Publicidade
Mercado da bola

Ex-reduto de colombianos, Athletico vira 'casa' de argentinos

O argentino Marco Rúben: Athletico aposta nos argentinos
O argentino Marco Rúben: Athletico aposta nos argentinos (Foto: Valquir Aureliano)

O Athletico Paranaense já usou em competições oficiais 34 estrangeiros de 13 nacionalidades diferentes desde 2003, quando o futebol brasileiro entrou na Era dos Pontos Corridos. Nesse período, os colombianos dominaram o Furacão. Onze reforços desse país atuaram pelo Furacão nos últimos 16 anos.

Agora, o foco do clube está nos argentinos. Com o sucesso de Lucho González com a camisa rubro-negra, a diretoria buscou mais três reforços na Argentina: o centroavante Marco Rúben, o meia Tomás Andrade e o ponta Braian Romero. Um quarto gringo pode ser o atacante Ricardo Centurión.

Se esses três argentinos já contratados entrarem em campo por competições oficiais em 2019, o Athletico vai chegar a 37 estrangeiros escalados desde 2003 e oito deles serão da Argentina.

Nesse período, além dos 11 colombianos e cinco argentinos, o Athletico levou a campo também seis jogadores do Uruguai, dois do Paraguai, dois do Chile, um da Croácia, um do Equador, um da Índia, um dos Emirados Árabes, um da Espanha, um do Panamá, um do Peru e um de Portugal. O cálculo não considera os atletas que não chegaram a atuar em competições oficiais.

Entre 2003 e 2019, o Athletico teve também cinco técnicos estrangeiros: o uruguaio Juan Ramón Carrasco, o alemão Lothar Matthaus, o espanhol Miguel Angel Portugal, o sérvio Dejan Petkovic e o português Sérgio Vieira.

OS GRINGOS NO ATLÉTICO
Desde 2003, todos os estrangeiros que chegaram a atuar em competições oficiais
2018 - Lucho González (v, ARG) Pavez (v, CHI) Plata (a, COL)
2017 - Lucho González (v, ARG) Pavez (v, CHI) Eduardo da Silva (a, CRO)
2016 - Vilches (z, CHI) Pereirinha (ld, POR), Barrientos (m, ARG), Luciano Cabral (m, ARG) Lucho González (V, ARG)
2015 - Romeo Fernandes (m, IND) Olaza (le, URU) Pereirinha (ld, POR) Vilches (z, CHI) Barrientos (m, ARG) Daniel Hernández (m, COL) Sérgio Vieira (t, POR)
2014 - Miguel Portugal (t, ESP) Petkovic (t, SER) Mirabaje (m, URU) Mérida (m, ESP) Olaza (le, URU)
2013 - Ligüera (m, URU) Palau (v, URU) Mérida (m, ESP)
2012 - Ligüera (m, URU) Guerrón (a, EQU) Nieto (a, ARG) Morro García (a, URU) Carrasco (t, URU)
2011 - Guerrón (a, EQU) Nieto (a, ARG) Morro García (a, URU) Ivan González (m, PAR)
2010 - Vanegas (z, COL) Valencia (v, COL) Ivan González (m, PAR) Guerrón (a, EQU) Javier Toledo (a, ARG) Nieto (a, ARG) Serna (a, COL)
2009 - Valencia (v, COL) Julio dos Santos (m, PAR) Ferreira (m, COL) Kamali (a, EAU)
2008 - Valencia (v, COL) Ferreira (m, COL) Julio dos Santos (m, PAR)
2007 - Viáfara (g, COL) Valencia (v, COL) Ferreira (m, COL) Dayro Moreno (a, COL)
2006 - Lothar Matthaus (t, ALE) Montoya (g, COL-ARG) Ferreira (m, COL) Herrera (a, COL) Pezzolano (m, URU)
2005 - Baloy (z, PAN) Marin (le, COL)
2004 - nenhum
2003 - Lobatón (a, PER)
Legenda: g = goleiro, z = zagueiro, le = lateral-esquerdo, ld = lateral-direito, v = volante, m = meio-campista, a = atacante, t = técnico
*Em 2008, fazia parte do elenco do Atlético o atacante Edivaldo Rojas Hermoza, apelidado de Bolívia. Ele nasceu em Cuiabá (MT), mas é naturalizado boliviano (devido à origem da mãe) e defendeu a seleção da Bolívia a partir de 2011.

AS NACIONALIDADES
Dos gringos que jogaram pelo Atlético desde 2003
Colômbia...............11
Uruguai..................6
Argentina................5
Paraguai.................2
Chile......................2
Croácia...................1
Emirados Árabes......1
Equador.................1
Espanha................1
Índia....................1
Panamá................1
Peru....................1
Portugal..............1

HISTÓRIA
Os estrangeiros que mais se destacaram pelo Furacão desde 2003 foram os colombianos Ferreira e Valencia, o equatoriano Guerrón, o uruguaio Ligüera, o argentino Lucho González e os chilenos Vilches e Pavez.

O Athletico tem apostado nos gringos desde 1995, quando Mario Celso Petraglia passou a comandar o clube. Em 1995, no título da Série B, o time já contava com o uruguaio Matosas. Em 1996, na campanha que parou nas quartas de final do Brasileirão, a equipe tinha os polonenses Nowak e Piekarski.

Nos anos seguintes, o clube teve algumas contratações frustradas com estrangeiros, como o zagueiro bósnio Sanjin Pintul, o goleiro croata Domagoj, o atacante húngaro Roland Tuske e o zagueiro boliviano Ronald Raldes.

Historicamente, os estrangeiros não foram protagonistas nas duas campanhas mais importantes do Athltico no Brasileirão. Em 2001, o clube foi campeão brasileiro apenas com jogadores brasileiros. Em 2004, quando chegou ao vice-campeonato nacional, apenas um gringo atuou pelo Furacão naquele Brasileirão: o boliviano Edivaldo. Ele jogou apenas uma partida nas 46 rodadas.

Em 2005, no vice da Libertadores, o zagueiro panamenho Baloy e o lateral-esquerdo colombiano Marín foram titulares apenas até as oitavas de final. Depois, deixaram o clube.

Em 2013, no ano do vice da Copa do Brasil e do 3º lugar no Brasileirão, os dois principais estrangeiros do clube eram o espanhol Mérida e o uruguaio Palau. O primeiro jogou apenas dez partidas no ano. O segundo, somente quatro.

Em 2016, Lucho González chegou ao Athletico, aos 35 anos de idade e com 21 títulos importantes no currículo. Em pouco tempo, virou líder dentro e fora de campo. A consagração veio em 2018, com o título da Copa Sul-Americana.

DESTAQUES DOS EDITORES