Na Capital

Câncer de mama e colo do útero, os mais comuns

A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) alerta que o cancelamento e reagendamento de consultas ginecológicas, em função da pandemia por Covid-19, geraram preocupante redução no diagnóstico dos cânceres de mama e colo de útero
Ao analisar dados do Ministério da Saúde, dos períodos pré e pós-pandemia, a entidade observou a redução de 23,4%1 na realização mamografias e biópsias de colo uterino (dois dos principais exames para o diagnóstico desses tipos de câncer)
No Paraná, a queda nos números do primeiro exame foi de 35,8%. Os exames de colo de útero, por sua vez, recuaram 14,3%
Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer, 4460 paranaenses desenvolveram essas neoplasias, no último ano. Delas, 2243 desconhecem a presença da doença. No país, 24860 mulheres ficaram sem diagnóstico dessas neoplasias
Excetuando os tumores de pele não melanoma, os cânceres de mama e colo uterino são os mais incidentes em meio à população feminina