Publicidade
Técnico

Interino do Athletico afirma que seu papel é continuar 'linda história' de 2019

Eduardo Barros, 34 anos, comanda o Athletico contra o Cruzeiro, na Arena
Eduardo Barros, 34 anos, comanda o Athletico contra o Cruzeiro, na Arena (Foto: Valquir Aureliano)

O técnico interino do Athletico Paranaense, Eduardo Barros, concedeu entrevista coletiva após o empate com o Cruzeiro, nessa quarta-feira (dia 7). Aos 34 anos, ele foi auxiliar de Fernando Diniz em 2018 e estava como chefe das categorias de base.

“O que o clube construiu ao longo da temporada, tem sido uma linda história que não acabou. Meu papel como escolhido pela direção é dar continuidade, dar sequência no grande trabalho que vem sendo feito”, declarou. “É uma grande responsabilidade, uma grande oportunidade. Surge num clube que tem como um dos seus valores a ousadia. Ninguém esperava uma decisão dessa do clube. Estou a serviço do clube da melhor forma que eu conseguir”, disse.

Eduardo Barros afirou que não sabe se vai ficar como interino até o final do Brasileirão 2019, mas acredita que vai comandar o time no domingo, contra o São Paulo, no Morumbi. “O clube estabeleceu essa meta muito clara de ficar no G6. A primeira meta é voltar para esse espaço. Temos competência de ali estar. A meta para os sete jogos finais eu prefiro não me posicionar. Não sei se vou fazer toda a competição. Prefiro fazer jogo a jogo. O discurso vai ser de pensar partida a partida”, comentou.

Em relação ao futuro na carreira, Barros declarou que pretende ser técnico. “Tenho como objetivo ser treinador. São pelo menos 12 anos me capacitando, estudando, trabalhando como técnico, como auxiliar, como head coach de categorias de base”, afirmou. Perguntado sobre o motivo do clube ter escolhido ele para interino, Barros explicou. “O que pode ter facilitado é que boa parte desses jogadores trabalharam comigo na temporada passada. Eu trabalhei pelo menos seis meses com eles”, destacou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES