Campeonato Brasileiro

Coxa muda escalação e é massacrado pelo Flamengo, que vence a primeira com Rogério Ceni e dorme na liderança

(Foto: Divulgação/ Coritiba)

Recuperado da Covid-19, o técnico Rodrigo Santana voltou ao banco de reservas. A escalação do Coritiba também mudou, reforços estrearam. Mas o futebol foi o mesmo de tantas vezes nesta temporada e o time paranaense não foi páreo para o Flamengo. Em jogo disputado na noite deste sábado (21 de novembro) no Maracanã, os cariocas conquistaram uma vitória fácil, a primeira sob o comando de Rogério Ceni, com gols marcados por Bruno Henrique e Arrascaeta ainda no primeiro tempo. Na etapa final, Renê ampliou a vantagem e, já no apagar das luzes, Mattheus Oliveira descontou e fez o gol de honra para o Coxa: 3 a 1 para o rubro-negro, fora o baile e as diversas chances de gol desperdiçadas.

Poucos se salvam em noite trágica do Coritiba no Maracanã. Confira as atuações

Rodrigo Santana diz que Coxa equilibrou jogo com o Flamengo e tira 'ponto positivo' do tropeço

Com mais essa derrota - a 12ª em 22 jogos no Brasileirão - o Coxa estaciona nos 20 pontos e permanece na 18ª colocação do Campeonato Brasileiro, quatro pontos atrás do Ceará e do Atlético-GO, primeiros times fora da zona de rebaixamento e que somam jogos a menos em relação ao Coxa.

O Flamengo, por outro lado, chega aos 39 pontos e alcança a liderança do Brasileirão provisoriamente. Os cariocas têm um ponto de vantagem em relação ao Atlético-MG e três de vantagem para o Internacional e o São Paulo, que jogam neste domingo.

Na próxima quarta-feira (25), às 21h30, o próximo desafio do Coxa será contra o Corinthians, no Couto Pereira. Já o Flamengo entra em campo na terça-feira (24), quando disputa o jogo de ida contra o Racing, da Argentina, pelo mata-mata da Copa Libertadores.

Rodrigo Santana se recupera da Covid-19

A partida no Maracanã marcou o retorno do técnico Rodrigo Santana ao banco de reservas. O profissional, que havia sido contratado recentemente e dirigiu o time em apenas um jogo (empate em 2 a 2 com o Internacional) foi diagnosticado com o novo coronavírus e precisou cumprir o período de isolamento.

Coxa: ‘primeira vítima’ e algoz uruguaio

No dia 15 de agosto, quando Coritiba e Flamengo se enfrentaram no turno do Brasileirão em partida disputada no Couto Pereira, a equipe carioca venceu por 1 a 0, gol marcado por Arrascaeta. O duelo, válido pela terceira rodada da competição, marcou também o primeiro triunfo do rubro-negro sob o comando de Doménec Torrent. Pouco mais de três meses depois, o catalão já deixou o futebol brasileiro, demitido. Rogério Ceni assumiu e, após quatro partidas, conquistou sua primeira vitória pelo Urubu, novamente com o Coritiba como a “primeira vítima” (e uma vez mais com grande atuação do uruguaio Arrascaeta, autor de um gol e de outra assistência).

Escalações

Sem poder contar com Hugo Moura, que pertence ao Flamengo e está emprestado ao Coxa, o técnico Rodrigo Santana promoveu importantes mudanças na equipe alviverde. No lugar do volante entrou Nathan Silva, improvisado na zaga. No meio e ataque, Mattheus Oliveira e Neiltonm deixaram o onze inicial para as entradas de Matheus Galdezani e Osman, recém-contratado pelo clube e que disputou sua primeira partida com a camisa coxa-branca.

Já no Flamengo, Rogério Ceni não pôde contar com o volante Thiago Maia, o zagueiro Rodrigo Caio e o atacante Pedro, todos lesionados. Além disso, Natan, suspenso, também ficou de fora, bem como o lateral Filipe Luís, o meia Diego e o atacante Gabriel Barbosa foram poupados para o jogo da próxima terça-feira.

O Jogo

Com a entrada de Nathan Silva no lugar de Hugo Moura, improvisado na zaga, Rodrigo Santana mandou o Coritiba a campo no 5-4-1, com Giovanni Augusto atuando como referência no ataque e Osman (direita) e Robson (esquerda) atuando mais abertos pela linha de quatro no meio de campo.

A ideia do treinador coxa-branca era fortalecer a marcação da equipe visitante e criar estratégias para que o time aproveitasse as chances de contra-ataque. Mas, na realidade, o Coritiba é que acabou punido num contra-ataque. Era o clássico “o feitiço se voltando contra o feiticeiro”, com Bruno Henrique abrindo o placar logo aos três minutos de jogo.

A pressão do time da casa era enorme e as chances de gol, numerosas. Era questão de tempo até sair o segundo gol. E ele veio aos 27 minutos, com Arrascaeta aproveitando cruzamento de Isla.

Para além dos dois gols, contudo, o time carioca ainda mandou mais duas bolas na trave e por pouco não construiu uma vantagem mais elástica. Na saída para o intervalo, um desabafo doído do goleiro Wilson. "Não tem como não sair irritado depois de uma atuação dessa no primeiro tempo. A gente conversa, tenta ajustar as coisas antes do jogo, mas entra na partida e aí dá esses vacilos. Na situação em que estamos, não podemos tomar gol de contra-ataque. São erros erros bobos, desatenção. Foi pouco ainda no primeiro tempo", declarou o ídolo coxa-branca.

Para tentar ajustar a equipe do Coxa, Rodrigo Santana voltou para o segundo tempo já com duas alterações: o meia-atacante Yan Sasse e o lateral Jonathan nos lugares de Galdezani e Mailton. Mais tarde, ainda entraram Brayan Lucumí, Mattheus Oliveira (ambos aos 23 minutos) e Matheus Bueno (aos 34) nos lugares de Nathan Silva, Osman e Robson, respectivamente.

O cenário de jogo, contudo, pouco mudou. Os cariocas seguiram mandando na partida, controlando as ações, criando chances com facilidade e sendo pouco ameaçados. Foram premiados já na reta final da partida, aos 29 minutos, quando Renê marcou o terceiro gol.

Já no apagar das luzes, aos 48 minutos, Mattheus Oliveira aproveitou uma das poucas boas tramas ofensivas do Coxa e descontou. Mas nem teve tempo para a equipe esboçar uma reação, já que o árbitro deu por encerrada a partida logo após o tento.

Números do jogo

Quando do apito final, os números do jogo traduziram a superioridade flamenguista na partida. O time de Rogério Ceni somou 64% da posse de bola, com índice de acerto de 88% dos passes (contra apenas 81% do Coxa). Além disso, os donos da casa finalizaram 23 vezes a gol, contra apenas seis dos visitantes.

FICHA TÉCNICA

Flamengo 3 x 1 Coritiba

Flamengo: Diego Alves; Isla (Matheuzinho), Thuler, Léo Pereira e Renê; Willian Arão, Gerson (Diego), Everton Ribeiro (Lázaro) e Arrascaeta; Vitinho (Pedro Rocha) e Bruno Henrique (Michael). Técnico: Rogério Ceni
Coritiba: Wilson; Mailton (Jonathan), Rodolfo Filemon, Sabino e William Matheus; Nathan Silva (Brayan Lucumí), Matheus Sales e Matheus Galdezani (Yan Sasse); Robson (Matheus Bueno), Giovanni Augusto e Osman (Mattheus Oliveira). Técnico: Rodrigo Santana
Gols: Bruno Henrique (3-1º), Arrascaeta (27-1º), Renê (29-2º) e Mattheus Oliveira (48-2º)
Cartões amarelos: Sabino, Rodolfo Filemon, Matheus Sales (C); Willian Arão (F)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro, sábado, às 19h30

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

3 – Gol do Flamengo! Contra-ataque rápido puxado por Bruno Henrique. O atacante dá o passe para Arrascaeta, que devolve na medida, na cabeça do atacante. Wilson chega a tocar na bola, mas não evita o gol.

9 - Isla sai jogando errado e entrega para o Coxa. Osman fica com a bola e chuta cruzado da entrada da área. Arão faz o corte quando a bola se aproximava da meta.

24 – Arrascaeta recebe na intermediária e encontra lindo passe no meio da zaga. Bruno Henrique fica cara a cara com Wilson, tenta driblar o goleiro e na sequência chuta para fora, ao lado do gol.

27 – Gol do Flamengo! Bruno Henrique toca para a passagem de Isla nas costas de William Matheus. O lateral chileno cruza na medida para Arrascaeta chegar batendo de primeira, no cantinho.

30 – Flamengo tabela dentro da área, Everton Ribeiro chuta no contrapé de Wilson, que faz grande defesa. No rebote, a zaga alviverde afasta o perigo.

35 - Mais um contra-ataque do Flamengo. Bruno Henrique inverte o jogo para Isla, que toca para Arrascaeta e recebe de volta, dentro da área. A zaga trava o chute a sobra fica com Vitinho, que chuta de bico e manda ao lado do gol.

38 – Cruzamento de Isla encontra Bruno Henrique na segunda trave. O atacante cabeceia para trás e Everton Ribeiro testa a bola no travessão.

42 - Cobrança de falta ensaiada na intermediária. Arrascaeta cobra com um toque por cima da zaga e Bruno Henrique emenda de primeira de dentro da área. Explode na trave!

42 - Coxa contra-ataca. Robson recebe na direita, livre e em boa posição, mas demora para finalizar. Na sequência, Matheus Sales chuta da entrada da área e acerta a zaga do Flamengo.

Segundo tempo

1 - Cruzamento de Everton Ribeiro encontra Bruno Henrique livre na pequena área. O atacante cabeceia mal, para fora, e desperdiça grande chance.

2 - Mais uma chegada do Flamengo pelo Alto. Vitinho cabeceia para fora.

3 - Lançamento para Bruno Henrique, que recebe livre na área, domina no peito e, de frente para o gol, chuta em cima do goleiro. No rebote, ele tenta de novo e finaliza fora da meta.

6 - Cobrança de escanteio de Giovanni Augusto. William Matheus sobe no meio da área, ganha a disputa pelo alto e manda perto do gol.

11 – Cobrança de falta da intermediária de Arrascaeta, Léo Pereira desvia e assusta o goleiro Wilson.

29 – Gol do Flamengo! Renê toca para Vitinho, recebe de volta, limpa o marcador dentro da área e chuta de chapa com a perna direita. A bola vai no canto, sem chance para Wilson.

34 – Vitinho chuta firme, no ângulo, e Wilson se estica para fazer grande defesa.

48- Gol do Coritiba! Mattheus Oliveira escapa pela esquerda do ataque, recebe a bola em profundidade e chuta cruzado para vencer o goleiro Diego Alves.