Curitiba, do dia 12 a 15 de dezembro. O local comporta pouco mais de 120 lugares, o que motivou a formação de longa fila no dia da compra das entradas, que estavam a um preço amigável (R$ 30 a inteira e R$ 15 a meia), devido ao projeto cultural da instituição.

    O compositor se apresentou no formato “piano e voz”, acompanhado de seu maestro, que recebeu constantes elogios no show devido sua trajetória ao lado do cantor. “Quero apresentar o maestro José Lourenço Positivo, que trabalha comigo desde 1985. Hoje vai me ajudar mais do que de costume, pois contrai uma forte gripe no dia de ontem e vocês também terão que me auxiliar”, afirmou Erasmo no último show, mais uma vítima do inconstante clima de Curitiba.

    Realmente, não foi difícil perceber que o Tremendão sentiu certa dificuldade devido à gripe, mas executou seu set list com inúmeros sucessos da Jovem Guarda, composições compartilhadas com o Rei Roberto Carlos e canções também consagradas na década de 80. Aliás, em vários momentos fez piadas em relação a enfermidade. “Era terrível antes. Hoje não sou mais terrível. Quando era terrível não pegava gripe”, disse ele antes de cantar o clássico “Eu Sou Terrível”.

    Da Jovem Guarda, inúmeros clássicos como “Minha Fama de Mau”, “Vem Quente que Estou Fervendo”, “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno”, “Caderninho”, “Festa de Arromba”, “Eu Sou Terrível”, “Gatinha Manhosa”, “É Preciso Saber Viver” e sucessos posteriores como “Sentado à Beira do Caminho”, “Mesmo Que Seja Eu”, “Mulher (Sexo Frágil)” e “Minha Superstar”.

    Para alguns puristas do rock ‘n’ roll, o formato “piano e voz” pode não agradar tanto, porém ficou nítido que o arranjo do maestro José Lourenço Positivo deu nova roupagem às canções, como em “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno”, que foi bem aplaudida, com um arranjo pesado para a ocasião.

    Mesmo com a forte gripe, Erasmo, aos 78 anos de idade, demonstrou que seu carisma e o valor das canções que compôs têm mais prestígio do que o perfeito desempenho vocal. Seu show intimista foi uma verdadeira celebração de quase 60 anos de rock nacional. E antes de Erasmo ser um cantor, é o “pai do rock brasileiro”.


    Mais informações no sinnersrockbeer.com.br


     

     

  • Banda de Ribeirão Preto se apresenta no Hangar

    Violência Moral encerra o ano com show em Curitiba

    Violência Moral encerra o ano com show em Curitiba

    Informações com Assessoria de Imprensa

    A banda Violência Moral, de Ribeirão Preto (São Paulo), se apresenta pela primeira vez em Curitiba, no palco do Hangar – A Casa do Ócio. Será a última apresentação da banda em 2019. Acompanham os paulistas as bandas Exylle, Impested e Legacy of Kain, essa, que divulga o álbum Paralelo XI, que vem obtendo boa recepção de público e crítica.

    O show com as quatro bandas acontece no Hangar, dia 15 de dezembro, a partir das 16h. Os ingressos antecipados custam R$ 15 e estão disponíveis no site Sympla. No dia do show, os convites custarão 20 reais.

    O Hangar – A Casa do Ócio é um espaço cultural diversificado, que recebe shows musicais, workshops, oficinas, palestras e demais atividades visando o desenvolvimento artístico e cultural da cidade. A casa a sua marca vem dos anos 90, e desde aquela época o local é uma referência do Rock e da música ao vivo na cidade.

    SERVIÇO

    Data: 15 de dezembro de 2019 (domingo)

    Local: Hangar – A Casa do Ócio

    Endereço: Al. Dr. Muricy, 1091 – Largo da Ordem

    Horário: 16h (abertura da casa)

    Ingressos: R$ 15 (antecipado)

    Venda online: https://www.sympla.com.br/violencia-moral-sp-em-curitiba__698038

  • Banda apresenta clássicos do Thrash Metal nacional em show no Espaço Cult

    Victorizer com Vitor Rodrigues em clássicos do Torture Squad

    Victorizer com Vitor Rodrigues em clássicos do Torture Squad

    Informações com Assessoria de Imprensa

    Para encerrar o calendário de shows de Metal em Curitiba em 2019, acontece dia 22 de dezembro o show da banda Victorizer, liderada pelo vocalista Vitor Rodrigues. Ele começou sua carreira com o Torture Squad, um dos maiores nomes do Metal do Brasil. Sua nova banda apresentará canções próprias, sons do Voodoo Priest (outra ex-banda de Vitor) e claro, do Torture Squad. O Victorizer conta também com o guitarrista Woesley Johann (ex- Krow), o baixista Vinícius Corvo (Neshamot), e o baterista Jorge Minduim.

    O show acontece no Espaço Carmela(antigo Espaço Cult), que fica localizado no Largo da Ordem, centro da cidade. Os ingressos antecipados já estão à venda por apenas R$ 25. Os portões abrem às 17h. O evento é realização de Nichorres Productions e Pazuzu.

    Para completar o festival, três renomadas bandas que mostram um pouco do que o Metal curitibano tem de melhor: Com seu Thrash brutal e mesclado com nuances de Death, Groove e Hardcore, além de toques brasileiros, o Krucipha apresentará músicas de seus dois discos, com destaque para o mais recente, o aclamado Inhuman Nature. Em sua caminhada, estão shows ao lado de grandes nomes como Project46, Sepultura, Claustrofobia, Cavalera Conspiracy e The Black Dahlia Murder.

    O Exylle foi formado em 2014 e lançou esse ano seu primeiro disco, que vem recebendo boas críticas da imprensa especializada. A banda também aposta no Thrash Metal, com partes cadenciadas e vocal gutural. Conhecidos por suas apresentações enérgicas, já tocaram nas principais casas de show de Curitiba e região, além de já terem participado de grandes festivais no sul do Brasil e dividido palco com várias bandas de renome nacional.

    Formado em 2012, o Macumbazilla conta com André Nisgoski (guitarra, vocal), o ex-Resist Control Carlos “Piu" Schner (baixo) e Júlio Goss (bateria). O primeiro single, "The Ritual", foi um grande sucesso e precedeu o primeiro EP, autointitulado, lançado em 2014 e produzido por Roy Z (Bruce Dickinson, Halford, Sepultura). Nas últimas semanas, o grupo lançou "Hellhounds".

    SERVIÇO

    Victorizer em Curitiba

    Data: 22 de dezembro de 2019 (domingo)

    Local: Espaço Cult

    Endereço: R. Dr. Claudino dos Santos, 72 – São

    Francisco

    Horário: 17h (abertura da casa)

    Ingressos: R$ 25 promocional (+ 1 kg de alimento) + taxas / R$ 35 (na hora)

    Venda online: https://www.sympla.com.br/victorizer-em-curitiba--2212--espaco-carmela__736766

    Evento no Facebook:

    https://www.facebook.com/events/1281864238653747/

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES