Publicidade
Planejamento

Há 15 anos, aspirantes do Ahtletico já ajudavam em título e revelações

Jorge Henrique: lesão e xingamentos   - Durval: do time B à Libertadores  - Danilo: vendido por 1 milhão de euros
Jorge Henrique: lesão e xingamentos - Durval: do time B à Libertadores - Danilo: vendido por 1 milhão de euros (Foto: Arquivo Bem Paraná)

O time de aspirantes do Athletico Paranaense ganhou destaque nos últimos sete anos, com o vice estadual de 2013 e os títulos de 2018 e 2019, além dos diversos jogadores de alto nível revelados, como o lateral Renan Lodi e os meio-campistas Bruno Guimarães, Otávio e Hernani.

No entanto, a ideia de ter um time de aspirantes com esse mesmo propósito surgiu bem antes no Athletico Paranaense. Em 2005, por exemplo, o clube chegou a separar os elencos. O técnico Casemiro Mior comandava o grupo principal, que tinha a Libertadores como prioridade. Enquanto isso, Lio Evaristo era responsável pelo time B.

A ideia era exatamente a mesma: dar tempo ideal de preparação ao elenco principal, ceder espaço para novatos recém-promovidos da base e testar reforços jovens.

E tudo isso ocorreu em 2005. O Athletico foi campeão estadual naquele ano e chegou à final da Libertadores. E a equipe de aspirantes ajudou na formação de vários novatos, entre eles o meia-atacante Jorge Henrique, os zagueiros Durval e Danilo, o meia Morais, o centroavante Dinei e o atacante Anderson Aquino.

Título
O time de aspirantes atuou em cinco rodadas daquele Paranaense 2005, somando três vitórias, um empate e uma derrota. A equipe principal atuou nas demais nove rodadas da primeira fase. O Athletico terminou em primeiro lugar do Grupo B. No mata-mata, passou por Roma nas quartas e Londrina nas semifinais. Na decisão, venceu o Coritiba na decisão por pênaltis.

Planejamento
Em 2005 e em 2007, o time de aspirantes foi usado apenas em parte do Paranaense. A primeira vez que o Athletico usou a equipe alternativa em todas as rodadas da competição foi em 2013.

Clique aqui para relembrar a história completa das equipes alternativas do Furacão.

Clique aqui para ver os melhores jogadores revelados nos aspirantes do clube.

Jorge Henrique
Destaque do Náutico em 2003 e 2004, Jorge Henrique, então com 22 anos, foi comprado pelo Athletico no início de 2005. Seus três primeiros jogos no clube paranaense foram com o time de aspirantes, pelo campeonato estadual. Não foi bem recebido pela torcida e começou a ser perseguido com vaias e xingamentos no estádio.

Apesar do clima negativo, Jorge Henrique foi integrado ao elenco principal e estreou pela Libertadores na segunda rodada, entrando no segundo tempo da vitória contra o Libertad, em 1º de março. Sofreu uma grave lesão naquela partida e só voltou a jogar no final de maio. Pouco jogou depois daquilo. Deixou o clube após 15 jogos e um gol marcado. Ainda em 2005 foi emprestado para o Santo André. Em 2006, ficou cedido ao Ceará e ao Santa Cruz.

Jorge Henrique ganhou destaque no Botafogo em 2007 e 2008. Virou titular absoluto e chamou a atenção do Corinthians. Virou uma das estrelas do clube paulista e conquistou seis títulos com a equipe: Mundial de Clubes, Libertadores, Brasileirão, Copa do Brasil e dois estaduais. Hoje, com 37 anos, defende o Náutico, clube que o revelou.

Durval
O zagueiro Durval chegou ao Athletico com 25 anos, após boa temporada com o Brasiliense. Foi recebido com desconfiança e atuou pelos aspirantes nas três primeiras rodadas do Paranaense de 2005. Ganhou a confiança de Casemiro Mior e foi promovido ao elenco principal. Com a saída de Baloy, logo após as oitavas da Libertadores, Durval terminou a competição como titular. No Brasileirão 2005, só atuou em 11 rodadas — perdeu a posição para Paulo André, contratado em maio daquele ano.

Depois disso, Durval nunca mais jogou pelo Athletico e nunca mais foi reserva. Atuou como titular por oito temporadas no Sport e por quatro no Santos. Conquistou duas Copas do Brasil, uma Libertadores, uma Recopa Sul-Americana e dez estaduais. Chegou à seleção brasileira em 2012. Decidiu se aposentar aos 39 anos, no final de 2019.

Danilo
O zagueiro Danilo, então com 21 anos, chegou ao Athletico em 2005, após se destacar no Paulista, de Jundiaí. Foi lançado nos aspirantes. Atuou com Lio Evaristo em duas partidas do Paranaense antes de entrar para o grupo de Casemiro Mior. Com a venda de Rogério Corrêa, Danilo virou titular da equipe principal já em 2005.

O jogador foi vendido por um milhão de euros para um grupo de empresários. Em seguida, defendeu o Palmeiras por três temporadas, sempre como titular. Depois, foi titular da Udinese, da Itália, por sete temporadas consecutivas. Hoje está no Bologna, com 35 anos.

Outros fatos do time de aspirantes do athletico em 2005

O primeiro jogo
Campeonato Paranaense, 1ª rodada, 20 de janeiro
Império 1x2 Athletico
Athletico: Tiago Cardoso; Alessandro Lopes, Tiago Vieira e Durval; André Luís (Ticão), Bruno Lança, Jairo, Morais (Anderson Aquino) e Badé; Dinei (Dennys) e Jorge Henrique. Técnico: Lio Evaristo
Gols: Bruno Lança (25-1º, de cabeça), Igor (43-1º, de cabeça) e Dinei (22-2º, de cabeça)
Público: 1.301 pagantes
Local: Vila Olímpica do Boqueirão

Outros nomes de destaque
O meia Morais, então com 21 anos, chegou ao Athletico em 2004. Foi reserva de Jadson na campanha daquele ano e não conseguiu se destacar. Em 2005, foi usado nos aspirantes e decepcionou. Retornou ao Vasco ainda em 2005. Brilhou no clube carioca e chegou a ser convocado para a seleção brasileira em 2006.

O goleiro Guilherme tinha 19 anos em 2005. Foi vendido ao Lokomotiv, da Rússia, em 2007. Está até hoje no clube russo e chegou a defender a seleção do país europeu.

Revelado na base, Anderson Aquino nunca conseguiu se destacar no Athletico. No entanto, brilhou no Coritiba em 2011, com 18 gols em 43 jogos.

Revelado na base, Dinei teve poucas chances no clube. Seu auge foi no Vitória em 2013 e 2014, com 35 gols em 86 jogos. Também defendeu o Palmeiras em 2010 e 2011.

Também jogaram pelos aspirantes em 2005
Goleiros:
Vinícius (base)
Lateral-direito: Murilo (base), André Rocha (vindo do Palmeiras)
Lateral-esquerdo: Stanley (base)
Volante: Marcus Vinícius (base), Simão (vindo do Guarani)
Meia: Netinho (vindo do Guarani)
Atacante: Edivaldo ‘Bolívia’ (base), Jonatas (base)

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES