Retrospectiva e perspectiva

Coritiba tem 2021 com um acesso e muito sofrimento

Coritiba comemora na Série B
Coritiba comemora na Série B (Foto: Du Caneppele)

O Coritiba teve um 2021 marcado por muito sofrimento, dentro e fora de campo, e por uma boa notícia no fim. O ano começou com nova diretoria. Em 29 de dezembro de 2020, Renato Follador Jr foi eleito para substituir Samir Namur. O Campeonato Brasileiro de 2020 ainda estava em andamento e teve 11 rodadas finais disputadas em janeiro e fevereiro de 2021.

A nova diretoria trouxe o técnico paraguaio Gustavo Morínigo, que conseguiu fazer o time dar sinais de reação no Brasileirão, mas não evitou o rebaixamento para a Série B. Logo em seguida, em março, começou o Paranaense e o time deu vexame. Foi eliminado na primeira fase da competição, algo que não ocorria com o Coxa desde 1988.
Além do sofrimento dentro de campo, a torcida começou 2021 com notícias tristes. Em 2 de janeiro, o clube perdeu o ídolo Cleber Arado, aos 48 anos, vítima da Covid-19.
Em julho, Renato Follador Jr morreu em Curitiba, aos 67 anos, também vítima da Covid-19. O clube passou a ser presidido pelo vice Juarez Moraes.

Clique aqui para ler a retrospectiva 2021 do Athletico Paranaense.

Acesso com veteranos
O grande objetivo da temporada, a Série B, começou em maio. A diretoria apostou em veteranos identificados com o clube: Wilson (37 anos), Henrique (35), Willian Farias (32), Robinho (34) e Rafinha (38). E trouxe veteranos com bom histórico: Léo Gamalho (35), Waguininho (31) e Luciano Castán (32).
O Coritiba largou bem na Série B e liderou até a 33ª rodada. Com o tempo, o time apresentou uma queda de produção (foi o 8º contando apenas o returno). No fim, a equipe acabou em 3º lugar. Foi o suficiente para conquistar o acesso e retornar à 1ª divisão.

Volta do público
Além de bagunçar o calendário do futebol, a pandemia do coronavírus também deixou os estádios fechados para torcedores por muito tempo. O Couto Pereira voltou a receber torcida em 25 de setembro, na vitória por 1 a 0 sobre o Guarani. As autoridades liberaram 50% da capacidade, mas exigiram a apresentação de exame de Covid-19. Poucos decidiram enfrentar esse cenário e o estádio recebeu apenas 1.391 pagantes. Em novembro, com queda das restrições, o Couto chegou a receber 27.531 torcedores contra o Brasil de Pelotas, no jogo que decretou o acesso.