Publicidade
Protesto

Motoristas e cobradores fazem ato contra o projeto de ônibus sem cobrador; prefeito em exercício recebe o sindicato

Trabalhadores vão protocolar pedido de retirada de Projeto de Lei que extingue os cobradores
Motoristas e cobradores fazem ato contra o projeto de ônibus sem cobrador; prefeito em exercício recebe o sindicato
(Foto: Franklin de Freitas)

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) realiza nesta terça-feira, 13, um protesto contra o que eles consideram um risco de desemprego de cobradores do sistema. O ato é contra o projeto do Executivo municipal que quer implantar o sistema de bilhetagem nos ônibus do transporte urbano.

O ato começou com uma caminhada pelas ruas centrais de Curitiba da sede do sindicato até a Prefeitura, onde se entregariam um documento pedindo para que o projeto não seja implementado. A categoria está com indicativo de greve caso o projeto vá para votação na Câmara Municipal.

Na Prefeitura, representantes do Sindimoc são recebidos pelo prefeito em exercício, Eduardo Pimentel, pelo presidente da URBS S/A, Ogeny Pedro Maia Neto e Fernando Jamur, secretário municipal de governo.

Com a manifestação, houve lentidão no trânsito pelas ruas percorridas pela caminhada que reuniu centenas de cobradores e motoristas.

O ato, aprovado em assembleia na última quinta-feira, 8, é mais uma das inúmeras ações que o Sindimoc tem feito para barrar na Câmara Municipal o projeto que altera a Lei Municipal nº 10.333/2001 e deixa 6 mil mães e pais de família, trabalhadores do transporte coletivo, desempregados. 

Greve geral 
Também em assembleia, trabalhadores da categoria aprovaram realização de greve geral do transporte coletivo caso a Lei do Desemprego entre em votação na Câmara Municipal. A medida foi enviada ao Legislativo pela Prefeitura, no final de outubro. De lá para cá, trabalhadores iniciaram mobilização e criaram a campanha “Somos Todos Cobradores – Não à Lei do Desemprego”.

DESTAQUES DOS EDITORES