Publicidade
Fim de ano

Exagerou na festa da firma? Veja como encarar o escritório

Especialista em imagem diz que nem tudo está perdido e dá dicas do que fazer
Exagerou na festa da firma? Veja como encarar o escritório

As festas de confraternização de final de ano são um momento de descontração na empresa, onde são comemoradas as conquistas da equipe, feitos agradecimentos aos colaboradores pelo trabalho prestado e onde se aproveita para socializar, estreitar os laços entre os colaboradores, etc.

Rachel Jordan, especializada em Imagem, Comportamento e Protocolos Internacionais, ressalta que, não se pode perder de vista a noção de que, apesar de ser um momento de maior informalidade entre os colegas de trabalho, o ambiente ainda conserva algumas normas, e a hierarquia existente na empresa será retomada no dia seguinte.

Que existem regras quando o assunto é a festa de fim de ano na empresa a maioria já sabe. Mas, e se mesmo assim a pessoa perder a linha e acabar dando vexame na festa da firma? A consultora dá algumas dicas de como tentar reparar, ou, ao menos, minimizar os danos causados pelo exagero na festa da empresa. A princípio, não há um comportamento genérico a adotar em caso de gafe. Tudo vai depender de qual foi o ato que você cometeu: se foi uma falta leve ou se foi algo mais sério, diz Jordan.

No primeiro caso, o clima no trabalho no dia seguinte estará mais ameno, apenas ocorrerão alguns comentários ou as famosas piadinhas entre os colegas. Nesse caso, é importante ter jogo de cintura para lidar com a situação. É preciso evitar o estresse, e agir com bom humor e naturalidade. Assim, o assunto irá perdendo força — e a graça — e se encerrará naturalmente, diz. Mas se o vexame foi grande ou a conduta efetivamente reprovável, como beber demais, procurar confusão com colega de trabalho, flertar de maneira agressiva com alguém ou falar mal do chefe, aí somente o bom humor não resolve.

É preciso ter humildade para saber reconhecer seus atos e para pedir desculpas. Ter uma conversa com a pessoa prejudicada é o primeiro passo, mas, se todos da companhia presenciaram ou foram vítimas do ocorrido, você terá que se desculpar com eles também.

 

Como agir no dia seguinte ao vexame

Se foi um vexame leve
Encarar as piadas com bom-humor é o melhor caminho para que o assunto logo desapareça das rodas de conversa do escritório

Enfiou o pé na jaca?
Melhor é reconhecer os erros e se desculpar com quem de devido. Flertou de modo ofensivo com a colega? Pedir desculpas a ela apenas não é suficiente, principalmente se o fez na frente dos colegas. O certo é pedir desculpas a todos os presentes a festa e ser humilde para ouvir o que todos têm a dizer sobre o ocorrido.

Reconhecer o erro
Essa atitude revela humildade e respeito pelos colegas. Mas além das desculpas é importante ressaltar que o mesmo não irá ocorrer novamente. E, se no ano seguinte for a festa, evite repetir o comportamento.

Demissão
Se a gafe pode ser passível de uma demissão, o jeito é conversar como chefe de que o comportamento da festa não passa de uma atitude isolada.
Nestes casos, o pedido de desculpas deve ser acompanhado de atitudes reparadoras. O melhor é se colocar a disposição para eventuais penalidades.

 

 

Erro serve para ensinar

A especialista em imagem Rachel Jordan, ressalta que o melhor é aprender com os erros. Todos nós cometemos falhas em algum momento da nossa vida e, mais importante que saber reconhecê-las, é aprender com elas. Todo erro traz consigo um ensinamento, e é preciso estamos atentos para que possamos com ele evoluir, tanto como profissional, quanto como pessoa, diz. Ela lembra que mesmo tendo passado dos limites em um evento, mas ter conseguido se desculpar e batalhar para ser reconhecido por outras qualidades depois, mostra aos demais que a gafe foi algo episódico, isolado, que não o define como profissional. Mas fique atento. Nossa imagem e reputação são os bens mais preciosos que possuímos, principalmente no ambiente de trabalho. Para prevenir constrangimentos e arrependimentos posteriores, é adequado redobrar os cuidados ao participar de eventos corporativos, para evitar a chamada ressaca moral, finaliza.

Publicidade

Veja também