Publicidade
PontoCom

Ferramenta contra as fake news é testada pelo WhatsApp

Está em testes uma ferramenta para evitar a disseminação de boatos no Índia. O novo recurso do WhatsApp mostrará aos usuários quando uma mensagem foi apenas encaminhada — e não elaborada — pelo remetente. Nas últimas seis semanas, mais de 10 pessoas foram mortas, em incidentes separados, depois de serem falsamente acusadas de tráfico de crianças com base em boatos que circularam no WhatsApp.
De acordo com as informações veiculadas pela CNN, o governo indiano chegou a emitir um alerta para a empresa nesta última terça-feira (3) por causa dos casos de violência. “Enquanto a justiça e o governo estão tomando medidas para prender os culpados, o abuso de uma plataforma, como o WhatsApp, para a circulação de um conteúdo tão provocativo é igualmente fonte de preocupação”, afirmou o Ministério de Tecnologia da Índia em um comunicado.
Em resposta enviada ao governo indiano, o WhatsApp afirmou ter ficado “horrorizado com esses terríveis atos de violência”. O serviço também detalhou uma série de mudanças que já fez para manter os usuários seguros e evitar o uso indevido do serviço, incluindo o novo recurso que planeja lançar em breve no país. A Índia é o maior mercado do WhatsApp, com mais de 200 milhões de pessoas usando a plataforma por mês.

Youtube combate notícias falsas
O Youtube anunciou nesta segunda-feira, 9, que investirá US$ 25 milhões para lutar contra a propagação de notícias falsas, especialmente em coberturas urgenes e de última hora, informou a plataforma no seu blog oficial. 
O Youtube,  propriedade do Google, disse que este investimento será parte da plataforma Google News Initiative (GNI), apresentada em março pelo gigane do setor da tecnologia para ajudar os veículos de imprensa e para enfrentar as chamadas fakenews. Além disso, o Youtube apresentou uma série de novidades no site para ajudar os usuáriospara que não caiam em mentiras.

Denuncia assédio no transporte público
Uma ferramenta pretende dar um basta no assédio sofrido por mulheres em transportes públicos. Por meio do N!NA, elas podem denunciar o tipo de violência sofrida em tempo real, ao mesmo tempo em que outras mulheres são alertadas a respeito, gerando uma onda de sonoridade instantânea. Com o uso cada vez mais frequente da tecnologia, é possível fazer um levantamento de dados com o objetivo de mapear casos de assédio em transportes. Ainda em testes, o  N!NA deverá funcionar por pelo menos 8 semanas até novembro em Recife, Fortaleza e Natal. 

BIZARRICE

Spotmini? – A Boston Dynamics criou um cão-robô. O SpotMini, como é chamado, é um animal já considerado comum no  mundo cibernético. E aí? Topa trocar seu amigo peludo pelo esguio SpotMini?

DESTAQUES DOS EDITORES