Publicidade

Experiência como jogador-treinador fracassa e Kompany deixa comando do Anderlecht

A aventura de Kompany como jogador-treinador no Anderlecht durou somente quatro partidas. Com apenas duas vitórias e dois empates e registrando o pior começo nos últimos 21 anos da equipe na Jupiler Pro League, primeira divisão belga, ele deixa a dupla função e será "apenas" um atleta em campo. O auxiliar Simon Davies assume o comando do time.

"Ele tem de ser mais jogador no campo, tem de conseguir liderar a equipe dentro das quatro linhas. É importante que seja apenas um dos jogadores durante uma partida", disse Davies em sua apresentação. O novo técnico chegou a jogar com Kompany no Manchester City. "Estamos em processo de nos conhecermos todos uns aos outros e chegamos à conclusão de que esta (mudança) poderia ser a solução."

Além de conseguir repatriar Kompany, um dos maiores ídolos do Anderlecht e da seleção belga, o clube também investiu pesado para se reforçar com jogadores como Samir Nasri, Nacer Chadli e Kemar Roofe. Por isso, a falta de resultados fez aumentar a pressão sobre a diretoria para uma mudança na comissão técnica.

Outro problema levantado na imprensa local para a troca de comando foi a falta de tempo de Kompany para se dedicar a função de treinador. Na próxima parada para jogos das Eliminatórias da Eurocopa, por exemplo, Kompany deve defender a seleção belga enquanto os demais treinadores do campeonato vão aproveitar o tempo para avaliar questões táticas e treinar seus elencos.

O Anderlecht ocupa a 13ª colocação do Campeonato Belga e volta a campo nesta sexta-feira, para enfrentar o Racing Genk, fora de casa.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES