Barroso pede em pronunciamento que eleitores não entreguem o destino aos outros

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, usou o pronunciamento em cadeia nacional de véspera do segundo turno das eleições municipais para pedir aos eleitores que compareçam às urnas neste domingo, 29, seguindo protocolos de segurança para evitar contaminação pelo novo coronavírus. "Votem conscientes. Vocês estarão decidindo o seu futuro, o futuro dos seus filhos e do seu País. Não entreguem aos outros o seu destino", disse o ministro.

Segundo Barroso, o nível de abstenção no primeiro turno, em 15 de novembro, foi relativamente baixo para eleições realizadas numa pandemia. Ele comemorou o fato de o Brasil ter conseguido "harmonizar, com sucesso, democracia e saúde da população".

No primeiro turno, a abstenção ficou em 23,14% dos eleitores, contra um nível histórico de 20%. Dezessete capitais registraram abstenção maior que a média nacional no primeiro turno, entre elas Porto Alegre e Rio de Janeiro, onde haverá nova votação neste domingo.

Barroso também ressaltou o fato de os resultados terem sido divulgados na própria noite da eleição do primeiro turno, "expressando com fidelidade a vontade do povo brasileiro".

O ministro não fez menção ao atraso na totalização dos votos no dia 15, quando um problema técnico em um dos núcleos de processadores de contabilização levou os resultados a serem anunciados horas depois do inicialmente projetado.

O TSE reforçou os testes preparatórios para evitar que novos problemas no domingo.

Em seu pronunciamento, o presidente do TSE lembrou que o segundo turno ocorrerá em 57 cidades brasileiras, sendo 18 delas capitais. São 38 milhões de eleitores que devem votar. Quem não compareceu no primeiro turno pode votar agora.

"Uma vez mais, venho pedir a todos os eleitores: não deixem de votar", pediu Barroso, recomendando também que sigam os protocolos de segurança. "Usem máscara e mantenham distanciamento social para protegerem a si mesmos e aos outros. Em breve, esta pandemia passará, e teremos muitas razões para celebrar a vida e a democracia brasileira", afirmou.

Leia a íntegra do pronunciamento de Barroso:

"Boa noite!

No domingo, 15 de novembro, 113 milhões de eleitores compareceram às urnas. Um nível de abstenção relativamente baixo para eleições realizadas em plena pandemia. Na própria noite da data das eleições, os resultados foram divulgados, expressando com fidelidade a vontade do povo brasileiro.

Além disso, no geral, o plano de segurança sanitária criado pelo Tribunal Superior Eleitoral foi observado. Conseguimos harmonizar, com sucesso, democracia e saúde da população. O povo brasileiro está de parabéns. Uma inequívoca demonstração de maturidade, disciplina e sentimento cívico.

Aliás, poder agradecer é uma bênção. E, por isso mesmo, obrigado de coração aos mais de 2 milhões de mesários e de servidores da Justiça Eleitoral que ajudaram a fazer a vida acontecer.

Na maior parte dos municípios, o processo eleitoral está concluído. Cumprimento todos aqueles que foram eleitos para as prefeituras e para as Câmaras Municipais. O Brasil conta com a integridade, o idealismo e o compromisso com o interesse público de todos vocês.

No entanto, em 57 cidades, teremos amanhã o segundo turno das eleições. São locais com mais de 200 mil eleitores, nos quais nenhum dos candidatos obteve maioria absoluta dos votos. Quando isso ocorre, os dois mais votados devem disputar uma segunda rodada. Portanto, neste domingo, se decidirá quem vai governar algumas das maiores cidades do país, inclusive 18 capitais. 38 milhões de eleitores voltarão às urnas. Mesmo quem não compareceu no primeiro turno pode votar agora.

Uma vez mais, venho pedir a todos os eleitores: não deixem de votar. Ajudem a escrever este segundo e último capítulo das Eleições de 2020. Além disso, votem conscientes. Vocês estarão decidindo o seu futuro, o futuro dos seus filhos e do seu país. Não entreguem aos outros o seu destino.

Por fim, votem com segurança. Usem máscara e mantenham distanciamento social para protegerem a si mesmos e aos outros. Em breve, esta pandemia passará, e teremos muitas razões para celebrar a vida e a democracia brasileira.

Muito obrigado. Boa noite!"