Tic Tag

Comunicação & Educação Acessíveis

Publicidade
Teatro Acessível

Audiodescrição e LIBRAS, no Festival de Teatro de Curitiba 2019

Cena da peça "Abujamra Presente"
Cena da peça "Abujamra Presente" (Foto: Divulgação)

Fiel a sua proposta de, também, promover a inclusão social, a 28ª edição do Festival de Teatro de Curitiba 2019 oferece vários espetáculos inclusivos. Para pessoas com deficiências visual haverá o recurso da Audiodescrição disponível em fones para as pessoas que necessitarem, nas peças “Dogville”, “Abujamra Presente” e “Tistu – O Menino do Dedo Verde”. Já as pessoas com deficiência auditiva contarão com o intérprete de LIBRAS nas peças: “Malala”, “Ícaro”, “Isto é Um Negro?”, além de todas as sessões do Risorama.

O Festival, que ocorre este ano de 26 de março a 07 de abril, reúne mais de 400 atrações em 80 espaços culturais de Curitiba e da Região Metropolitana, com espetáculos nacionais e internacionais que levarão teatro, dança, circo, música, oficinas, shows e performances para diferentes públicos, de todas as idades.

As pessoas com deficiência visual e auditiva que se interessarem pelas peças deverão entrar em contato com a Acensia Brasil, empresa que promoverá os recursos, pelo telefone 41-99194-3642. Haverá uma lista amiga, que oferecerá dez ingressos gratuitos para as primeiras pessoas com deficiência, que confirmarem presença. Para as peças com audiodescrição, é necessário chegar com 40 minutos de antecedência para ouvir as notas introdutórias.

Confira a sinopse, dias e horários de todas as peças acessíveis:

AUDIODESCRIÇÃO

Abujamra Presente
é um recorte, uma colcha de retalhos exorbitante de alguns momentos significativos dos dez anos que Abujamra esteve a frente da Companhia Os Fodidos Privilegiados, um espetáculo feito especialmente para a programação da exposição sobre ele, “Rigor e Caos” no Sesc Ipiranga.
Data:
30/03 (sábado), às 21h e 31/03 (domingo), às 19h.
Local:
Teatro Guairinha - Auditório Salvador de Ferrante (Rua 15 de Novembro, 971 Centro).

Dogville – A trama se passa na fictícia Dogville, uma pequena e obscura cidade situada no topo de uma cadeia montanhosa, ao fim de uma estrada sem saída, onde residem poucas famílias formadas por pessoas aparentemente bondosas e acolhedoras, embora vivam em precárias condições de vida. A pacata rotina dos moradores daquele vilarejo é abalada pela chegada inesperada de Grace (Mel Lisboa), uma forasteira misteriosa que procura abrigo para se esconder de um bando de gangsteres.
Data: 02/04 (terça), às 21h e 03/04 (quarta), às 21h.
Local: Teatro Guairinha - Auditório Salvador de Ferrante (Rua 15 de Novembro, 971 Centro).

Tistu – O Menino do Dedo Verde – Tistu é um menino que desde pequeno era especial, de modo que ninguém, nem mesmo ele, sabia. Vivia numa cidade chamada Mirapólvora, com seus pais ricos e donos de uma fábrica de canhões. Até que Tistu dorme nas aulas e seu pai resolve fazer com que ele aprenda as coisas vendo-as e vivenciando-as. Chega um momento que Tistu descobre que tem o dedo verde e faz florescer tudo o que toca. Ele conhece a fábrica e fica incomodado com o mal e com as guerras que ela provoca. Então resolve colocar o dedo nos canhões e ao invés de bombas, os canhões lançaram flores.
Data:
06/04 (sábado), às 16h e 07/04 (domingo), às 11h.
Local:
MON -Aud. Potty Lazzarotto.


LIBRAS

MalalaA peça conta a saga de uma jornalista, curiosa, desbravadora e inquieta, que atravessa meio mundo para descobrir o que aconteceu com a menina MalalaYousafzai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, e porque ela estava sendo perseguida. Uma missão perigosa, pois a terra natal de Malala, um vale de extraordinária beleza no interior do Paquistão, era um território proibido para jornalistas. Vestida como as mulheres do Vale do Swat, a jornalista circula pelas ruas da cidade, se hospeda na casa de moradores locais, conhece as amigas de Malala, sua escola e até mesmo a casa onde morava.
Data:
30/03 (sábado), às 16h e 31/03 (domingo), às 16h.
Local:
Teatro Bom Jesus.

Ícaro Um artista desdobra-se em seis histórias com um único ponto convergente: depoimentos ficcionais de pessoas cadeirantes. Em sua estreia como dramaturgo, Luciano Mallmann (ator e bailarino) traz à luz uma reflexão acerca da fragilidade humana a qual todos estão expostos. Inspirado em suas próprias experiências e de pessoas que conheceu após sofrer lesão medular, em 2004, o monólogo mistura realidade e ficção, numa espécie de mosaico sobre a diversidade humana, partindo de temáticas universais, como relacionamentos interpessoais, abandono, maternidade e preconceito.
Data: 06/04 (sábado), às 21h e 07/04 (domingo), às 19h.
Local: Teatro Sesc da Esquina (Rua Visconde do Rio Branco, 969 Centro).

Isto é Um Negro – Um dispositivo, um estudo negro sobre a negritude, sobre o que é ser negro e negra no Brasil hoje, sobre o que é ser um(a) artista negro(A). Foi estudando Angela Davis, Fred Moten, Achille Mbembe, Bel Hooks, Grada Kilomba, Frantz Fanon, Sueli Carneiro e Aimé Cesaire que elaboramos as questões que tentamos materializar em cada uma das cenas de IEUN. Como transformar teoria em cena? Como discutir negritude e questões raciais a partir da experiência singular de cada um dos intérpretes? 
Data:  30/03 (sábado), às 21h e 31/03 (domingo), às 19h. 
Local: Teatro José Maria Santos (Rua Treze de Maio, 655 São Francisco).

 

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES