Publicidade
Mexa-se

Atividade física no inverno previne lesões comuns no frio

Enrijecimento muscular causa contraturas e lesões nesta época do ano, por isso, cuidado
Atividade física no inverno previne lesões comuns no frio
Temperatura baixa diminui fluxo sanguíneo: cuidados (Foto: Franklin de Freitas)

É muito comum ficarmos encolhidos e cheios de roupas em dias mais frios. E quem é que não tem aquela preguicinha de fazer a caminhada diária ou ir para academia, não é mesmo? Porém nessa época é mais que necessário se manter em movimento. Isso porque nosso corpo precisa do condicionamento físico para enfrentar as intempéries da estação. Além do condicionamento, a professora de pilates Lillian Moura reforça que a atividade física também auxilia no aumento da imunidade, evita dores e lesões.
“Com a temperatura mais baixa o nosso corpo fica mais rígido. Os músculos fazem uma contração involuntária, principalmente nas regiões de ombros e pescoço, em uma resposta natural de proteção. O volume de roupas também diminui a mobilidade de nossas articulações, trazendo desconforto e dor. Manter a atividade física durante esse período ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo, elevando a temperatura do corpo e a oxigenação de nossas células. O que possibilita a produção do líquido sinovial, responsável por lubrificar as articulações, mantendo a movimentação fluída”, explica a especialista.
A temperatura mais baixa diminui o fluxo sanguíneo nos músculos e com isso há o aumentando da rigidez. Ao exigir um impulso rápido do corpo, realizando algum movimento brusco, por exemplo, acaba ocasionando uma lesão. As mais suscetíveis nesta época são as distensões e os estiramentos musculares, e as regiões com mais incidência são posterior da coxa, panturrilhas, trapézio, região lombar e pescoço.
 Há muitas outras causas que aumentam ainda mais o risco. Além do frio, os músculos se tornam mais rígidos por permanecer em uma mesma posição, por postura incorreta, estresse emocional, excesso de trabalho e ansiedade. Além disso, o sedentarismo reduz o movimento articular, e algumas doenças como fibromialgia e artrite reumatoide também acabam deixando as articulações mais rígidas e mais propícias para uma lesão.
 Para quem já pratica atividade física, nesse período é ainda mais importante preparar o corpo com aquecimento e alongamento adequado. Também é importante fazer massagens e estímulos para liberação miofascial”.


Novos hábitos! Como começar?
“Dar o primeiro passo é sempre o mais difícil”. Muitas pessoas não se encontram em atividades de impacto ou de academia. Por esse motivo o Pilates acaba se encaixando em diferentes perfis, pois são aulas mais focadas, em estúdio privado e com no máximo dois alunos, como é no caso do estúdio da instrutora Lillian. 
Ao contrário do que parece, nossa mente adora novos estímulos. Então, ao criar um novo hábito, assumir um compromisso, uma nova disciplina, estamos estimulando nossa mente. Ter um momento para cuidar do corpo, auxilia a manter os níveis de serotonina alto, o que traz autoestima, melhora o humor e como consequência a motivação para o dia a dia.


Prevenção começa em casa
Algumas atitudes podem ajudar a prevenir lesões em casa. O principal é não passar frio. Se agasalhar bem e tomar um banho quente ao chegar em casa para relaxar parece simples, mas é muito importante.  
Segundo Lillian Moura, o uso de alguns óleos essenciais estimulam a mente e o corpo a relaxar. Reservar alguns minutos para você faz a diferença! “Fazer alongamentos por 10 a 15 minutos, com estímulos respiratórios, vão fazer você passar esse inverno de forma muito mais leve, saudável e longe das lesões”, finaliza a profissional de pilates.


Agasalho faz bem
Uma forma de proteger-se e evitar os efeitos colaterais causados pela prática em temperaturas baixas é atentar-se para o uso de trajes adequados. Sair de casa bem agasalhado é de suma importância, por isso, invista em camadas e peças independentes que possam ser removidas à medida que o corpo for se aquecendo. Peças justas, como a “segunda pele”, são grandes apostas para essas ocasiões, uma vez que deixam menos espaço para a passagem de ar, protegendo melhor do frio. As extremidades são as partes que mais sentem os efeitos do inverno, mãos, pés e a cabeça devem estar sempre protegidos. Não dispense acessórios como luvas e gorros, que ajudam a minimizar a perda de calor. Esses cuidados são importantes porque qualquer parte descoberta do corpo perde calor para o ambiente. Manter-se aquecido demanda uma grande quantidade de energia, dessa maneira, exercícios mais extenuantes podem ser sentidos em maiores intensidades.


As regiões com mais incidência de lesões no frio

  • Posterior da coxa
  • Panturrilhas
  • Trapézio
  • Região lombar 
  • Pescoço

DESTAQUES DOS EDITORES