Publicidade
Coritiba 2 x 0 Cianorte

Barroca se diz 'satisfeito' com vitória e afirma que elenco sentiu eliminação da Copa do Brasil

João Burse e Eduardo Barroca, técnicos de Cianorte e Coritiba, respectivamente
João Burse e Eduardo Barroca, técnicos de Cianorte e Coritiba, respectivamente (Foto: Valquir Aureliano)

“Satisfeitos”. Após dois tropeços em sequência, pela Copa do Brasil e pelo Campeonato Paranaense (contra Manaus e Cascavel CR), o Coritiba reencontrou nesta sexta-feira o caminho das vitórias. E o triunfo foi motivo de celebração para o técnico alviverde, Eduardo Barroca, que elogiou não só a atuação da equipe no triunfo por 2 a 0 contra o Cianorte, no Couto Pereira, como ainda tratou de exaltar a postura do torcedor coxa-branca nas arquibancadas.

“Foi uma vitória bastante importante pelo campeonato, bastante importante pelo momento e bastante importante pela forma como aconteceu. Jogamos bem, poderíamos até ter feito um placar mais elástico. Hoje saímos satisfeitos após quatro dias em que tivemos duas derrotas seguidas. Saímos satisfeitos com o processo de evolução”, disse o treinador, exaltando em seguida a torcida.

‘Menino de ouro’ estreia e Coxa vence o Cianorte com bola parada de Rafinha como arma principal

Dupla R-R se destaca pelo Coxa, enquanto Sassá decepciona; confira as atuações

“Quero fazer uma deferência pessoa ao torcedor do Coritiba. Muito se falou durante a semana de uma ação (protesto) hoje, mas ele participou, ele vibrou. Estão vendo que estamos tentado jogar de forma mais agressiva, ofensiva. O torcedor está de parabéns pela forma como abraçou a equipe, acho que ele entendeu a dificuldade. Todos sentimos muito o que aconteceu na Copa do Brasil, trabalhamos muito sério para passar de fase. Era um objetivo do clube, mas também de todo o corpo funcional. Então essa vitória tem esse sabor, de poder retribuir o que o torcedor fez pela nossa equipe hoje.”

Durante a partida, um dos principais destaques foi a estreia do jovem lateral-direito Yan Couto, de apenas 17 anos e já negociado com o Manchester City, da Inglaterra. Na visão do treinador, o jovem não sentiu o jogo e teve um bom desempenho.

“Não posso pensar em julho, mas no que for melhor pra gente passo a passo, jogo a jogo, competição a competição. Dessa forma que vou pensar n sequência do Yan. Ele entrou porque o Patrick Vieira sentiu uma lesão, mas é um jogador de Seleção Brasileira. Sentiu pouco o jogo e tem uma qualidade individual muito boa. É bom para ele ter essa experiência e se saiu muito bem.”

Já sobre a zaga, que pela segunda vez em nove jogos no ano não sofreu gols, ele comentou a opção por Rafael Lima no lugar de Sabino, exaltando a capacidade de posicionamento e de comunicação do experiente zagueiro do Coritiba.

“Eu optei pelo Rafael (Lima) por característica. Ele tem um posicional muito bom e consegue fazer os jogadores da linha de meio se posicionarem melhor, porque ele tem uma capacidade de se comunicar muito boa. Ele entrou muito por isso. Jogou quatro jogos sob meu comando e vencemos os quatro jogos. Ele tem essa capacidade.”

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES