Publicidade
Confusão pós-Carnaval

Depredação no Largo da Ordem deixa enorme prejuízo para empresários curitibanos; confira fotos e vídeos da confusão

A confusão registrada na madrugada desta terça-feira (24 de fevereiro) no Largo da Ordem, região central de Curitiba, causou enorme prejuízo ao comércio curitibano. Apenas numa ótica localizada na Rua Monsenhor Celso, por exemplo, o prejuízo passa dos R$ 100 mil. Acima, você pode conferir imagens de dentro da loja, que foi saqueada e vandalizada durante o quebra-quebra que roubou a cena no segundo dia de Carnaval e segundo dia que terminou em confusão no Largo da Ordem.

Num dos bares localizados no próprio Largo, um comerciante conta que por volta de 4 horas da madrugada o movimento era tão intenso na região que ele não havia deixado nenhuma mesa para fora. "Não tinha condições", diz o empresário, que pediu para não ser identificado.

A confusão teria começado por volta desse horário, quando já não havia mais quase policiamento nas ruas, relata ainda essa mesma fonte. Quando teve início o quebra-quebra, ele fechou as portas do seu comércio para proteger a si próprio, aos clientes e ao seu bar.

"Começou pancadaria, chutação de porta. TInha duas, três viaturas, não dava conta da multidão. Era muita gente na rua. Baixamos as portas e ficamos presos com os clientes, tinha até gente chorando. Saímos 6 horas da manhã (do bar) e a confusão começou era umas 4 horas, 4h30", relata. "Colocamos cadeira, mesa nas portas. Se não tivesse fechado, imagina o estrago que teria feito...".

Do Largo da Ordem, no entanto, os atos de depredação se estenderam pela Monsenhor Celso. Uma ótica acabou sendo invadida e teve óculos e outros produtos furtados, conforme mostram as imagens abaixo. 

A proprietária da empresa, fundada há 74 anos, conta que estava na praia quando ficou sabendo do que havia acontecido. "A Guarda Municipal ligou para uma cliente e essa cliente ligou para a minha funcionária, que daí me ligou", explica.

O susto foi grande. Todos os óculos expostos foram levados, enquanto computadores e cadeiras que estavam no interior da loja foram quebrados, assim como vidros e portas. São mais de R$ 80 mil de prejuízo.

O saldo final, contudo, deve apontar uma situação ainda pior para os comerciantes. É que de lanchonetes até lojas de roupas foram saqueadas ou tiveram suas portas danificadas por chutes. No caso do bar, citado acima, o prejuízo apenas com isso supera R$ 1 mil.

Prefeitura de Curitiba se pronuncia

A Prefeitura de Curitiba se pronunciou no começo da tarde de hoje sobre os episódios registrados no Largo da Ordem, informando ter aumentado o efetivo da Guarda Municipal na região central da cidade, com módulos móveis no Memorial e do Palacete Wolf. Na região do Largo, são cerca de vinte homens, com cinco viaturas. O policiamento será ostensivo no Centro Histórico durante esta segunda-feira (24/2) e nos próximos dias.

“Fizemos o reforço com a presença da Guarda Municipal e o apoio de equipes da Polícia Militar, em função dos atos de vandalismo registramos na madrugada desta segunda-feira”, explicou o secretário municipal da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

Também no início desta manhã (24/2), equipes extras fizeram a limpeza da região.

Além disso, técnicos que já estão tomando providências para os reparos necessários nos imóveis que são de responsabilidade do município, como o Palacete Wolf, Casa da Memória e Memorial, que tiveram vidros quebrados e paredes pichadas.

As imagens, que podem revelar a identidade dos envolvidos, serão repassadas à Polícia Civil, para investigação.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES