Publicidade
Coritiba 6 x 1 União Beltrão

Eduardo Barroca elogia ataque e cobra melhora da defesa do Coxa

O técnico Eduardo Barroca exaltou a boa atuação do Coritiba na tarde deste sábado (08 de fevereiro), após a equipe alviverde atropelar o União Beltrão por 6 a 1 no Couto Pereira. Segundo o comandante coxa-branca, a equipe já atingiu um nível de exibição que o agrada. Entretanto, ele ressalta que ainda há aspectos do jogo que precisam evoluir, com especial destaque para a defesa.

VEJA MAIS SOBRE A PARTIDA

Coritiba toma gol de bicicleta, mas atropela o União no Couto Pereira em jogo de golaços

Renê Junior, Rafinha e Sassá brilham em goleada coxa-branca. Confira as atuações

“Hoje a gente teve realmente uma boa atuação, conseguimos um placar elástico e criamos muitas chances de gol. Fomos agressivos, pressionamos no ataque. A equipe já está num nível que me agrada, mas ainda temos uma série de questões que temos de evoluir em curto, médio e longo prazo. Dentro daquilo que eu imagino de uma equipe de nível alto, estamos bem distantes daquilo que podemos atingir, temos um caminho longo a percorrer individualmente e coletivamente”, declarou o treinador.

De acordo com Barroca, o aspecto do jogo que mais o preocupa neste momento é o defensivo. Dos seis jogos do Coxa na temporada, apenas em um a defesa passou incólume, sem sofrer gols. “Preocupa (a defesa). Não estou satisfeito, é uma das coisas que precisamos ajustar na nossa equipe. No jogo de hoje o adversário chegou muito pouco para nos fazer um gol e fez o gol. Precisamos ser uma equipe que agrida o adversário, tem o controle do jogo e esteja pronta para saber o que fazer quando o adversário ataca também. Até aqui, sofremos mais gols do que eu gostaria.”

O principal da vitória contra o União, comentou ainda, é que o resultado e a atuação provariam a dedicação dos jogadores, que os atletas compraram a proposta de jogo do treinador, que acaba criando algum desconforto aos atletas, dado a intensidade da partida e a exigência física decorrente disso, uma vez que os jogadores ofensivos também são obrigados a marcar, pressionando o adversário desde o campo de ataque.

“O principal da vitória de hoje é que ela é toda dos jogadores, porque eles estão se entregando nesse (alto) nível de intensidade. Não é confortável marcar como eles estão marcando, mas compraram a ideia. Estou satisfeito como a equipe esta trabalhando, como a gente está se formando como grupo. A tendência é que a gente consiga uma caminhada melhor, é nisso que eu acredito.”

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES