Publicidade
Programa Escola Segura

Após massacre em Suzano, segurança em escolas do Paraná será reforçada com PMs da reserva

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lança nesta sexta (15) o programa Escola Segura, que prevê uma série de medidas preventivas e protetivas de segurança que serão executadas na rede estadual de ensino. O pacote vem logo depois o massacre que deixou deixou dez mortos  na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, em São Paulo. 

Uma das medidas que serão anunciadas será a contratação de 120 policiais militares da reserva para reforçar a segurança nos colégios, que não são atendidos pelo Batalhão da Patrulha Escola Comunitária (BPEC), criado por meio do decreto estadual nº 2.349 em 19 de março de 2008 com o objetivo de atender as demandas de segurança pública envolvendo a comunidade escolar. 

Assassinos planejaram ataque em escola de Suzano por um ano e meio

Presença de armas de fogo em escolas está em alta no Brasil

Para fazer o anúncio oficial e detalhar melhor o programa, Ratinho estará ao lado dos secretários Renato Feder, da Educação, Luiz Felipe Carbonell, da Segurança Pública, e Ney Leprevost, da Justiça, Família e Trabalho.

A Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Prova Brasil) identificou no Paraná em 2015 foram 224 casos de alunos armados na escola, contra 217 em 2017 (redução de 3,12%).

Medianeira
Em setembro do ano passado por pouco o Paraná não se tornou palco de uma tragédia. No dia 28, um adolescente de 15 anos entrou armado no Colégio Estadual João Manuel Mondrone, em Medianeira, no Oeste paranaense, e atirou contra colegas de classe. Dois alunos, de 15 e 18 anos, ficaram feridos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES